Cultura

“É minha convicção profunda, o chinês vai substituir o inglês…”

A convicção é de Wildiley Barroca, líder da juventude de São Tomé e Príncipe. Foi vice-Presidente da União Pan-africana da Juventude, o órgão consultivo da União Africana em matéria da juventude.

Barroca participou na celebração do dia internacional da língua chinesa,(20 de Abril), no anfiteatro da Universidade de São Tomé e Príncipe. Interveio na cerimónia para partilhar experiências com os jovens estudantes são-tomenses sobre a China, a sua língua e a sua cultura.

Após 4 meses de formação na China, mais concretamente na Peking University, Wildiley Barroca falou sobre a importância que tem a língua chinesa para a juventude de São Tomé e Príncipe.

«A China é um país do futuro, um país das tecnologias, mas acima de tudo um país de muitas oportunidades. A República Popular da China visa tornar o país líder das tecnologias da 4ª Revolução Industrial, como inteligência artificial, robótica, Internet das coisas e o padrão 5G de telecomunicações. A experiência chinesa tem lições importantes para São Tomé e Príncipe e o mundo, e nós a juventude devemos aproveitá-las, e falar a língua chinesa é abrir á um mundo de oportunidades …» frisou Wildiley Barroca.

Segundo o líder juvenil para além de ser uma das mais importantes potências económicas do mundo, a China é o país que regista maior crescimento populacional.

Wildiley Barroca-Intervenção no dia internacional de língua chinesa

«Por essas e outras razões se explica que o mandarim é a língua do futuro: não só tem o maior número de falantes no mundo, mas também será uma língua essencial para os negócios e para a economia», acrescentou.

O mundo está a mudar, e o jovem que mantem posição de liderança da juventude nacional, empenha-se em despertar a camada jovem para as oportunidades do presente e para os ganhos projectados para futuro.

Para Barroca, o mundo já está a despertar-se para o futuro do mundo, que cada vez mais está apontado para o ORIENTE. Os são-tomenses não devem ficar de fora.

«Actualmente grandes empresários como Mark Zuckerberg, o criador do Facebook, conhecem o potencial económico da China e, por isso, estudam Mandarim! E tudo indica, é minha convicção profunda, o chinês vai substituir o inglês…», pontuou Wildiley Barroca.

A língua chinesa parece ser uma das ferramentas essenciais para comunicação no presente e no futuro. No anfiteatro da Universidade de São Tomé e Príncipe, foi com muita atenção que a juventude absorveu a experiência partilhada por Wildiley Barroca.

Assistência no anfiteatro da Universidade

«O mandarim é um idioma bastante complexo de se aprender. No entanto, com comprometimento e prática diária, é possível dominá-lo. Pratique sempre, mesmo por conta própria, com livros didácticos, amigos falantes do mandarim ou senão, a melhor opção de todas, se inscrevendo no Instituto Confúcio para frequentar as aulas de mandarim», concluiu.

Juventude de São Tomé e Príncipe, sensibilizada a despertar consciência sobre o rumo que o mundo está a definir para o seu futuro, com a China e o seu idioma, em ascensão contínua.

Abel Veiga

5 Comments

5 Comments

  1. Bruno Costa

    27 de Abril de 2022 at 9:05

    Subscrevo na íntegra o que disse Dr. Wildiley Barroca.

  2. Lucas

    27 de Abril de 2022 at 16:09

    Alguem que me diga como se diz em chinês meter agua no hospital central
    Talvez seja a solução

    • Jfernandes

      28 de Abril de 2022 at 18:45

      So JBJ pode lhe dar essa resposta

  3. Lucas

    29 de Abril de 2022 at 9:39

    JB como whisky está fenomenal
    JBJ deve ser whisky marado ou martelado isto é falso
    Sendo assim prefiro CUCA
    fui

  4. wilson Bonaparte

    12 de Maio de 2022 at 17:10

    ah ah ah ah ah esse daí bebeu dessa bebida feita com destilado de merd4 chinesa

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.

To Top