Política

JBJ acatou a decisão do Presidente em manter Américo Barros no Banco Central

«O decreto de exoneração do Governador do Banco Central de facto não foi promulgado», declarou o Primeiro-ministro Jorge Bom Jesus.

Numa entrevista à imprensa no seu gabinete de trabalho, o Primeiro-ministro, disse que não é interesse do seu governo «criar crises institucionais e instabilidade política».

De mãos atadas, o chefe do governo confessou que está preocupado com o regular funcionamento do Banco Central.

«Vamos continuar a assumir as nossas responsabilidades no sentido de aferir sobre este funcionamento, neste domínio de relacionamento institucional o diálogo deve prevalecer para garantir o funcionamento normal de uma instituição que é fundamental para a nossa economia», precisou Jorge Bom Jesus.

No entanto o primeiro-ministro, avisou aos jornalistas que o seu governo em parceria com a maioria parlamentar que o sustenta, já avançou com um projecto de lei para revisão do Estatuto do Banco Central.

A diligência legislativa pretende cortar toda interferência ou influência, que o Presidente da República joga actualmente, na nomeação ou exoneração do Governador do Banco Central.  Isto, é o decreto que nomeia ou exonera o Governador do Banco Central tem que ser promulgado pelo Chefe de Estado.

«O novo estatuto do Banco Central que foi remetido a Assembleia Nacional clarifica esta cláusula. Fica clarificado que a nomeação e exoneração do governador do Banco Central será por resolução», precisou Jorge Bom Jesus.

Segundo o Chefe do Governo o diploma deverá ser analisado pelos deputados para posterior aprovação, ainda antes do fecho da actual legislatura.

Abel Veiga

2 Comments

2 Comments

  1. paula

    26 de Abril de 2022 at 21:08

    Obrigada Mestre. Lute pelo povo. Não deixa o pinta cabra tomar o país.

  2. WXYZ

    26 de Abril de 2022 at 21:11

    Façam as vossas asneiras! Depois quando a bola estiver do outro lado não venhem choramingar

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.

To Top