Política

Presidente da República preocupado com o atual quadro económico e financeiro de STP

O Presidente da República pintou de negro o atual quadro económico e financeiro de S. Tomé e Príncipe.

«O estado santomense permanece em constantes incertezas sobre as suas finanças públicas já de si periclitantes, num contexto caracterizado pela fraca exportação que se resume à exportação de produtos agrícolas para o mercado internacional, pela necessidade de importar grande parte de bens de consumo e de produção, pelo baixo valor facial da moeda, reservas cambiais baixas, completa dependência energética, fraca gestão administrativa e fiscal».

Segundo o chefe de estado, Carlos Vila Nova, a estrutura do PIB reflete a fragilidade da economia do país.

«O setor primário permanece dominado pela produção e exportação do cacau e mais recentemente do óleo de palma. A produção de outros produtos agrícolas de exportação, copra e café, caiu de forma acentuada. A atividade agropecuária também diminuiu significativamente em relação ao PIB. O setor secundário representa uma ínfima porção do PIB, incluindo energia e construção civil. O sector manufatureiro caracterizado por uma indústria frágil e subdesenvolvida pesa muito pouco na economia do país».

O Presidente da República avançou ainda que “o peso do setor terciário domina amplamente o PIB, mais de dois terços, assente predominantemente no comércio, transporte, comunicações, administração pública e em menor grau, a educação e saúde”.

Carlos Vila Nova discursava no II fórum dos economistas de S. Tomé e Príncipe.

«As políticas públicas nos sectores socioeconómicos precisam de instrumentos adequados para o debate, planeamento e controlo. Por isso, é de se destacar, uma vez mais, a importância desse tipo de evento, onde especialistas se reúnem para analisar e debater questões sociais e económicas» – destacou Vila Nova.

O fórum de dois dias tem como o lema «desafios económicos de S. Tomé e Príncipe face aos choques sobre o comércio externo e deterioração das condições financeiras globais».

José Bouças

11 Comments

11 Comments

  1. Original

    22 de Maio de 2024 at 3:22

    Coitado deste Senhor que está inocente de tudo quanto existe à sua volta.

  2. Antonio Fernandes

    22 de Maio de 2024 at 7:07

    A culpa é dos colonizadores, os quais já saíram de Stp faz 50 anos!!!!!!

  3. santomé cu plinxipe

    22 de Maio de 2024 at 7:42

    Infelizmente Sr º Presidente, as suas preocupações chegam muito tarde, o POVO já não acredita no senhor, uma deceção total, “o Garante sem Garantia”, Massacre e o Sr º permaneceu “mumu”, que estranho….

  4. Santo

    22 de Maio de 2024 at 8:33

    O PIB é fraco e não suporte a importação dos bens da 1ª necessidade, mas suporta viagens semanais do PT com avultados subsídios para boa vida. O País está afundar-se pouco a pouco. Não está a ter dó desse povo. É solução.

  5. Mepoçom

    22 de Maio de 2024 at 10:17

    Reconhece no olhar do presidente a incerteza! Proclamamos a independência a contar com quem para trabalhar no sector primário que é o pilar da economia do país? Já não existe escravos obrigados, ou iria buscar cabo veríamos como no passado? Nacionalizamos as riquezas coloniais não fomos capazes de gerir acabando por megalhar as grandes propriedades, hoje no estado de abandono, o mundo rural que deveria ser a força motriz da produção está na cidade a andar dum lado p’ra outro como barco à deriva. Para quem conhece os caucasais, cafesais cocosais e outros que constituem a nossa economia só restam lamentações. Aos menos que soubessemos gerir os recursos externos infrastuturando o país. Basta ver a recente história do príncipe que há décadas deixou de produzir o cacau por falta de comprador, mas não é a falta de comprador, mas sim o transportador. No passado havia rebocador que renovava os batelões carregando do príncipe para os descarregar nos navios carregueiros, hoje nem temos um rebocador para descarregar contentores no alto mar para terra senão por via de aluguer. Para destruir é fácil, agora para reconstruir é que é história. Qualquer país que importa mais e exporta quase nada está condenado a fome e com consequências a banca rota. Deus que nos livre.

  6. Renato Cardoso

    22 de Maio de 2024 at 11:57

    E a preguiça crónica!

  7. José de Carvalho

    22 de Maio de 2024 at 17:08

    Um pai que só passa a vida a endividar-se para o sustento da família,jamais poderá pensar na prosperidade.
    Os créditos e dadivas deviam ser investidos de modo a criar riquezas.
    Devía-se investir na agricultura em vez de destruí-la como fizeram em no ano de1990.
    A partir de aí,apostamos em pedir esmolas,créditos e sonhos(petróleo).
    A culpa é da comunidade internacional que continua sustentando este país,sem controlo.
    O dinheiro vem de diversas fontes e só se nota viagens consecutivas,carros de última geração,convívios milionários,etc,e a degradação sumária do País.
    Espero desta for ter contribuido para uma boa reflexão sobre a situação de meu País.

  8. Mariana Mortágua da Banda

    22 de Maio de 2024 at 17:20

    O “atual quadro económico e financeiro de STP” tem sua origem no colonialismo e no racismo de Portugal. É complicado.
    Nós os portugueses somos muito racistas. Temos de reconhecer este mal e mudar. Digo-vos: O racismo é mau e não presta para o povo Português e para o povo Santomense!

  9. Vanplega

    23 de Maio de 2024 at 4:02

    Este nunca esteve preocupado com o que em Sao Tome e Principe
    Sim ñ vejamos:

    25/11/22

    Assinatura de vàrios contratos que leza Sao Tome e Principe

    Ñ hà uma luta contra CORRUPÇĀO, transparência da coisa publica.

    Tenho um caixeiro viajante, que sò distrui familia, roubo, crime que aumenta no paìs.

    E o Presidente diz que està preocupado!
    Se ele nada faz, so contribui para essa desgraça.

    O Evaristo è muito melhor que o senhor.
    Ele ( Evaristo) demonstrou amar este paìs

  10. Luiso

    23 de Maio de 2024 at 8:26

    Situação completamente irreversível….
    Sem futuro…

  11. Almicar Santos

    23 de Maio de 2024 at 17:02

    Um cidadão escreve senhor carta aberta pra senhor lê. Agora é que senhor tá precupar? Como senhor está pricupado más com sua vida senão senhor não disse nada só. Isso é brincadera Sán Tome tá fundar mais.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

To Top