Política

PR desafia a CEN e as demais autoridades a resolverem a questão do recenseamento eleitoral

O Presidente da República, Carlos Vila Nova que em finais de Março passado, marcou as eleições legislativas, autárquicas e regionais para 25 de Setembro próximo, denunciou a prevalência ainda no seio da classe política do «espírito de deturpar as coisas quando nos convém».

Carlos Vila Nova contesta a indicação dada pela Comissão Eleitoral Nacional de que não será possível realizar o recenseamento de novos eleitores para as eleições de 25 de Setembro e a respectiva actualização dos cadernos eleitorais.

«Tudo indica e tem sido manifestado através da Comissão Eleitoral Nacional que haverá um grupo de novos eleitores que não poderão exercer o seu direito… Não vejo razões que possam justificar a não actualização dos cadernos eleitorais.», frisou o Presidente da República.

Segundo o Chefe de Estado as eleições de 25 de Setembro foram marcadas com antecedência de mais de 5 meses. Tempo definido pela lei para a actualização dos cadernos eleitorais.

«Custa aceitar que aqueles com responsabilidade de exercer de forma digna a interpretação de todo o pacote legislativo, utilizem subterfúgios para dar a entender aquilo que não corresponde a verdade. Temos que ter mais pedagogia e menos demagogia», reforçou.

O Chefe de Estado diz que não aceita a possibilidade de milhares de jovens, e de outros cidadãos eleitores que mudaram de residência, ficaram excluídos do exercício do poder político.

«Mesmo tomando posse a Comissão Eleitoral Nacional, no dia 25 de Junho, era possível fazer a actualização dos cadernos eleitorais. Espero que se encontre a forma mais fluída de se ultrapassar esta questão, e não privar nenhum cidadão de exercer o seu direito constitucionalmente consagrado», pontuou o Chefe de Estado.

Segundo Carlos Vila Nova, os cadernos eleitorais podem ser actualizados através da base de dados do serviço de registo e identificação civil.  

Em declarações à imprensa na Roça Água Izé, e logo depois de ter recebido a juventude da ADI, no Palácio Presidencial, o Presidente Carlos Vila Nova, recordou a azáfama criada pela Assembleia Nacional, no ano passado.

Azáfama política que se manifestou na revisão de toda a legislação eleitoral, com destaque para a abertura de oportunidade aos cidadãos emigrantes para votarem pela primeira vez nas eleições legislativas. Azáfama hoje, refreada com a não realização do recenseamento dos novos eleitores ávidos em mandar nas urnas de 25 de Setembro.

Abel Veiga

13 Comments

13 Comments

  1. Fuba cu bixo

    6 de Julho de 2022 at 9:30

    Qualquer cidadão pode constatar que o governo de Jorge bom Jesus e o Delfim estão de má fé para dificultar a maioria absoluta do Rei,na entrevista do Presidente da comissão eleitoral ele diz que o governo ainda não disponibilizou a verba para aranque dos trabalhos como é que pode? É muita brincadeira.

    • Sofia

      7 de Julho de 2022 at 13:23

      Prefiro um democrata como Dr Jorge bom jesus do que um ditado como pinta cabra. Quem marcou eleições com presa para pinta cabra vir comer povo sao vocês mesmo do pinta cabra.

  2. Abuso tem limite

    6 de Julho de 2022 at 9:42

    Muito bem PR Vila Nova. Essa maioria devia ter vergonha na cara. Um golpe contra a juventude. PR não deixa essa manobra passar. Povo está contigo!

  3. Andorinha

    6 de Julho de 2022 at 10:28

    O Presidente da República tem razão não é preciso ser especialista na matéria para perceber isso, o governo tinha desde princípio do ano para atualizar os cadernos eleitoral por outro lado o Presidente marcou a data das eleições 5 meses antes a culpa é do bana mão e do governo por esta situação .
    Mas S.tomé e Príncipe precisa avançar é tempo de cada instituição fazer o seu trabalho e só um homem para organizar o nosso país e ele esta a caminho de S.Tomé para acabar com abusos.

  4. Sem assunto

    6 de Julho de 2022 at 15:01

    Despejando tudo quanto o mandam decorrar, pois quem viu Vila Nova enquanto ministro e bem a pouco enquanto candidato nas eleições percebe logo de que estes discursos de letrados que vem vincando amiudemente não é da sua autoria, o nosso PR posiciona se como um impostor e dificultador e não uma solução, aliás é ele e todos os outros que dalí passaram nunca souberam o que estão ali a fazer.
    Claramente este posicionamemto tem cor partidária, shamefull Vila Nova!
    Não há escapatória para este país a solução passa pela anulação da Constituição da República, Guiné Conacri, Malí estavam bem a pouco assim e optaram por desmantelar estas redes de mafiosos!!! Chega!!!

