Destaques

Presidente do STJ alerta sobre o aumento da criminalidade

O Presidente do Supremo Tribunal de Justiça, José Bandeira, está preocupado com o aumento da criminalidade no país. Os assaltos a mão armada, são segundo José Bandeira uma tipologia de crime que não era convencional em São Tomé e Príncipe.

Daí que alerta a todas as autoridades do país no sentido de agirem. «Nós já tivemos momentos em São Tomé e Príncipe em que se podia deixar a casa aberta. Já passamos por momentos em que os crimes praticados em São Tomé e Príncipe eram crimes de banana e porco. Eu acredito que a criminalidade neste momento tem uma tendência de crescimento embora controlada», declarou o Presidente do Supremo Tribunal de Justiça em entrevista a Rádio Nacional.

Os assaltos quotidianos a residências e campos de cultivo, estão a atingir níveis preocupantes. A Polícia de Investigação Criminal, chega a registar 40 assaltos numa semana, No entanto novas formas de criminalidade surgiram no país.

José Bandeira considera que tais crimes resultam da influência do mundo sobre o arquipélago, tradicionalmente tranquilo. « Já ouvimos casos singulares de pessoas a cometerem crimes a mão armada usando capus. Isso não é convencional em STP. É preciso que as autoridades começam a pensar sobre estes crimes», pontuou.

Segundo o Presidente do Supremo Tribunal de Justiça, a sua instituição está legitimada para julgar todo ipo de crimes. «Mas é preciso especializar os juízes. Todos estamos preocupados com isso, porque a criminalidade em São Tomé e Príncipe vem sofrendo influências do que se passa pelo mundo», concluiu.

José Bandeira foi o primeiro director da Polícia de Investigação Criminal de São Tomé e Príncipe. Daí que as suas palavras sobre a criminalidade crescente e com características antes desconhecidas, devem ser levadas a sério.

Abel Veiga

    9 comentários

9 comentários

  1. Valter Loi-Heng

    15 de Julho de 2014 as 13:28

    Um pais tão pequeno como o nosso não e difícil identificar os assaltantes. Se o aasaltante for de nacionalidade estrangeira deverá ser extraditado imediatamente para o pais de origem não podendo retornar ao pais no mínimo 3 anos após.
    Se for um nacional , não será necessário corta-lo as mãos…. Castigo severo, cadeia (cela) sem direito a visitas, televisão , retiras os bens para pagar as despesas de custo. Estando na cadeia, trabalhar sob controle policial para pagar o que come, etc… “Pena igual para quem rouba 1 Dobra ou para quem rouba 1.000.000,00 Dobras”

  2. Barão de Água Izé

    15 de Julho de 2014 as 14:16

    A pobreza, a ausência de poder de Estado e o maus exemplos das ações de muitos políticos, estão ligadas directamente com a criminalidade. E ela aumentará se o País não tomar novo rumo.

  3. António Menezes

    15 de Julho de 2014 as 15:39

    Muito bem, o aumento da criminalidade tem causas bem claras, ou as autoridades não sabem ou desconhecem a causa? Não acredito, pois para acabar com o paludismo, estamos a ir as causas, atacar os mosquitos, onde vivem, etc. Ou não é verdade, então meus senhores vão as causas. O problema é que ninguém quer ir as causas. A incompetência, o aumento da politiquice, a falta de autoridade de Estado, a desonestidade, a corrupção, isso sim são as causas, e vamos lá atacar. Terão coragem?

  4. luisó

    15 de Julho de 2014 as 17:29

    Acabei de ver Gabriel a chegar á praça rodeado de montes de militares e seguranças á civil. Afinal não falta policia e militares então porque não são usados?
    Depois vi Alcino a acender a chama com um segurança ao lado com pistola na perma á mostra e com a mão pronta a sacar . Por amor de Deus…
    O problema não é o povo meus senhores eles têm é medo dos outros políticos, são guerras entre eles, o inimigo não é o povo.
    Se tivessem a consciência tranquila não era preciso tanta segurança porque este espetáculo é só visto nos países com ditadores. STP será?
    Depois vejo os militares fardados a fazer segurança á volta da praça com ak-47 nas mãos? mas é preciso tudo isto? na festa da independência?
    Se houver um doido que saque de uma pistola ali vai ser uma mortandade porque esta gente não sabe o que fazer nem está preparado.
    Na europa já vi passar carros do governo e até de presidente e se não me dissessem eu nem reparava e eles têm lá os terroristas…
    Deixem de brincadeiras e trabalhem…

    • souba

      16 de Julho de 2014 as 8:37

      Entao o que queres dizer,vamos deixar para continuar?

  5. Addon Tiny da Cruz

    15 de Julho de 2014 as 17:33

    Para Falar sobre aumento de criminalidade em S.T.P,com tendências para tipologias diferentes da nossa realidade que outrora não se verificava ,posso dizer as seguintes:
    O mundo esta hoje em dia globalizado,sendo assim facilmente,vão surgindo novas tendencias que proveem justamente desta globalização quer em bom sentido da palavra(vantagens) , quer no mau sentido da palavra(desvantagens).
    para a questão em apreço é no mau sentindo do termo globalização, uma vez que os potênciais criminosos têm estado a emitar tipos crimes de outras paragem do mundo que antigamente em S.Tomé não registava não tão pouco se imaginava dado a cultura,tranquilidade e a pequenes do país.
    Acontece porem que para o nosso caso estamos parados no tempo enquanto o mundo e a sociedade que é dinamica vai se evoluindo S.T.P e o seu sistema judiciário vai ficando estagnado no tempo.
    Como digo sempre é preciso que autoridades compitentes ganham conciência , pensam e reflitam sobre a importância da justiça para segurança de um pais no que tange a criminalidade.
    Têm que criar condições para um bom funcionamento do sistema judiciário que engloba não só os tribunais e o MºPº mas também as policias que têm um envolvimento directo na descoberta da verdade material dos crimes mediante as investigações dos deliquentes quando fora do flagrante delito.
    Para isto deve se primeiramente, apostar nas pequenas formações de especialidades para os agentes da polícias quer da ordem publica quer judiciaria e dar melhores condições de trabalho(meios rolantes,equipamentos de todo tipo possível) mediante parceirias com os nossos tradicionais parceiros(angola,china popular,china taiwam,portugal,E.U.A dentre muitos outros)e tambem insectivos e melhoria salarial no verdadeiro sentido de melhoria(um bom Salário).
    Dotar os tribunais e o MºPº de meios materias que escasseam muitos, assim como formações de especialização para os Magistrados e os funcionários, no sentido de estarem preparados para poderem lidar de melhor maneira possível perante estas novas realidades criminosas que vão surgindo em S.T.P.
    faço um apelo a quem de direito no sentido de não deixar a situação que até a presente data deve esta ainda controlada pelas autoridades nacionais atingirem outras proporções mais alarmantes e só depois procurar reagir porque poderá ser tarde de mais.
    Um Bem Haja .

  6. olhos abertos

    16 de Julho de 2014 as 10:44

    Senhor Presidente do Supremo Tribunal de Justiça, José Bandeira, Neste preciso momento, a culpa também recai no Senhor, tendo em conta, que o Sr., ao invés de se preocupar a fundo com os 10% dos barcos, O Sr. deveria em primeiro plano do seu discurso, dizer ou aliás em afirmar, que do seu lado, tudo iria fazer para, para por cobro as impunidade, existentes no nosso País e a todo nível. É que a criminalidade, tem vindo de cima e, como não se toma medida, o que é que os aqui de baixo esperam? Garanto o Senhor, de que, um dia que começarem a tomar medidas serias, começando da cúpula, aqui de baixo começarão a ter medo. O Senhor Presidente do Tribunal Supremo, tirará as suas conclusões. Tudo anda numa lengalenga, quando menos se espera, os delinquentes de cúpula, sairão ileso. Repara só Sr. Presidente, vamos falar do mais recente; Porquê que ainda os tribunais, ou Ministério Público, acionou mecanismo sério, acerca dos crimes bastante propalados de algum elemento do 14º Governo, começando pelo seu próprio Sr. Patrice Trovoada? refiro que essa do 14º Governo é o caso mesmo muito recente. E outros crimes antigos, GGA, arroz podre, vindo dos Camarões e outros anteriores crimes que vem lesando, o seu nosso País. Senhor Presidente, comece em sua própria casa. A sua própria casa, tem muitos parasitas, que querem viver, extorquindo os bens dos tribunais e não só. Até parece, que os senhores da justiça, são donos deste País. têm feito tantas, e que nada lhes acontece. É que na sua própria casa, há muitos chamados, mas muitíssimo pouco escolhido. Há muitos que vem agora exibindo; “SOU JURISTA”. mas confesso, de jurista muitos deles não têm nada. Ao terminar, Senhor Presidente, Um dia que tribunal, começar a julgar Dirigentes, sem exceção, garanto-lhe, os crimes diminuirão em todos os aspetos. Por favor, DÊ TODA A SUA CONTRIBUIÇÂO, PARA MORALIZAR S.TOMÉ E PRINCIPE.

  7. Humilde

    16 de Julho de 2014 as 14:12

    Resultado da má influencia dos maus políticos k atracam e k se agridem no Parlamento e com ausência de Autoridade de Estado!

  8. manuel soares

    17 de Julho de 2014 as 7:55

    Bandeira, tudo bem mas o Estado são vocês, que não deram nada ao povo e deixaram-nos a Deus dará, agora choram, o que têm feito, que imagem têm dado, conflito, corrupção, saque da coisa pública, má gestão, e por outro lado, falta de postura, ética e sentido de Estado, ainda recordas como em plena cerimónia de abertura do ano judicial pedias e exigias à Gabriel a gritos, nervoso e de forma agressiva, alarmista, ameaçadora os teus 10% da venda do combustível dos barcos apreendidos, fazendo acusações de ditadura e falta de separação dos poderes?

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo