Sociedade

Grupo Pestana forçado a negociar com o cidadão António Santos

Está perto do fim a polémica entre o Grupo Pestana e o cidadão António Santos por causa da construção pelo grupo hoteleiro português do condomínio Vila Maria no terreno pertencente ao cidadão nacional. Esta manhã a decisão de António Santos, em vedar o seu terreno no coração do condomínio, forçou o consenso com o Grupo Pestana.

É um litígio que já dura 11 anos. Em Maio passado o Supremo Tribunal de Justiça entregou ao cidadão António Santos, 1400 metros quadrados do terreno que lhe pertence e onde foi construído o condomínio Vila Maria do Grupo Pestana.

O cidadão António Santos com apoio do seu advogado Filinto Costa Alegre, apresentou uma proposta ao Grupo Pestana em relação ao terreno, nomeadamente o pagamento de 55 dólares por cada metro quadrado do terreno, e o pagamento de indemnizações por danos causados ao proprietário do terreno, nos últimos 11 anos.

O Grupo Pestana não terá dado qualquer resposta. Situação que forçou o cidadão António Santos, a reagir esta manhã. Entrou no condomínio com o objectivo de vedar os 1400 metros quadrados de terreno que lhe pertence.

Quando ao que tudo indica já preparava para abrir o cabouco, para erguer a divisão do terreno, o Grupo Pestana reagiu abrindo espaço para negociações e consenso. Guilherme Posser advogado do Grupo Pestana, confirmou o consenso. Segundo o advogado as duas partes vão avançar para um acordo que visa dar resposta a solicitação do senhor António Santos.

Por sua vez Filinto Costa Alegre, advogado de António Santos, manifestou satisfação do seu constituinte em relação ao consenso alcançado. «A proposta do António Santos, visava pagar 55 dólares por cada metro quadrado dos 1400 metros quadrados do terreno que lhe pertence e depois uma compensação pelas perdas e danos que ele sofreu nos últimos 11 anos. Chegamos a acordo quanto a isso e agora vamos materializar o acordo. O Grupo Pestana vai pagar e nós vamos transferir a posse do terreno e a propriedade para o Grupo Pestana, e fica tudo resolvido», precisou Filinto Costa Alegre.

Fica resolvido um litígio judicial que começou há 11 anos, antes mesmo do Grupo Pestana ter construído o seu condomínio na zona da Vila Maria.

Abel Veiga

    24 comentários

24 comentários

  1. Rebas Moris

    1 de Dezembro de 2011 as 15:46

    Bacuê sum Posser!

  2. Mé-Xuba

    1 de Dezembro de 2011 as 15:53

    Enfim… Espero que a Justiça em S.T.P. continue neste caminho… Parabéns
    Senhor António Santos, valeu a pena a persistência…

  3. Tinito

    1 de Dezembro de 2011 as 15:53

    Com a paz tudo se resolve
    Bem haja o entendimento entre os homens

    Força para as duas partes
    Tonito

  4. Adonilo Cotrim

    1 de Dezembro de 2011 as 17:54

    situações como essa faz-me levantar algumas questões como por exemplo: como é possível construir num espaço territorial, cujo o mesmo não é propriedade estatal e nem do construtor? Onde estavam as autoridades competentes com relação a esses aspecto? .. etc.

    • Lévé-Léngue

      2 de Dezembro de 2011 as 9:13

      O mais absurdo é como o construtor conseguiu obter um registo dessa propriedade validado pelas autoridades competentes do País, sem que os direitos do legítimo proprietário fossem salvaguardados. O Grupo Pestana se tem manifestado firme até o último momento fazendo fé num documento emitido pelos serviços oficiais de STP. Até faz algum sentido, mas nesses casos, vence sempre o primeiro registo, desde que se prove a sua legalidade e legitimidade. Força Sr. António Santos, Parabéns Dr. Filinto Costa Alegre.

    • Até quando nosso São Tomé e Príncipe

      2 de Dezembro de 2011 as 11:18

      Muito simples isso acontecer.
      Trabalhar com registro no papel e com o numero de empreendimento hoje construído em STP não pode nunca dar certo. Quem vai enfiar a cara em um monte de livros de registros para ver quem é quem? E outra, todo mundo sabe como são feitas as coisas quando o estrangeiro é de cor Branda (porque não é o mesmo comportamento com os estrangeiros africanos), parece que é Deus a frente desses funcionários publico.
      Vários exemplos: Como é feita na Alfandega, Bancos, Comércios, Finanças, tudo pra eles é feito no mais rápido tempo.

      No dia que acabar esse problema, teremos um pais diferente (para melhor) e não vamos voltar a ver casos em que o Pais com problema de Arroz vai entregar a importação a um grupo Libanês, que era para ser Hotelaria. Resultado disso, esta ai devendo impostos ao governo e já disse que não vai pagar.

  5. S. Tomé de peito e coração

    1 de Dezembro de 2011 as 19:06

    importante é que tudo acabou em paz isso que nosso país precisa de paz …ou seja deixamos de falar e começar trabalhar seriamente naquilo que nós leva desenvolvimento fuii

  6. realista

    1 de Dezembro de 2011 as 19:55

    nao ha manobras pra guilherme posser porque quem esta no governo e ADI nao MLSTP e o nosso pai grande ta pra ver quem e quem independentemente da cor partidaria muito bem assim que funciona a justica da de cesar o que e de cesar. Meus parabens Filinto por defender esse individuo era de fradique ja acabou.

  7. realista

    1 de Dezembro de 2011 as 19:57

    desculpa pelo ero onde esta ta pra ver deveria estar nao ta pra ver…….

  8. ZECA

    1 de Dezembro de 2011 as 23:03

    sera que esses terrenos é mesmo deste camarada ou foi daquelas propriedades herdadas depois da independencia sem escrituras? se for os meus parabéns se não for que devolva ao legitimo propriétario.

    • realista

      2 de Dezembro de 2011 as 11:36

      mancee booo ssa invejoso ue xa deixa o pobre
      cidadao comer uma fatia de bolo

      • Lupuye

        2 de Dezembro de 2011 as 13:21

        ahahahahaah, essa foi boa, pelo menos me fizeste rir. Obrigado

  9. Fijaltão

    2 de Dezembro de 2011 as 2:07

    Começando por analizar este folhetim que já dura 11 anos, acho bem que Dr. Filinto Costa Alegre, deve consultar o mercado imobiliário português, qual é o preço actual de um metro quadrado de terreno em zonas metropulitanas de Portugal, porque é daí que parte os possíveis compradores dos apartamentos do condominio em questão.
    Por outro lado, não há nenhum santomense neste momento com capacidade para comprar parcelas deste condomínio de luxo!
    Sugiro ao Dr. Filinto que exija aos pestanas por cada metro do terreno,pelomenos 300 Euros o metro quadrado!
    Actualmente em Portugal um metro quadrado de terreno anda a volta de 1200 Euros o metro quadrado!
    Por outro lado também, os pestanas devem indemnizar o senhor António Santos pelos danos patrimoniais causados ao mesmo, bem como uma compensação pelo tempo em que o terreno esteve parado sem realizar nem valorizar capital, com um apartamento de luxo a escolha do senhor António Santos ou montar-lhe um negócio que beneficie a ele bem como o povo de S.Tomé e Príncipe!
    Dr. filinto, abra os olhos com estes filhos dos nossos colonizadores e com o Dr. posser da Costa que, enfim está a defender também o seu pão!

    • Lupuye

      2 de Dezembro de 2011 as 13:28

      O homem ja ganhou, nao precisa ser GULOSO. Nao podemos estar em Sao Tome e vender terreno a preco da europa ou dos EUA. Isso nao funciona assim. O preco do terreno e em funcao do mercado onde esta inserido.

  10. Fijaltão

    2 de Dezembro de 2011 as 2:20

    Digo mais: Em Portugal, terra dos pestanas, quando se comete uma barbaridade destas, construir em terrenos alheios, só há uma solução tipo sinequanon; O Juiz mada demolir pura e simplesmente sem piedade nem dó! pelo menos em s.Tomé há complacência. por isso os pestanas só t~em que pagar e pagar ao preço do mercado imobiliário Europeuou Americano porque é para lá por estas paragens onde existe os possíveis compradores deste condomínio!
    BILÍ UÊ CU INEM…

    • luisó

      2 de Dezembro de 2011 as 15:32

      Meu amigo,
      vê-se que o senhor está cego com qualquer coisa mas não me parece que seja poeira nos olhos, deve ser outra coisa qualquer…
      Então deve pagar o preço do terreno como na europa ou na américa?
      e o senhor quando compra terreno em STP para construir casa também paga esses preços ou os do mercado nacional?
      Santo Deus tanto rancorismo para uma coisa que acabou em bem e tarde demais…

    • Truqui Sun Dêçú

      3 de Dezembro de 2011 as 23:42

      Srº. Fijaltão.
      Tanta raiva e rancor para com o grupo Pestana e os tugas. Porquê ?? O grupo quando construiu, foi com autorização de alguma Entidade ou Organismo oficial de S.Tomé. Não usurpou ou ocupou clandestinamente o terreno. Não construiu uma simples casa, mas sim um grande complexo turístico, que trará rendimentos (impostos, emprego, etc.)a S.Tomé e aos Santomense. Onde estavam os fiscais para embargar a Obra se ela fosse clandestina ?? Quanto aos Tugas (apesar da crise em Portugal e na Europa), foram e são desde sempre o maior doador (este ano são só 50 milhões de Euros) para o vosso Orçamento de Estado, agora aprovado. Já não falo no resto da cooperação. Informe-se bem e saiba quanto dão os outros Países vossos(amigos??). Não insulte nem cuspa na mão de quem vos ajuda.

  11. J.Rufino

    2 de Dezembro de 2011 as 9:15

    Desta vez ainda bem que valeu o bom censo mas e bom dizer que não há razões para que este tipo de coisas possa acontecer no nosso país mas…enfim…assim são as coisas deste país.Gostaria de dizer a este cidadão que não vendesse o terreno para estes aproveitadores,arrenda o terreno se eles quiserem,escusa de vender da-lhes uma lição,eles não são os donos de STP a começar do senhor Fradique mesmo presidente ainda era candongueiro…enfim…só mesmo no nosso país mas o bom da verdade os juízes desta vez saíram em grande…

  12. rapaz de riboque

    2 de Dezembro de 2011 as 18:52

    ola meu filho FIJALTÂO a tanto tempo tenho uma oferta para te mandar pelo natal como vai ser manda o endereço para eu mandar um abraço

  13. Barão de Água Izé

    3 de Dezembro de 2011 as 18:51

    Não estaremos na presença de ganhos ilegitimos ganhos com má-fé? Explico: o verdadeiro dono do terreno não viu, não acompanhou toda a construção do empreendimento? Por que agiu, já estando tudo construido? Antonio santos e Filinto Alegre deviam responder porquê. A lei devia prever estes casos. Grupo Pestana se agiu perante certidões legais deve ser penalizado?

  14. olegário

    5 de Dezembro de 2011 as 10:01

    quem lê esses comentários e que não sabe o que cá passa penssa que estamos num pais de gente honesta a individuos que aparecem cá aescrever só para aparecerem porque são os maiores curuptos de ladrões deste pais: Pergunto esse senhor que fala em comparação dos preços dos metros quadrados cá co m a europa só deve ser maluco.e depois da independencia quantos se apoderaram de terrenos alheios sera que este dito dono também não apoderou ? tenham vergonha preocupem com coisas que interessa deixem de tolices porque aqui só a palhaços

  15. Fabio Soares

    5 de Dezembro de 2011 as 12:59

    Sem confusao nao ha resoluçao: é isso também que sao tome precusa para sair do grande burraco negro em que esta.

  16. jordão

    5 de Dezembro de 2011 as 14:49

    amigos ladrão que rouba ladrão tem 100 anos de perdão numa terra que tem tantos ladrões formados em universidades qual era o crime de vir mais um e construir o que fazia falta em vez de estar ao abandono

  17. zozé

    6 de Dezembro de 2011 as 13:44

    esse FUJALTÂO tem raiva aos tugas (brancos) porque ele é foi intiado de um branco por isso é racista

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo