Sociedade

“Operação Rosema”: Começou a inventariação dos bens da Cervejeira

Esta manhã, oficiais de justiça acompanhados por agentes da polícia nacional, deram início a inventariação do património da Cervejeira Rosema. Em declarações ao Téla Nón, Óscar Sousa, fiel depositário nomeado pelo grupo privado angolano Ridux, disse que o processo de inventário da fábrica de cervejas, decorre a bom ritmo.

Segundo o fiel depositário os oficiais de justiça acompanhados por agentes da polícia, percorreram toda a instalação da cervejeira, no processo de inventariação do património.

Alguns trabalhadores da cervejeira estão no local, acompanhando e auxiliando o trabalho dos oficiais de justiça e da polícia.

Óscar Sousa, assegurou que após o trabalho em curso de inventariação, enquanto fiel depositário nomeado pelo grupo privado angolano, deverá receber as chaves da Cervejeira Rosema.

O fiel depositário, acrescentou que o processo é moroso tendo em conta que os antigos responsáveis da fábrica ainda não compareceram para permitir a inventariação de outros bens, nomeadamente os activos financeiros existentes.

Cidade de Neves vive uma quinta – feira mais calma, após a grande manifestação popular de ontem em torno da devolução da cervejeira Rosema, por decisão do Supremo Tribunal de Justiça de São Tomé e Príncipe.

Téla Nón

    7 comentários

7 comentários

  1. MIGBAI

    3 de Maio de 2018 as 12:53

    FORÇA minha gente.
    Não podemos vergar nem descurar estarmos alerta!
    Temos que olhar para o lado positivo deste infeliz acontecimento levado a cabo pela ADI e MLSTP.
    Uma realidade já se deu, que foi cair a máscara de alguns dirigentes do MLSTP.
    Grande Melo Xavier, a luta ainda não está ganha! Essa gentinha reles do governo, ainda te vai fazer ficar com mais alguns cabelos brancos.
    Eles não vão largar a tua fábrica facilmente, assim como também não vão largar as roças, sem a luta dos verdadeiros donos, como tu tiveste a tua luta durante anos.
    Uma coisa podemos garantir, já foram descobertos alguns gatunos corruptos do MLSTP.
    Outra coisa que qualquer um pode garantir, foi ter-se verificado que o povo das Neves é um povo NOBRE de sentimentos e com elevado sentido de justiça e pronto para ajudar na luta pela verdade.

  2. ADI a cair no poço

    3 de Maio de 2018 as 13:06

    Viva Melo Xavier.
    A razão falou mais alto.
    Grande derrota para o ADI e Patrice Trovoada.
    Viva a amizade Angola-S.Tomé.

    • WXYZ

      3 de Maio de 2018 as 20:59

      Se analizarmos friamente chegaremos a conclusao que nao houve derrota nenhuma, pelo menos a medio e longo prazo.

  3. Democrático

    3 de Maio de 2018 as 15:36

    Quando eu avisei os meus conterrâneos que Patrice Trovoada é criminoso e mercenários de guerra, ninguém quis me ouvir. E agora?

    O meu amigo Bala confidenciou-me que perder o ganhar ADI vai ter que governar, ainda vai haver derramamento de sangue! Fiquei frio e gelado…

  4. mezedo

    4 de Maio de 2018 as 11:36

    Eles que preparem porque estamo prontos para combate ainda que seja com guera
    mas a corja de ladões não podem continuar a governar este país.

  5. Deus é Grande

    4 de Maio de 2018 as 12:45

    Eu pensava que o Governo teria largado o osso. Mas parece-me que não. Segundo o comunicado da policia não me parece.

    Ainda mais um comunicado falso. Que vergonha ver uma instituição dessa como a policia a passar mensagens que nada têm a ver como o que la foram fazer.

  6. Geraldo Mendes cutrim

    4 de Maio de 2018 as 13:03

    Eu nunca vi Governo tão caloteiro assim como este. O homem mal recuperou a fábrica e olhem.

    Lisboa – O Ministério das Finanças, Comércio e Economia Azul são-tomense deu 10 dias ao empresário angolano Mello Xavier para liquidar uma dívida de 2,9 milhões de euros de impostos, relativos aos exercícios económicos de 2007 e 2008, da cervejeira Rosema.

    Fonte: Lusa

    Uma nota da direção de execução fiscal do ministério, a que a Lusa teve hoje acesso, destaca que a dívida em causa tem origem nas “auditorias realizadas na cervejeira Rosema pelas equipas de fiscalização referentes aos impostos sobre consumo de produtos locais, imposto de selos sobre recibos e juros compensatórios”.

    A notificação refere ainda que findo o prazo de 10 dias concedidos, o órgão de execução fiscal da direção de finanças vai “avançar com o processo de penhora de bens ou direitos existentes no património” do empresário angolano do valor suficiente para a cobrança da dívida”.

    A dívida referenciada pela autoridades são-tomenses totaliza 2.915.590 euros.

    Mello Xavier recuperou quarta-feira a cervejeira Rosema através de uma decisão do Supremo Tribunal de Justiça de São Tomé e Príncipe, depois de um contencioso judicial que se arrastou durou nove anos.

    Durante o ato de devolução da fábrica ao antigo proprietário, o governo instruiu agentes da polícia para não acatarem a decisão judicial, situação que levou a várias horas de negociações entre as partes mas que acabou com a Rosema a ser definitivamente entregue a Mello Xavier.

    A Lusa apurou de fonte governamental que o embaixador de Angola em São Tomé e Príncipe, Joaquim Pombo reuniu-se hoje no Ministério dos Negócios Estrangeiros e Comunidades com o ministro da Presidência do Conselho de Ministros e dos Assuntos Parlamentares, Afonso Varela, para analisarem a situação que se prende com a empresa Rosema.

    “Foi comunicado ao governo são-tomense a posição de Angola relativo à Fábrica Cervejaria Rosema” que passou a ser propriedade do angolano Melo Xavier, disse a fonte à Lusa sem avançar detalhes do encontro.

    Mello Xavier reuniu-se hoje com os trabalhadores da fábrica.

Deixe um comentário

Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo