Sociedade

Japão alarga e moderniza centro de acolhimento das crianças de rua

O futuro mais seguro para as crianças em risco e de rua, começou a ser desenhado no dia 2 de Fevereiro.

Nas instalações da Associação para Readaptação das Crianças Abandonadas e em Risco (ARCAR), localizada na zona de Mesquita, o embaixador do Japão em São Tomé e Príncipe Masaak Sato e Balbina Trindade Secretária Executiva da ARCAR, assinaram o acordo que vai modernizar o centro de acolhimento das crianças desamparadas.

Através de um donativo financeiro de 78.511 euros, o Governo do Japão financia o projecto de alargamento e reforço das capacidades de acolhimento das crianças de rua. O aumento da população infantil desemparada e sem lar, é uma das consequências  do aumento da pobreza real em São Tomé e Príncipe. «É a segunda vez que o Japão atribui um donativo financeiro a esta instituição que se empenha de forma eficaz na melhoria das condições de vidas das crianças de rua e a sua situação social», referiu o Embaixador do Japão.

O programa do reino nipónico de apoio aos micto-projectos locais que contribuem para o desenvolvimento humano, vai permitir a construção de um novo edifício composto por salas de aulas, e quartos para acolhimento das crianças. O donativo financeiro vai permitir também o apetrechamento do novo edifício de acolhimento das crianças com equipamentos escolares e de alojamento.

As autoridades japonesas, consideran que «o crescimento saudável das crianças é essencial para garantir o desenvolvimento humano, que é o motor do desenvolvimento social».

Através da sua embaixada em São Tomé e Príncipe com sede em Libreville-Gabão, o Governo do Japão, aproveitou o lançamento do projecto de alargamento e modernização da ARCAR, para informar a toda a população de São Tomé e Príncipe, que o seu programa de donativos financeiros para execução de micro-projectos locais que contribuem para o desenvolvimento humano e social, está aberto a todos as organizações, não lucrativas que actuam no sentido de melhorar as condições de vida das populações mais pobres.

As organizações não lucrativas, ou seja, ONG podem consultar o formulário e as informações através do site da embaixada do Japão – (http://www.ga.emb-japan.go.jp/itpr_fr/apd_fr.html).

Téla Nón

    1 comentário

1 comentário

  1. Horácio Will

    7 de Fevereiro de 2018 as 11:18

    Embora muitas doenças possam ser prevenidas, é sempre bom construir um hospital. Abençoados aqueles que pensam nos que não têm um abrigo, um lar. Grandes agradecimentos a quem construa um espaço de acolhimento aos necessitados. Se mais vale prevenir que remediar, não é melhor aqueles que são por legitimidade indicados para agir, avançarem com processos para evitar situações que conduzam ao abandono das crianças?

Deixe um comentário

Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo