Sociedade

Contribuição das florestas é muito maior do que se conhece no mundo

Parceria – Téla Nón / Rádio ONU

6 julho 2018
ODS
FAO ilustra exemplos de Brasil, Moçambique, Timor-Leste e Portugal em novo estudo; apelo aos países é que aumentem ação em beneficio das árvores e daqueles que dependem delas.
As florestas oferecem cerca de 20% de renda às famílias rurais nos países em desenvolvimento, revela o relatório Estado Mundial das Florestas da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, FAO.
O estudo, lançado esta sexta-feira em Roma, destaca que a contribuição de florestas e das árvores para a subsistência humana é muito maior do que se conhece.
Benefícios
O papel destes recursos é essencial em áreas como segurança alimentar, água potável, energia renovável e economias rurais. Outros benefícios das matas incluem oferecer combustível para cozinha e aquecimento para uma em cada três pessoas em todo o mundo.
Em declarações à ONU News, de Roma, Thaís Linhares-Juvenal, que lidera os técnicos de Economia Florestal e Governação na FAO, falou de exemplos de países lusófonos mencionados no documento.
“Timor-Leste, por exemplo, está citado aqui como parte do papel das florestas no controle da erosão. Tem um papel muito importante a presença e a cobertura florestal no controlo da erosão do solo. ”
O relatório destaca o Brasil para ilustrar a forte associação entre áreas de alta cobertura florestal e altas taxas de pobreza. No país, pouco mais de 70% das áreas de florestas fechadas apresentam altas taxas de pobreza. Linhares-Juvenal fala dessa realidade.
Ecossistemas
“Por exemplo, a cobertura de árvores em Olinda, no Brasil, que chega a ser mais de 70%. E temos também exemplos de parques nacionais. A ideia é mostrar a contribuição para a renda, mas não só para a renda, mas também para segurança alimentar, para as questões de gênero, de controle de ecossistemas e a própria questão industrial. ”
Outra realidade brasileira é a do Parque Nacional da Tijuca, que se tornou Património Histórico e Artístico no Brasil, em 2012, por ser santuário de diversidade e do endemismo.
O documento cita ainda o uso de produtos florestais não-madeireiros. A mais alta taxa é dos países da África Subsaariana com 80%. Moçambique, com 70% desse índice, tem na sua floresta natural uma parte predominante do uso da terra local. A representante explica o impacto desse fenómeno.
Produção
“Grande parte da população pobre do mundo encontra-se em áreas florestais. A gente descobre que em países como por exemplo Moçambique as populações florestais, em 5ras de alta cobertura florestal, podem contar com mais de 30% da renda oriundos da produção e comercialização de produtos não-madeireiros.”
O apelo da agência é que sejam evitadas consequências potencialmente danosas para o planeta e seus habitantes como desmatamento, além de se promover o manejo de florestas de forma sustentável, restaurar matas degradadas e aumentar a cobertura mundial de árvores.

O tempo para salvar as florestas esta a chegar ao fim. , by FAO/Rudolf Hahn
Cidades Sustentáveis
O estudo alerta ainda que se está a esgotar o tempo para as florestas do mundo, cuja área total diminui a cada dia. O apelo aos governos é que promovam uma abordagem mais abrangente para beneficiar tanto as árvores quanto a aqueles que dependem delas.
Em termos de benefícios trazidos pelas florestas às áreas urbanas de forma sustentável, o documento cita grandes cidades, como Viena, Tóquio, Joanesburgo e Bogotá onde florestas protegidas ajudam a ter quantidades significativas de água potável.
Nos Estados Unidos, cerca de 180 milhões de pessoas dependem das florestas para obter água potável.
Mesmo com a perda de florestas em principais bacias hidrográficas do mundo, a FAO defende que nos últimos 25 anos aumentaram áreas florestais administradas para a conservação do solo e da água.
Combustível
A lenha fornece energia renovável, equivalente à energia solar, hidroelétrica e eólica combinadas. Esse tipo de combustível satisfaz mais da metade do que é preciso como fonte de energia primária em 29 países, a maioria na África Subsaariana.
De acordo com a FAO, as florestas têm cerca de 142 bilhões de toneladas de petróleo. A quantidade equivale a 10 vezes o consumo anual global de energia primária que ressalta o valor e a necessidade de serem usadas de forma sustentável.
Apresentação: Eleutério Guevane.
FAO|FLORESTAS|BRASIL|TIMOR-LESTE|ANGOLA E MOÇAMBIQUE

    Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo