Economia

BAD aprova mais de mil milhões de dólares para produção alimentar em África

Mecanismo visa 20 milhões de pequenos agricultores para acabar com a dependência de alimentos importados da Rússia e da Ucrânia.

ABIDJAN, Costa do Marfim, 19 de julho 2022/ — O Conselho de Administração do Grupo Banco Africano de Desenvolvimento (www.AfDB.org) aprovou 24 programas rápidos para ajudar África a mitigar a subida dos preços dos alimentos e a inflação causada pela guerra da Rússia na Ucrânia, as alterações climáticas e a pandemia de Covid-19.

A primeira ronda de aprovações faz parte do arrojado Mecanismo Africano de Produção de Alimentos de Emergência, no valor de 1,5 mil milhões de dólares, criado em maio para impulsionar a segurança alimentar, a nutrição e a resiliência em todo o continente.

O Mecanismo proporcionará a 20 milhões de pequenos agricultores africanos sementes certificadas, maior acesso a fertilizantes agrícolas, e apoiará a governação e as reformas políticas para encorajar o investimento no setor agrícola africano. Espera-se que o Mecanismo Africano de Produção Alimentar de Emergência permita aos agricultores africanos produzir 38 milhões de toneladas adicionais de alimentos nos próximos dois anos – com um valor estimado de 12 mil milhões de dólares.

A partir de 15 de julho, o Conselho de Administração do Grupo Banco aprovou um total de 1,13 mil milhões de dólares em financiamento de programas de mecanismos de emergência que visam 24 países: 8 países na África Ocidental; 5 na África Oriental; 6 na África Austral; 4 na África Central e 1 na África do Norte.

“Esta é uma semana marcante para o Banco e para o Mecanismo Africano de Produção Alimentar de Emergência”, disse a Dra. Beth Dunford, Vice-Presidente do Banco para a Agricultura e Desenvolvimento Humano e Social. “Estes programas fornecerão sementes muito necessárias e adaptadas ao clima, acesso a fertilizantes a preços acessíveis e introduzirão reformas políticas para permitir ao setor agrícola fornecer soluções imediatas e a médio e longo prazo para os desafios enfrentados nos países membros regionais”.

O Mecanismo Africano de Produção Alimentar de Emergência está a conceber programas para responder a pedidos de mais países do continente.

O Mecanismo do Banco centra-se em culturas básicas que muitas nações africanas importam em grande parte da Rússia e da Ucrânia. No entanto, o conflito Rússia-Ucrânia deixou o continente confrontado com um défice de pelo menos 30 milhões de toneladas de alimentos. A implementação bem-sucedida do Mecanismo permitirá a entrega de 38 milhões de toneladas de alimentos, excedendo a quantidade importada dos dois países. Através desta Facilidade, os agricultores africanos produzirão aproximadamente 11 milhões de toneladas de trigo, 18 milhões de toneladas de milho, 6 milhões de toneladas de arroz e 2,5 milhões de toneladas de soja.

O programa basear-se-á no notável sucesso da plataforma do Banco Tecnologias para a Transformação Agrícola Africana (TAAT). Lançada em 2019, a TAAT entregou variedades de sementes de trigo tolerantes ao calor a 1,8 milhões de agricultores em sete países. Também aumentou a produção de trigo em 2,7 milhões de toneladas, avaliadas em 840 milhões de dólares.

Lista completa dos países beneficiários do primeiro lote de aprovações:

África Ocidental (8) : Senegal, Libéria, Níger, Togo, Serra Leoa, Gâmbia, Costa do Marfim, Nigéria.
África Oriental (5) : Tanzânia, Quénia, Burundi, Sudão do Sul, Somália
África Austral (6) : Essuatíni, Madagáscar, Maláui, Zimbabué, Zâmbia, Moçambique.
África Central (4) : República Centro-Africana, Chade, República Democrática do Congo, Camarões.
África do Norte (1) : Egito

Para mais detalhes sobre o Mecanismo Africano de Produção de Alimentos de Emergência, clique aqui : (https://bit.ly/3RWn41Y) – https://bit.ly/3RWn41Y

Distribuído pelo Grupo APO para African Development Bank Group (AfDB).

FONTE
African Development Bank Group (AfDB)

FAÇA O SEU COMENTARIO

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.

To Top