Política

Funeral de Estado

Segundo uma nota do gabinete de imprensa do Presidente da República Carlos Vila Nova, o corpo do ex-Presidente Evaristo de Carvalho, será sepultado no cemitério de Santana, a sua cidade natal. A última alteração indica que o funeral deve ser realizado no dia 4 de Junho.

Um funeral de Estado que será antecedido por velório. O corpo de Evaristo Carvalho, «vai permanecer na câmara ardente no Palácio do Povo, até o dia do funeral», refere a nota do Palácio Presidencial.

A Assembleia Nacional vai reunir-se solenemente para despedir-se de Evaristo Carvalho. O Presidente da República Carlos Vila Nova, o Presidente da Assembleia Nacional e o Primeiro Ministro e Chefe do Governo deverão se pronunciar na sessão plenária fúnebre.

A nota do Palácio do Povo, esclarece que a cerimónia de despedida do ex-Presidente Evaristo Carvalho, foi organizada e decidida numa reunião realizada no dia 30 de Maio, no palácio presidencial.

O Presidente da República Carlos Vila Nova, e os representantes de outros órgãos de soberania foram os interlocutores na reunião de Estado.

Abel Veiga

2 Comments

2 Comments

  1. Margarida Lopes

    31 de Maio de 2022 at 21:03

    Compadeço com a dor dos familiares. Sinceras condolências, que Deus lhes dê conforto e consolação. Paz nos esplendores da luz perpétua ao malogrado Evaristo.
    Embora o momento não pareça oportuna, mas vou dizer o que penso sobre esta situação que é comum de todos os chefes de Estados africanos, que tratam das suas saúdes e a dos familiares sempre fora do país e a maior deles morrem no estrangeiro ( país alheio ao seu de origem). Até quando vamos ter que assistir a esta situação que parece não ter o dia de terminar.
    Outrossim,é o aspecto FINANCEIRO que acaba nos custando um BALÚRDIO, á nós os contribuintes,pois que tudo se passa no maior LUXO…imaginem a despesa que é :a câmara funerária, as cerimônias fúnebres lugar como a BASÍLICA da ESTRÊLA, os transportes para transladar o corpo etc etc. Tendo em conta o fraco BUDGET do Estado de STP, este funeral vai levar STP á ruina, sem esquecer das cerimônias e das despesas uma vez no país.
    Eís porque convidámos aos homens políticos africanos e são-tomenses em particular, de se juntarem e de porêm as mãos em massa para transformar STP, não em DUBAÏ mas num país onde se pode viver bem, com conforto e tranquilidade nos domínios da EDUCAÇÃO & SAÚDE, porque é de uma importância capital de poder viver, aprender, curar, morrer em STP de maneira DIGNA.No Mali, o último presidente quis sair para ir-se tratar fora ( em França), o PODER que estava na direção do país recusou-lhe redondamente a saída, dizendo-do que o povo nunca saï para ir consultar e tratar-se fora, por essa razão ele também não podia sair e que devia ter pensado em ocupar-se para melhorar a questão da saúde e permitir o bem estar sanitário da população. Ele faleceu no seu país Mali e evitou despesas desnecessárias.
    Reflitam e não critiquem NEGATIVAMENTE, porque estimo que há casos que devem ser tratados no estado de emoção verdadeira e sincera de modos que possa sensibilizar os demais.
    Por favor, publiquem este desabafo que não ofende, que não des-respeita ninguém…até o falecido presidente estaria de acordo com o que vai dito…se ele pudesse voltar.
    Bem haja !

    • Lucas

      1 de Junho de 2022 at 12:06

      Margarida
      pergunta a quem te responda pois a mim ninguém mo diz porque o hospital de referência não tem agua???
      Mas há passadeira vermelha e fanfarra
      prós poderosos quando viajam e viajam muito..

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.

To Top