Política

OGE – Partidos preocupados e o Conselho de Concertação Social em silêncio

O primeiro-ministro Patrice Trovoada conversou com os partidos políticos com representação parlamentar sobre o conteúdo do Orçamento Geral do Estado para 2024. Todos manifestaram-se preocupados com o facto de o governo ainda não ter conseguido acordo com o FMI para a facilidade de crédito alargado.

No mesmo dia, última quinta – feira, o primeiro-ministro reuniu o conselho de concertação social. Após 3 horas de reunião, nenhum membro do conselho quis falar à imprensa. Silêncio pesado que prenuncia dificuldade de entendimento. No entanto, recentemente as centrais sindicais tinham exigido ao Primeiro-ministro o aumento do salário mínimo nacional.

A Central Sindical UGT-STP numa carta endereçada ao Primeiro-ministro, avisou que a recusa em aumentar os salários para conter o aumento do custo de vida poderá provocar uma paralisação do país no próximo ano.

Na agenda de auscultação do Chefe do Governo, a coligação MCI/PS-PUN foi a primeira a ouvir as explicações do governo sobre o projecto do orçamento geral do Estado para o ano 2024. A coligação que apoia o governo chegou a conclusão de que sem o acordo com o FMI, o orçamento do Estado não terá sustentabilidade financeira.

«É certo que a partir do acordo com o FMI abrimos as portas para os outros parceiros visando garantir o financiamento e a sustentabilidade real do nosso orçamento. Mas a falta do acordo, não faz com que não apresentemos o orçamento. Temos que ter um país virado para dentro. Temos de trabalhar com a realidade santomense, para permitir que possamos alavancar o país a partir de dentro, a partir de nós mesmos», declarou Adalberto Catambe membro da direcção da coligação MCI/PS-PUN.

A coligação aconselha o país a virar-se para dentro, e o seu parceiro na governação, o partido ADI, avisa que São Tomé e Príncipe tem que aprender a viver um dia de cada vez.

«Vamos focar no dia a dia na questão da movimentação do próprio país, para ultrapassarmos os pontos de estrangulamento com o FMI e podermos dar continuidade a governação», precisou Orlando da Mata, vice-presidente da ADI.

O maior partido da oposição, o MLSTP, também ficou preocupado após ouvir as explicações do Primeiro-ministro, sobre o projecto do OGE para 2024.

«Desde já avançámos que pela explicação que foi dada que 2024 será um ano mais difícil. A razão simples, é porque até então o governo não chegou a acordo com o FMI», pontuou Arlindo Barbosa, vice-presidente do MLSTP.

O primeiro-ministro Patrice Trovoada justificou a falta de acordo com o FMI,  com o GAP Externo. O chefe do governo reconheceu que  sem o entendimento com o FMI, o país terá mais dificuldades na atracção de investimentos privados e de créditos concessionais.

«Se você tem dificuldade de ter um acordo com o FMI, os parceiros até privados dizem …Sem acordo não sabemos se este país está a ser bem ou mal gerido», afirmou.

A dificuldade em fechar o acordo de facilidade de crédito alargado tema  ver com a falta de dinheiro para importar os combustíveis.

«Há momento que você chega a um ponto nas negociações que não se avança. Pode haver um ou outro factor que possamos avançar. Agora não podemos protelar a questão do orçamento. Fazemos o orçamento, e considerando que não temos acordo com o FMI significa que não vamos ter recursos, vamos continuar a discutir», frisou Patrice Trovoada.

Na sexta-feira, o governo entregou ao parlamento o projecto do orçamento de Estado para 2024.

Abel Veiga

3 Comments

3 Comments

  1. Povo

    17 de Dezembro de 2023 at 5:57

    A continuidade deste governo não tem lógica nenhuma. Haverá paralização porque não vai dar para que a Central Sindical UGT-STP engane o nosso povo. Por isso, julgo que se terá que fazer pronunciar publicamente, e meticulosamente, sem fechar os servicos de emergência para ajudar a nossa população.
    Como é possible um grupo de mulheres e homens livres do conselho de concertação social ficarem todos hepinotisados após 3 horas de reunião perante o Patrice Trovoada! Isto não é normal! Extraterrestrial…
    Credo credo. Em nome do Pai, do Filho, e Espirito Santo.

    O conteúdo do Orçamento Geral do Estado está mal contado.
    Patrice Trovoada tem que aprender a viver um dia de cada vez, e deixar de viajar atoa.

    O governo não vai chegar a acordo com o FMI enquanto Patrice continuar a rir, e o FMI manter-se cara mamão!
    GAP Externo zôplô tãn.
    Já deziamos que o País terá mais dificuldades na atracção de investimentos privados e de créditos concessionais. Agora acreditam em nós?
    O País está a ser mal gerido.
    Não há dinheiro para importar os combustíveis, mas há dinheiro para roubar, viajar e fazer corrupcão, não é? Demita-se, Patrice Trovoada. Nāo precisas disso, meu senhor. Já roubaste suficientemente. Deixa! Vai embora!
    As negociações não se avançam porque tu nāo és honesto. Deixa de roubar e pôr povo a padecer!
    Vais continuar a discutir com as paredes até que os recursos roubados voltam aos cofres do Estado.

    Patrice! Como é que vais dar ao parlamento um projecto do orçamento de Estado para 2024 sem fundos, sem dinheiro, sem recursos para o suportar? Isto é uma maluquice, Este individuo não está bem.
    Isto é sério!

    Eu estou muito preocupado contigo, Patrice. Vende essa casa em Lisboa e trás alguma grana de volta para São Tomé e Príncipe, por favor.

  2. Tudo que o povo disse, está patente neste artigo. Bom trabalho, Sr. Abel Veiga. Parabéns!
    É imperativo se fazer uma auditoria total deste País para todos nós sabermos porque razão São Tomé e Príncipe está nesta situação tão precária. Deixa-me as lágrimas nos olhos.

    O resultado da auditoria financeira deverá ser posta ao público para se ver, ler, e saber quanto dinheiro entra, entrou; quanto sai, saiu, e quanto Patrice e os seus amigos, e outros roubam, e têm roubado desde 12 de Julho de 1975.

    Qual é o valor ou seja, o montante de valor em dinheiro cada Santomense deve?
    A equação é muito simples.
    Basta contar o número total da nossa população, e adicionar todas as dívidas internas e as dívidas externas que temos com todos os nossos parceiros (FMI+Banco Mundial+BAD+Sonangol+dívidas com China+Portugal+X+Y+Z+Etc+Etc+Etc)= Total

    Por exemplo, se o total de todas as dívidas chegue a uma soma total de Um Bilhão de US Dollars, imaginemos, então dividir este montante com o número total da nossa população:

    A = Número total de população de STP
    233929 aproximadamente

    B = Montante total de todas as dívidas (quantidade estimada apenas para o propósito de calculação, e não é o montante atual porque Patrice não vai deixar mostrar as folhas de conta). Por exemplo
    $1,000,000,000.00

    C = é aproximadamente o valor que cada um de nós deve

    C = B/A

    C = 1000000000 : 233929
    C= $4274.80

    Até um bébé Santomense que nasceu na semana passada também deve. Tem dívida para pagar.
    Chama-se dívida per capita, por cada cidadão.

    As primeiras operações de crédito do país começaram desde 1978.

    Se os países africanos devem mais de 655,6 mil milhões de dólares ($655,600,000,000.00) a credores externos em 2022, então São Tomé e Príncipe poderá dever muito mais do que apenas mil milhões de dólares, ou seja Um bilhão ($1,000,000,000.00). Especialmente, considerando que STP literalmente não tem activos de valor para contrabalançar as dívidas, o seu orçamento anual depende na maior parte da ajuda externa. O país não produz o suficiente para gerar riqueza e acumular rendimentos. E, com a corrupção e os desvios de dinheiro sem contabilidade nón ká bílá dónóxadu. Paciência é. Leve leve só…

    Se alguém tiver algo a acrescentar ou esclarecer, que contribua.

    Atenção: Gente converte esse dinheiro em Dobras é!

    Por esta e outras razões é necessário fazer
    auditoria financeira de má gestão e corrupção com o dinheiro do povo.

    Este processo contabilístico de análise das contas de São Tomé e Príncipe tém como o objetivo principal avaliar se o Patrice Trovoada cumpre com as normas contabilísticas a que lhe está obrigado, considerando a natureza de atividade corrupta de Patrice. É uma prática vital para se pôr as contas do Estado em dia.

