Política

ADI reafirma a política de uma só China e chama atenção do mundo

O maior partido político de São Tomé e Príncipe na oposição, emitiu um comunicado nesta segunda-feira 8 de agosto, para reafirma que só há uma China, e apelar os países com responsabilidade acrescida na geopolítica mundial, para pararem de reanimar conflitos.

«Preocupado com o recente reacendimento das tensões entre a República Popular da China e os Estados Unidos da América, provocado pela visita da congressista norte americana Nancy Pelosi, terceira figura do Estado americano, ao território de Taiwan, reafirma o seu posicionamento relativo ao respeito da política de uma só China, e apela a todos os países, e principalmente aqueles com responsabilidades acrescidas na geopolítica mundial, para que não assumam condutas que e animam conflitos, constituam ingerências em assuntos internos dos outros Estados e ponham em causa a soberania e a integridade territorial de Estados membros das Nações Unidas», diz o partido ADI.

ADI é liderado por Patrice Trovoada, o ex-Primeiro Ministro que decidiu no ano 2016 retomar as relações diplomáticas entre São Tomé e Príncipe e a China, após 20 anos de reconhecimento de Taiwan como Estado soberano pelo arquipélago africano.

São Tomé e Príncipe havia reconhecido Taiwan no ano 1997, e por decisão política do ex-Presidente da República Miguel Trovoada, por sinal pai de Patrice Trovoada.

ADI, defende uma só China, e diz a comunidade internacional que o mundo precisa de paz.

«Ao reafirmarmos a nossa solidariedade com a República Popular da China e o seu povo, aproveitamos relembrar a todos os membros da comunidade internacional que o mundo precisa de paz, e de priorizar esforços conjuntos e sinceros para fazer face aos actuais grandes desafios ambientais, de saúde pública, de segurança e de justiça social que as populações enfrentam», concluiu o partido Acção Democrática Independente (ADI).

Abel Veiga

7 Comments

7 Comments

  1. Professor

    8 de Agosto de 2022 at 18:20

    A língua Portuguesa tem uma expressão para este tipo de políticos que existem em São Tomé que é “o amigo da onça”

    • Margarida Lopes

      9 de Agosto de 2022 at 2:00

      ADI não é o maior partido em STP embora tenha no seio deles os TRAIDORES da PÁTRIA militantes do maior partido do país a JOTA-MLSTP Varela, Gabriel Costa (já foi corrido), Baluba, LÉVY NAZARÉ, Agostinho, Abnilde, Américo Ramos etc.
      O foragido fdp Patrice TROVOADA continua sendo o GURU-ADI que comanda os seus comparsas que trabalham pra ele no terreno.

  2. Maria Custódia

    9 de Agosto de 2022 at 10:34

    Vendidos, corruptos e sem espinha dorsal. Já se vergaram ao novo amo Chinês, ajoelha-se e beijam-lhes a mão…. Desgraçado país sem escrúpulos nem decência. Taiwan é uma democracia, a China é uma tirania, vejam bem quem o ADI bajula e contiuem a votar nestes trsates.

  3. mezedo

    9 de Agosto de 2022 at 14:02

    Manda chamar o PT que mandou matar o individuo para vir a justiça.
    o malandro só quero maioria absoluta para vir porque tem medo de ser apanha, mas estamos aqui chega e vamos te esfolar.

    • Margarida Lopes

      10 de Agosto de 2022 at 2:11

      Mezedo vamos fazê-lo juntos…criminoso como este senhor Patrice TROVOADA merece ser julgado e condenado. Vamos fazer o necessário para que esta justiça tenha lugar…é URGENTE.

  4. Edson Neves

    9 de Agosto de 2022 at 14:13

    Trágico pronunciamento, quer dizer então que o ADI concorda com a repressão empreendida pelo Partido Comunista Chinês ao seu povo! Ratifica às perseguições e desaparecimento de opositores (inclusive fora da China por intermédio de polícia secreta e diplomatas), aos trabalhos forçados em prisões secretas, às torturas e ameaças? Concorda com o sofrimento das minorias uigur e tibetana? Quer que um povo ( 23 milhões de pessoas) que vive a décadas sob a regime democrático simplesmente se submeta ao jugo do Partido Comunista Chinês? Um Estado que reúne todas as condições para reconhecimento de um Estado soberano (povo com sentimento de identidade (pertencimento à Taiwan e não à China), um governo e um território (agregando-se a esses elementos: um exército , uma moeda, sua própria economia), em resumo sua própria estrutura organizacional se renda aos caprichos do Partido Comunista Chinês e perca liberdade à semelhança do ocorreu em Hong Kong e a Macau? Esse tipo de manifestação embora seja obviamente liberdade de expressão e que deve ser respeitada, mas também deve ser criticada porque revela que ADI enquanto partido político que deveria ter compromisso com a defesa dos direitos humanos ( função dos partidos políticos nas verdadeiras democracias) naturaliza violação dos direitos humanos. Porquê o ADI não se posiciona de maneira pública e enérgica contra as atrocidades praticadas pelo Partido Comunista Chinês contra seus opositores? Será que é simplesmente oportunismo? Ou se identifica com o modus operandi do Partido Comunista Chinês? Qual é a verdadeira intenção do ADI pisando em ovos?
    O ADI não deveria se meter nessa briga de “gente grande” (EUA x CHINA)! Quer debater uma questão sensível, faça uma mesa redonda, chame especialistas em geopolítica, estrategistas em política internacional, em segurança, estratégia militar e debata de maneira imparcial, oportunidade para diversos posicionamentos. Deixem de politiquice porque isso não engrandece São Tomé e Príncipe enquanto Estado que pretende ser verdadeiramente ” Estado de Direito”.
    Obrigado, Abel Veiga, por esse espaço para manifestação de pensamento apesar da falta de incentivo do Estado Santomense.

  5. Miquelina Constâncio

    9 de Agosto de 2022 at 14:55

    ADI chama a atenção do Mundo? Deixem-me rir… que belos postais este políticos actuais….

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.

To Top