Política

Petróleo: Ministro dos Recursos Naturais dá razão ao Presidente da República

Carlos Vila Nova Presidente da República e Chefe do Estado abriu a conferência sobre a indústria petrolífera em São Tomé e Príncipe com uma declaração que alerta as autoridades governativas para a necessidade de salvaguardar a transparência em todo o negócio de interesse nacional, e principalmente no domínio da exploração do petróleo.

«Os projectos e os chamados dossiers não são propriedade de quem quer que seja. Estamos todos imbuídos nas nossas funções e responsabilidades ao serviço de São Tomé e Príncipe», alertou o Chefe de Estado.

O Ministro das Infra-estruturas e Recursos Naturais, que tutela o sector do petróleo, reagiu no dia seguinte. Josdé Carvalho de Rio, que participou na cerimónia de assinatura do contrato de partilha de produção do bloco 4 que foi entregue à companhia Shell, deu razão ao Presidente da República.

«Sendo um dossier nacional, deve ser nacional. Os homens passam e as instituições ficam e os dossiers devem ser passados de pessoa para pessoa de geração para geração e logicamente de conhecimento público», declarou o Ministro José de Carvalho Rio.

São Tomé e Príncipe clama por maior transparência no negócio de prospecção e exploração do petróleo, assim como em todos outros negócios que são de interesse nacional.

Abel Veiga

7 Comments

7 Comments

  1. Bellingham

    30 de Junho de 2024 at 16:02

    Palmas para o sr. Ministro. Homem do bem.

  2. ANCA

    30 de Junho de 2024 at 16:46

    Do que é de domínio publico, maior transparência e comunicação publica possível, para o bem de todos.

    Clareza e transparência, organização, nom senso, sentido de estado, rigor

    Tu és de daqui, cresceste aqui, estudaste aqui, muda a tua mentalidade, serve bem o teu território, o teu povo, a tua gente, que já muito passou e tem passado.

    Aposta na educação formação de qualidade na boa governação

    Reforma e moderniza o sector da justiça, da segurança, da saúde, da educação, dos serviços da administração, das finanças

    Modernização dos portos, do aeroporto,automação e digitalização, digitalização dos serviços, da economia, da economia do mar, das alfandegas

    Transparência, transparência, transparência, sentido de responsabilidade, responsabilização, rigor, trabalho e organização

    Pratiquemos o bem

    Pois o bem

    Fica-nos bem

    Deus abençoe São Tomé e Príncipe

  3. Jorge Semeado

    1 de Julho de 2024 at 0:33

    Se o acto não foi transparente, foram lá participar porquê? Desta feita, se participaram, foram coniventes. E sendo coniventes, não vale a pena, reclamar. E de nada valeram os apelos, nem do Presidente nem do Ministro á transparência. No final, ficamos sem saber o valor real do bônus a que STP teve direito. Ficamos no “permite arrecadar aos cofres do Estado”. Valor concreto e transparente do bonus: nada/niet/ nemá/jamais”. Com Pinto da Costa foi assim, com Delfim Neves foi assim, Com Gabriel Costa foi assim, com Jorginho foi assim e com todos outros dirigentes foi assim: falta de transparência, sempre, sempre, sempre!!!. Se esperarem pela passagem de pasta, estão enganados. Com Pinta Cabra, podem esperar sentados. Com os 30 milhões do Chinês San Pa, apenas vimos os 10 milhões. Os outros 20, continuam um enigma até aos dias de hoje. Com os 17 milhões do Kuwait, o hospital não arranca, nem com o Jorginho, nem com o Pinta Cabra há 2 anos no poder. Só sabemos que esses vigaristas quando deixam o poder, refugiam-se no estrangeiro as custas destas falcatruas/trafulhices porque nunca são vistos nas obras ou nos restaurantes a lavarem louças ou a servir clientes. Dirigentes vigaristas, sem vergonha e gatunos do povo que se gabam defender.

  4. Original

    1 de Julho de 2024 at 4:55

    Este homem será demitido.

  5. Santo

    1 de Julho de 2024 at 8:52

    Olha falou verdade,mas a verdade amarga para os bandidos. Os dossier dda concessão da Emae e Aeroporto ao grupo TURCO foram escuros, nem se quer passaram na Assembleia. Por isso, é que o Presidente e o Ministro da Tutela exige transparência desse dossier, por se tratar do bem público.

  6. Me Dumu

    1 de Julho de 2024 at 17:24

    A ética e a moral define a qualidade de um líder que faz a gestão de coisas publicas, neste sentido há muito trabalho de casa a fazer a deontologia profissional precisa-se porque cresceram muitos paus tortos que dificilmente vão endireitar. Não foram educados para serem servidores públicos carecem de educação de base, mesmo com a doutrina religiosa, sejam doutorados, engenheiros gestores de bens públicos, se não tiveram uma cultura [ética de bem servir terão muita dificuldade em gerir porque cresceram com mais olhos do que a barriga. Concordo plenamente com o presidente!

  7. Felicidade

    1 de Julho de 2024 at 18:52

    Mensagem clara para primeiro ministro que quer ver tudo e todos…

    Patrice trovoada, grande fofoqueiro da praça.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

To Top