    Quando se pretende uma boa gestão do nosso País, independentemente do volume de negócios clandestinos, é imprescindível fazer revisão constante para demonstrar quanto dinheiro Patrice o gangue dele roubam anualmente.

    Esta revisão assenta numa análise detalhada dos movimentos financeiros das ajudas e financiamentos, transações com as vendas de drogas do navio apreendido e as operações duvidosas que se efetuam à todos os níveis dentro do País. Nomeadamente analisando transferências bancárias de Patrice Trovoada e outras transações corruptas.

    Patrice Trovoada não se encontra disponível para fazer os pagamentos de dívidas aos fornecedores que fizeram empréstimos de dinheiro à São Tomé e Príncipe. Ele sim gosta de dar remunerações aqueles que roubam com ele; os chamados “colaboradores de corrupção.” Compra-se carros novos para boa vida e exibir, estradas com buracos, sem dividendos ao País. A lista das “makas”com dinheiro do povo é muito longa.
     
    Matemática tem que entrar. Um País que realiza com frequência análise e condições económicas e financeiras regularmente tem informação real sobre as suas finanças e pode assim antecipar algumas situações. Por exemplo, fraudes e viagens desnecessárias. Porque realmente essas viagens não têm trazido benefícios à São Tomé e Príncipe. Nomeadamente no que diz respeito à fome, miséria, e a dor que o povo sente todos os dias. Os pescadores reclamam sobre a situação dos peixes no nosso mar territorial. Ausência! Os parceiros da Europa e da China levam quase todo peixe. Não há garantia que a situação interna do nosso mercado salvará o povo.
     
    Em conclusão, interessa-me entender se a matemática, as folhas de conta, a contabilidade, os recibos, as faturas, as dívidas, os pagamentos estão atualizados. Perceber que auditoria financeira é bom para São Tomé e Príncipe, e este processo de investigação sobre a saúde económica e financeira do País beneficia-nos se ela for feita de forma contínua.
    Dada a exigência e complexidade sobre o que se fazer relativamente a corrupção, chega altura para se terminar com está prática elícita em São Tomé e Príncipe.
    O País está em risco. Detectar, prevenir, e punir situações de fraudes, roubos, furtos, corrupção, etc., dará bons resultados, e STP e o seu povo terá um futuro mais risonho.
    Fico muito triste com este problema com o Orçamento Geral do Estado porque quem sofre é o povo, e não aqueles que roubam e roubaram o País.
    A partir de hoje em diante temos que tomar mais sérios com a situação do dinheiro, da massa, da grana, dos kumbús do nosso País e punir aqueles que nos roubam -daquilo que é o nosso património do Estado. Não há razão para que cada um bébé Santomense inocente de tudo isso dever assim tanto dinheiro!
    Essa coisa de OGE é coisa de praga para nós tomarmos mais sério com a gestão das nossas belas ilhas abençoadas de beleza natural e paisagens como um paraíso.
    Patrice vai, deixa outras pessoas mais competente gerirem o País. Tu não és competente, e mentiste o povo.

  3. EX

    19 de Dezembro de 2023 at 9:53

    Pais mal gerido todos sabem, mas o verdadeiro motivo da resistencia do FMI é que poucos sabem.
    OGE sem fundo para ser executado. Uma palhaçada, o PM o tal PT que andou a viajar tanto e tanto, com conversas de estar a ir atras de fundos e financiamentos, todas essas viagem veio de mão e mala vazia?
    E para piorar so gastou dinheiro do povo, ainda tem labias de dizer que pais esta parado e em dificuldades.
    Isso no bom Português se chama incopetencia.
    Monte mais monte mesmo, em STP sabe quando se chama coisas de monte, acho que sabem. Esse monte de M. de Ministros caras de cu, com orelhas de lebres e funhos de pestus andam la nos Ministerios a fazer nenhum, simplesmente a espera do tal PT dizer ou ordenar, ate chego a perguntar esses gajos andaram a estudar pra quê? Parecem mumias.
    Ninguem tem coragem de levantar e dizer esse PM que ele esta errado e esta a gerir mal o pais, e a complicar o que ja esta complicado, ou que ele mude de Postura ou peça demissão. e vai viver la pra outras bandas e deixar esses pais ser gerido por quem o ama de verdade.
    Pais de Brinca Brincando

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

To Top