Política

Aeroporto internacional foi concedido a FB Group da Turquia por 49 anos

O governo de São Tomé e Príncipe concedeu o aeroporto internacional Nuno Xavier a uma empresa turca. O contrato de concessão diz que a empresa FB Group vai investir mais de 300 milhões de euros na remodelação de toda a infra-estrutura aeroportuária, e em consequência deve explorar o rendimento do negócio, por um período de 49 anos.

José Carvalho de Rio – Ministro das Infraestruturas e Recursos Naturais

José Carvalho de Rio Ministro das Infraestruturas e Recursos Naturais anunciou que o acordo de concessão do aeroporto internacional de São Tomé e Príncipe à empresa turca FB Group, foi assinado no último sábado 8 de junho, na sala de reuniões do seu ministério.

Nenhum órgão de comunicação social, foi convidado para registar a cerimónia.

«O contrato foi assinado e é remetido ao tribunal de contas para os devidos efeitos, e a partir daí expedientes serão encetados no sentido de se fazer a logística para o início das obras. Tudo indica que as obras poderão ter início dentro de 2 a 3 meses», garantiu o ministro.

Após a validação pelo Tribunal de Contas, a empresa turca FB Group inicia as obras de modernização do aeroporto. Segundo o ministro os terminais de carga e de passageiros vão ser modernizados, assim como todas as outras unidades.

Pista do aeroporto internacional

O projecto vai evoluir em três fases e com um investimento de mais de 300 milhões de euros.  José Carvalho de Rio, acrescentou que a primeira fase vai custar 86 milhões de euros, e nesta altura o acordo prevê que o aeroporto internacional tenha capacidade para acolher 500 mil passageiros por ano. A segunda atinge os 120 milhões de euros, e já com a recepção de 1 milhão de passageiros por ano. Na terceira fase o investimento turco deverá atingir os 144 milhões de euros.

O contrato de concessão dá à empresa da Turquia o direito de recuperar o investimento a ser feito, por um período de 49 anos. «Vai depender da entrada dos passageiros, mas prevê-se para 49 anos…exacto, exacto», pontuou o ministro das infra-estruturas e recursos naturais.

Por outro lado, o Ministro das Infraestruturas disse que não sabe se o grupo privado da Turquia a que foi entregue o aeroporto internacional, é o mesmo que já está a administrar a central térmica de São Tomé.

«A empresa que administra a central térmica é a empresa TESLA. E esta é a FB Group. Eu não sei se tem alguma ligação», frisou.

Capital turco domina o sector da energia e o aeroporto internacional de São Tomé e Príncipe. 

 Abel Veiga

23 Comments

23 Comments

  1. Edson Neves

    11 de Junho de 2024 at 23:34

    Como é possível um contrato celebrado pelo Estado sem que a Imprensa e a sociedade tenha ciência? Nem mesmo o fantoche do ministro sabe explicar com clareza o que se passa? Por quê sigilo em algo que é de interesse público? Escondendo o quê? Falta de transparência? Aí tem coisa…depois veremos…

    • People! Come on!

      12 de Junho de 2024 at 19:40

      You are tripping. It’s pathetic.
      Não se deixem distraídos.
      O foco sempre no país e no povo e é só assim que vai dar.
      Distrair com as divergências de personalidades das pessoas não nos leva ao lado nenhum.
      Patrice Trovoada é um mal para São Tomé e Príncipe.
      Sem Assunto quer Patrice fora da grota. É imprescindível focarmos neste alvo.
      Combater os corruptos e as bandidagens dentro do território nacional, elevar e instruir o povo, e melhorar o país.
      Não vamos nos ausentar no objetivo comum que todos nós almejamos.

      A verdade é sim, comeram o dinheiro do Aeroporto Internacional
      Temos de apanhar o culpado ou os culpados/as e castigar os que fizeram trafulhas. Ou apresenta conta e esclarece ao povo, ou vai para prisão/cadeia ou povo mata! Não há outra via.
      Brincadeira tem horas. Agora não é hora para brincar.

    • MEZÉÉÉDO II

      12 de Junho de 2024 at 20:25

      Kêi! Esse Mezedo
      Credo
      Rapaz não é…

    • MEZÉÉÉDO II

      12 de Junho de 2024 at 20:27

      Mezedo não da…

    • Caranguejos Dentro do Barril de Pólvora

      12 de Junho de 2024 at 20:49

      Quando estamos todos atrapalhados dentro de um barril como os caranguejos apanhados com a rede de armadilhas a quererem sair e fugir com covardia e com os ataques uns contra os outros para se safarem sem olharmos a nossa volta e sem estarmos interessados no interesse comum, o que acontece é o seguinte: todos afundamos em conjunto.
      A estratégia de coesão, de união entre nós e condição sine qua non, coisa mais útil e digna e o rumo mais efetivo que é fazer cair o barril. E assim todos saímos bem em liberdade fora do barril.
      Não perdem o foco, minha gente querida!
      Focalizem na destruição dos corruptos e corrupção.
      Distraídos, todos perdemos.

      Crabs in the bucket…

  2. ANCA

    11 de Junho de 2024 at 23:49

    Andamos a vender o país território população, administração, mar e rios a retalho, pela nossa incapacidade e incompetência se for para o bem que assim seja, mas o risco é enorme.

    Perca de soberania

    Tudo que o país, território, população, administração, precisa e de união, trabalho, organização, justiça e rigor.

    Andaram todos estes anos a aproveitar da ajuda dos outros sem desenvolver o que de essencial tinha, para alavancar a economia, vaidades e mais vaidades, robalheiras atras de roubalheiras, foram-se avisados varias vezes aqui.

    Casa onde falta pão todos ralham ninguém tem razão. É a fome, a pobreza, a miséria mental e material a reinar, enquanto vivem a grande e a francesa, com dinheiro extraído do povo, onde andam os seus ex ministros, nomeadamente Osvaldo Abreu.

    Tudo o que o país, precisa é de estabilidade, unir esforços para ultrapassar esta situação que vem de longos anos atrás, dividas, mais dividas,…povo na miséria, este é o tempo de soluções, jamais de intrigas políticas

    Sim hoje é tempo de sacrifício

    Necessário sim para que se possa viver bem amanhã
    Daí a importância estratégica de fortalecer o sector das estatísticas-INE- do País, território, população, administração, mar e rios.

    Como disse e bem o Ministro da agricultura;

    «O recenseamento agrícola vem ajudar-nos a compreender melhor, como estão os agricultores, quantos são e onde estão. Se não tivermos as estatísticas não vamos conseguir responder melhor os desafios que temos pela frente»

    Como disse e bem o representante da FAO-Athman Mravili;

    “Sem dados estatísticos não será possível planear.”

    Relativamente a situação difícil de falta de financiamento e divisa, GAP-interno/externo.

    Antes de mais convém ter sempre presente a palavra e conceito de segurança e sustentabilidade em qualquer projeto que pretendemos levar á cabo.

    Necessidade de conhecer melhor o país, território, população, administração, mar e rios, suas vantagens e desvantagens

    São Tomé e Príncipe, pequeno estado composto por duas ilhas e alguns ilhéus, 1001 km2, população- cerca de 250 a 280 mil habitantes

    Localizado na linha do Equador centro do mundo, posição geoestratégica para seu desenvolvimento sustentável, de recordar que ao norte grandes centros de decisão, de comercio, de informação, de industrias, de tecnologias, Europa América do Norte, á oeste África, África do Norte, África Central, África Subsaariana, mercado do golfo da guine com mais de 300 milhões de pessoas com necessidades a satisfazer, com ênfase para Angola, Nigéria, Camarões, Congo, Gabão, Guine Equatorial, etc.,….á este o mercado do Mercosul, com ênfase para o Brasil, sem falar nas ligações históricas com a China, etc.,…o que implica melhor organização rigor e trabalho interno.

    Somos um País com dupla insularidade interna/externa, temos mar atlântico a volta, isto tem vantagens e desvantagens.

    Sendo um país, território, população, administração ,mar e rios, pequeno, com estas características, há necessidade de investir no mar, segurança, economia do mar, porta de saída/entrada, vizinhança, desenvolvimento da guarda costeira, desenvolvimento da marinha mercantil, conservação dos oceanos, escolas e universidades do mar, centros de investigação marinha, formação qualificação interna, na área marinha, pesca semi-industrial, cluster do mar(pesquisar conceito), porto de aguas profundas, portos e cais, desenvolvimento de indústria do pescado, fabricas de processamento do pescado, investigação marinha, aproveitamento e conservação dos recursos do mar, turismo marítimo, desporto marítimo, cruzeiro marítimo, abastecimento/reparação de embarcações, energias renováveis, energia das ondas, um recurso a aproveitar e olhar sobre outro prisma, com plano e estratégia bem definida, com sinergias com parceiros bem definidas e programadas.

    Necessidade de investir nos transportes marítimos, aéreos, terrestres, portos e aeroportos, ligações aéreas, marítimas e terrestres

    Rios outro recurso a aproveitar, a segurança, a navegação, a agricultura, agropecuária o turismo, o desporto, o lazer, a pesca, a energia renováveis.

    Vento apesar de estarmos numa zona de confluência de ar, parte sul do país bem explorado podemos ter a eólicas, energias renováveis

    Sol, chuva e solo outro recurso primordial, para produção agricultura, pecuária, pesca, turismo sobretudo na zona onde nos situamos, no mar produção de plâncton(pesquisar conceito), produção de energias renováveis, painéis solares, conservação da agua, da vegetação, flora e fauna.

    Terra apesar de pequena dimensão quando bem utilizada e explorada, permite resultados, segurança e sustentabilidade, necessidade de acrescentar mais valia aos produtos produzidos, frutas, flores, plantas medicinais, hortaliças, tubérculos, animais seus derivados e diversificação economia, rumo a pequena industrialização, fabricas de compotas, fabricas de pasta ou massa de tomate, de pimentão, especularias, aumento de produção interna para consumo interno/exportação.

    Homens- classe masculina e feminina- base famílias- sobretudo jovens investimento,(o melhor que um país pode ter em determinado momento, pirâmide populacional de base alargada, realidade extensível a África, de recordar que esta realidade muda com tempo) educação formação/qualificação, trabalho, rendimento, sobretudo interna/o.

    Administração

    Todos sabemos desde os tempos antigos até na conjuntura dos tempos modernos, coma a queda do muro de Berlim, da necessidade de ter instituições fortes e credíveis – famílias e organismos institucionais – instituições fortes fazem com Homens, bem preparados no seu caráter, na sua educação e formação de base, ser honesto, leal, trabalhador, integro, depois bem formado qualificado para execução e assunção de responsabilidades, quer parentais, quer civis e publicas.

    Pois que desde a independência que temos tidos famílias e instituições fracas, logo politicas fracas, logo a degradação social, econômica e financeira, a fome, a pobreza, a miséria, quer mental de pensamento e comportamentos, quer material. Desorganização, falta de rigor, improdutividade.

    Temos a Presidência da Republica, Assembleia da Republica, Governo Central e seus Ministérios, o Governo Regional e as Autarquias Locais, convinha uma redefinição, ou estudo destes conceitos

    Há necessidade urgente de inverter tal quadro, investir na justiça, nas escolas, escolas profissionais e universidades.

    Áreas ou Sectores ou instituições com potencialidades a desenvolver, a segurança e defesa, a justiça, a educação, a saúde, a economia(agricultura, a agropecuária, a pesca , o comercio, o comercio eletrônico, o turismo, o mar, os rios, as infraestrutura, o ordenamento do território, etc…), as finanças, o mar, os rios, de recordar que todas estas aeras têm o centro e problemáticas as pessoas, que constituem o povo, as famílias, as crianças, os jovens, os adultos e idosos, exige politicas de e para a população, as estatísticas.

    Temos uma fragilidade enorme no sector de administração, a nível da justiça, da educação, da saúde, da economia, das finanças que importa reverter.

    Sem segurança justiça, educação, formação e boa governação nada se almeja. Exigência rigor e modernização, qualificação, inspeção da administração sobretudo publica urgente. Modernização institucional o modo de ser estar e fazer, tem de alterar, rumo ao rigor, a organização a produtividade.

    Temos um mercado de 300 milhões de pessoas com necessidades a satisfazer(golfo da Guine), exige necessidade de organização e fortalecimento das instituições neste momento sobretudo das finanças, da economia, temos que ser atrativos e produtivos, hoje a internet, as tecnologias de informação e comunicação, encurtam as distâncias, facilita o comercio, é fonte de rendimento e impostos

    Há necessidade de diversificação econômica, transformação de base produtiva, Ascenção e apoio á pequenas indústria, organização do mercado interno, procura de mercado externo, ao qual temos uma localização primordial.

    Há necessidade de ordenamento do território

    Se se quisermos e almejarmos a organização e rigor, então, há necessidade urgente de planos de desenvolvimento nacional, plano de desenvolvimento regional, planos de desenvolvimento local, plano de pormenor, para sectores atrás referidos, a saber a segurança e defesa, a justiça, a educação, a saúde, a economia, a finanças, mar e rios, energias renováveis, isto exige mobilização de recursos quer internos quer externos. Pois que no centro estão as famílias, os Homens e Mulheres São Tomense que exigem respostas ao problemas de sustentabilidade e desenvolvimento.

    Combate a crimes fundamental

    Para termos infraestruturas

    Primeiramente a que resolver a questão segurança alimentar, da fome, d pobreza, da falta de rendimento, das pessoas

    Famílias base social, pessoas, base social institucional, devem produzir, para que o estado possa captar rendimentos, impostos, para que possa investir

    Tendo recursos enumerados atrás, seu desenvolvimento e exploração de sustentável impõe, com parcerias estratégicas, formação/qualificação, escolas, escolas profissionais, centros de investigação/formação, Universidades, saber e saber fazer, rigor e organização na governação, na justiça.

    Pois tem possibilidade de efetiva exploração de hidrocarbonetos, convém reativar estes dossiês

    Investimento fortalecimento da educação, formação de qualidade, escolas, centros de formação profissional, centro de investigação, Universidades internas

    Investimento fortalecimento do sector da saúde, Hospitais(nos distritos) com valências, centro de saúde, clinicas

    Atração, captação de investimento, interno externo, primordial, com ênfase primeiramente no mercado sul sul, e todos aqueles que assim pretender investir no País, com parcerias estratégicas 70% capital externo/20% capital nacional.

    Boa governação, estabilidade

    Cooperação internacional, cooperação regional, parceria econômica estratégica

    Diversificação Econômica, transformação de base produtiva, vários produtos de base econômica, têm que ser acrescentados valor, de produção familiar e individual, para produção industrial, organização do mercado interno(mercados abastecedores, parques/zonas de negocio ou industrial, sector de exportação.

    Neste momento existe a necessidade de aumento de produção e consumo de proteína animal e seus em São Tome e no Príncipe(ver, pesquisar a importância do consumo de proteína animal para população, sobretudo para classes- crianças, jovens e adultos)

    Investir e empreender neste sector é fundamental, com relevância, para o processamento de carnes, talhos, enlatamento, conservas, industrialização á pensar no mercado interno e exportação – de recordar o mercado do golfo da guiné, comércio eletrônico.

    Criação, Produção animal, Bois, Vacas, Porcos, Ovelhas, Cabras, Galinhas, Patos, Avestruz, Perus, processamento dos seus derivados carnes, ovos, leite, queijos, manteigas, óleos, gorduras, peles, etc.,…

    De recordar que em África algumas espécies selvagens como a gazelas, as impalas, as cabras selvagens dentre outras, búfalos, podem ser domesticados e a carne processada para o consumo, como exemplo nos países nórdicos, temos por exemplo a domesticação das renas, processamento e consumo de carne e aproveitamento de peles.

    De recordar inexistência de predadores destas espécies no nosso território que assinala vantagens em criação , produção e processamento.

    Necessidade de criar centros de monitorização de espécies endêmicas de modo a preservar a flora e fauna

    Se és de São Tomé e do Príncipe, se nascente aqui, cresceste aqui, estudaste aqui, ajuda a desenvolver o teu território, a tua população, administração, mar e rios

    O mundo está a beira de uma guerra com proporções catastrófica

    Não é tempo de politiqueces, politiqueiros MlSTP

    Pratiquemos o bem

    Pois o bem

    Fica nos bem

    Deus abençoe São Tomé e Príncipe

  3. Sem assunto

    12 de Junho de 2024 at 6:54

    Tudo feito na calada e no maior sigilo possível. Esta secretismo em voltas do negócio do Estado nunca terminou bem. Para mais o senhor ministro não sabe dizer se há ou não relação entre a TESLA e este tal de FB Group. É assim que depois para se na cadeia!
    Se o o governo atual reprovou uma privatização paralela da Safebound para a exploração do porto marítimo feito na anterior legislatura , o que impedirá a próxima que certamente será o MLSTP, e quiçá, com uma força menor qualquer
    coligada, de vir a fazer o mesmo?
    Se a privatização feita por executivo anterior não serve a vossa e que serve?
    É assim que se estraga o país, com políticas de oportunismo e a velha encenação dos ditadores: dividir para reinar.
    Haver vamos no que isto dará.

  4. Manuel

    12 de Junho de 2024 at 7:03

    Qualquer investidor deve lhe ser aferida a sua capacidade financeira e idoneidade, fazendo due deligence (diligência prévia).

  5. Original

    12 de Junho de 2024 at 7:14

    Está sendo visto o rumo deste País para aqueles que querem ver.

  6. sol

    12 de Junho de 2024 at 8:24

    O Governo mal conhece bem a empresa. Não sabe se essa que está na EMAE ou não.-

  7. Chicão da Mina

    12 de Junho de 2024 at 8:46

    Este negócio tem muita coisa a esconder. Basta fazer uma pesquisa na Net e encontra-se que o primeiro investimento em STP por parte da FB GROUP’s foi a São Tomé Tesla Power Plant, inaugurada em 16 Março 2024 com a presença do Patrice. Tambem se encontra que este grupo está a explorar os aeroportos de Diori no Niger, de Freetown na Sierra Leoa e o aeroporto da Guiné Bissau. Em paises onde a democracia impera estes concursos são públicos e concedidos á empresa que apresente melhores propostas. Aqui a proposta foi para que bolsos? Enfim, mais uma negociata que prejudica o povo de STP. Façam o referendo para sermos uma região autónoma dos tugas!!!!

    • Lucas

      12 de Junho de 2024 at 18:53

      Os tugas não nos querem

  8. Santo António

    12 de Junho de 2024 at 8:48

    Ok, tudo muito bem.

    Mas, o que podemos esperar deles? O que se pretende? Estamos habituados neste país que as coisas por fases não funcionam, Somos enganados, ou nós nos enganamos.
    O que é de concreto, e quais os prazos para se demostrar resultados tangíveis?

  9. Cleopter dos Santos

    12 de Junho de 2024 at 8:51

    Ok, mas esta Empresa faz tudo? Tem vocação? è assim que cometemos asneiras neste país. Houve concurso público? O Governo elaborou um TDR para o efeito?

    Ajustes diretos dão sempre Margem para negociatas.

  10. O Senhor é nosso socorro

    12 de Junho de 2024 at 9:48

    TESLA é parte da FB GROUP

  11. O Senhor é nosso socorro

    12 de Junho de 2024 at 9:54

    Não inclui extensão da pista, num projeto para 49 anos

  12. Jose Rocha

    12 de Junho de 2024 at 13:57

    Lamento muito.

  13. Santo António

    12 de Junho de 2024 at 15:12

    MAS, qual Empresa, TESLA STP?
    O que é isto? ela existe? Quem são os sócios, incluindo os nacionais?
    Está tudo claro. Por isso, é que escorraçaram o anterior Presidente do Tribunal de Contas.

  14. Jacca

    12 de Junho de 2024 at 17:06

    Finalmente! Obrigado!

    Há tantos anos São Tomé precisa de uma modernização do aeroporto e de uma adequação às normas internacionais para poder receber mais turistas e exportar seus produtos locais.

    Pergunta aos críticos: o que fez o governo anterior? NADA

    Então parem de reclamar e rezem para que este projeto seja concluído!

    O sistema BOT (Build Operate Transfer) permite um financiamento privado e alivia as despesas do estado enquanto permite o desenvolvimento.

    • Jose Rocha

      12 de Junho de 2024 at 19:12

      O país não tem dinheiro e nem há quem o empreste. E se pedíssemos emprestado iríamos endividar ainda mais o país, por isso nada melhor que deixar os privados assumirem esse risco e poupar o país de mais uma dívida colossal. Viva o governo actual pela iniciativa e o povo só tem é que agradecer. A oposição que ganhe juízo e ajude o país a desenvolver-se em vez estar constantemente a criticar.

      Que mais empresas privadas entrem no mercado nacional, poupando despesas ao estado, metendo dinheiro, “know how” e criando mais postos de trabalho bem remunerados no país e por outro lado incutindo o sentido responsabilidade aos trabalhadores.

      O estado tem é que arranjar recursos para fazer a económica funcionar arrecadando receitas para ter um serviço de saúde, garantir seriedade, ordem, e bem estar ao povo.

      Nos país organizados e desenvolvidos o estado apenas gere e fiscaliza o funcionamento do país e arrecada receitas e quem investe são os privados que devem assumir todos riscos dos seus seus investimentos.

  15. Joao Batepa

    13 de Junho de 2024 at 1:09

    Epa próxima eleição votem num pobre coitado que não tenha capacidade para roubar grande!

  16. Manuel do Rosario

    13 de Junho de 2024 at 10:22

    São Tomé e Príncipe tem que progredir. Desde quando temos um aeroporto que provavelmente seja o pior do mundo. Quantas pseudopromessas nos foram feita no sentido de modernizar o aeroporto. Por último foram as promessas da China.
    O que mais importa agora é que no final da obra possa haver empregos para Santomenses, mais turistas no país, o que obriga a construir mais hotéis.

    • Jose Pedro

      13 de Junho de 2024 at 13:58

      Aposto que brevemente muitos dos que deixaram o país nos últimos tempos irão regressar para agarrarem as oportunidades que vão surgindo e muitas outras estão à caminho. Trabalhos bem remunerados na nossa terra natal proporciona outro bem estar e conforto a qualquer um.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

To Top