  5. Mezedo

    6 de Julho de 2022 at 15:07

    É preciso os lideres do ADI incluindo o PR saver que não é só ADI que tem junventude, é preciso o PR saber que nao vale a pena vir fazer de santinho querendo impor para ajudar ADI,

    Ele nao respeito o conselho dado a quando da auscultação para marcação da eleição.

    Sabe o que tempo material nao é suficiente para fazer recenciamento e atualização do caderno eleitoral.

    Porquê vem dar cho tentando manipular esse PoVo.

    Ja basta disso, seja um presidente da Republica nao presidente de um partido

  6. MANUEL FERNANDES RODRIGUES

    6 de Julho de 2022 at 17:02

    O Governo em vez de estar a criar obstáculos desnecessários devia preocupar melhor com o país que temos.
    As empresas públicas nacionais transformaram em centros de emprego de incompetentes membros dos partidos no poder. Não se admite que a Empresa de Água e Eletricidade já tenha incorporado dezenas e dezenas de militantes do partido no poder que estão lá só a receber salários chorudos sem fazerem nada. Esta empresa para todos os meses milhões a grupos de pessoas que nem sequer trabalham na mesma e vão lá só buscar salários milionários para fazerem campanhas para o partido no poder, MLSTP. São várias pessoas a receberem muito dinheiro todos os meses sem trabalhar. Tribunal de Contas vá a esta empresa ver o que está a passar na mesma com a distribuição do dinheiro do povo. Depois dizem que não têm dinheiro para comprar combustível. É uma vergonha.
    Na ENAPORT com o antigo Diretor, fez das suas e agora está em casa a gozar com os milhões que recebeu de indeminizações feitas por ele mesmo a ele mesmo, assim como os dinheiros de aluguer da sua própria viatura, aluguer de batelões com esquemas etc. Deixou a empresa falida e agora está a disfrutar. Não lhe podiam tirar porque ele ameaçava fazer cair o Governo pois era o Presidente da UDD que faz parte da coligação. Indemnizou a ele e também ao seu amigo que é o Diretor da EMAE. Como é que o país pode avançar assim.
    Estamos feitos ao bife

  7. Carlos Alberto do Espirito Santo

    6 de Julho de 2022 at 18:18

    Vila Nova, voçê jà pagou o que deve ou faz esquecido.

    Esses senhores, ñ cumprem diterminaçāo do tribunal.

    È o chefe Estado a dar exemplo

  8. Mezedo

    7 de Julho de 2022 at 7:54

    Devia e pagar dividas por nao respeitar a prestação de contas da campanha em vez de vir ai mabipular o povo com falácias enganosas.

    Respeita constituição da R.

    E desempenha o seu papel com PR e nao propagandistas do ADI

  9. Eusebio Bwto

    7 de Julho de 2022 at 10:17

    A minha preocupaçao e saber se a decisao da CNE e legal ou nao. Se nao e legal, que se faça o receseamento, Se e legal, nao se faz o recenseamento. As leis sao feita para serem cumpridas. E grave quando os proprios arquitectos das leis nao as cumprem.
    E pior quando os membros dos orgaos de soberania nao se desfazem dos seus uniformes partidarios para tomar decisoes de interesse publico! Nao merecem confiança do povo.
    Enfim

  10. Joao Carlos Silva

    7 de Julho de 2022 at 15:32

    PR devia até ter razão. Mas não o tem. Está faltar com a verdade. Ele em condição normal, antes de usar a sua prorrogativa de marcar as eleições, devia é sim consultar o Governo se estaria preparado ou não financeiramente entre outros para actualizar o recenseamento, mas não o fez e avançou.
    Daí, o Tribunal Constitucional fez o seu papel, e a Assembleia Nacional também o seu de acordo a Lei.
    Agora de quem é a culpa? Se, uma vez marcado as eleições cada um dos órgãos tem que fazer a sua parte. E agora? Como?

    • E

      11 de Julho de 2022 at 11:31

      Antes de marcar as eleicoes deveriam verificar se estavam reunidas todas as condicoes para as mesmas,incluindo as actualizacoes dos Cardenos eleitorais e tb a parte financeira..por outro lado somos humanos e alvezes eramos..

  11. mezedo

    13 de Julho de 2022 at 8:26

    O gajo esta com pressa para seu homologo entrar e desgraçar esse país.

    Eles estão achando que vão ganhar com maioria.

    Deus sabe quem é esse Gatuno fugitivo, intriguista e ganancioso.

    E nós estamos aqui a espera dele, que venha mostrar essa carra de trovão

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.

To Top