Sociedade

Mortes por câncer devem atingir número recorde de 9,6 milhões este ano

Parceria / Téla Nón – Rádio ONU

Novos casos da doença terão subido para 18,1 milhões; cânceres de pulmão, mama e colorretal são os mais comuns; taxas de incidência em países mais avançados são até três vezes maiores do que em países com desenvolvimento baixo ou médio.

Em todo o mundo, 18,1 milhões de pessoas devem ter câncer este ano e 9,6 milhões acabarão por morrer. A projeção é do estudo Globocan 2018, publicado esta quarta-feira pela Agência Internacional para Pesquisa sobre Câncer, Iarc.

Em São Paulo, no Brasil, menina recebe vacina contra o câncer cervical., by Foto: Opas/OMS Um em cada cinco homens e uma em cada seis mulheres em todo o mundo terão a doença ao longo da sua vida. Um em cada oito homens e uma em cada 11 mulheres acabarão por morrer, prevê o estudo.

Prevenção

O diretor do Iarc, Christopher Wild, disse que “esses novos números mostram que ainda há muito a ser feito e que a prevenção tem um papel fundamental a desempenhar. ”

Segundo ele, “políticas eficientes de prevenção e detecção precoce devem ser implementadas urgentemente para complementar os tratamentos, a fim de controlar esta doença arrasadora. ”

Resultados

O aumento dos casos deve-se a vários fatores, incluindo crescimento e envelhecimento populacional e prevalência de certas causas ligadas ao desenvolvimento social e econômico.

Para muitos tipos, as taxas de incidência em países com Índice de Desenvolvimento Humano, IDH, alto ou muito alto são geralmente duas a três vezes maiores do que em países com desenvolvimento baixo ou médio.

Apesar disso, as diferenças nas taxas de mortalidade são menores, porque os países menos avançados têm menos acesso a diagnósticos e ao tratamento.

Sobrevivente do câncer de mama. Foto: OMS/S. Bones, by dsu-admin

A pesquisa também revela uma baixa das taxas de incidência de alguns tipos de câncer, que pode ser explicada com os esforços de prevenção. Essa queda aconteceu, por exemplo, com o câncer do pulmão, em homens do Norte da Europa e América do Norte, e com o câncer do colo do útero na maioria das regiões da África Subsaariana.

Regiões

Perto de metade dos novos casos e mais da metade das mortes em todo o mundo acontecem na Ásia, em parte porque a região tem quase 60% da população mundial.

A Europa tem 23,4% dos casos e 20,3% das mortes, embora tenha apenas 9% da população mundial. As Américas têm 13,3% da população global e representam 21,0% de incidência e 14,4% da mortalidade.

Por outro lado, as proporções de mortes na Ásia e na África são maiores devido a pior prognóstico e maiores taxas de mortalidade, além de acesso limitado a diagnóstico e tratamento.

Principais tipos

Os cânceres de pulmão, mama e colorretal são os três tipos mais comuns e estão entre os cinco que matam mais pessoas. O câncer no pulmão é o que mais mata, sendo o do colón o segundo e o da mama o quinto. Juntos, são responsáveis por um terço de todos os casos e de todas as mortes.

Câncer de mama é a quinta maior causa de morte., by Foto: Aiea/Dean Calma

O câncer de pulmão é responsável pelo maior número de óbitos, com 1,8 milhão de mortes. A seguir está o câncer do cólon com 881 mil mortes, do estômago com 783 mil, e do fígado com 782 mil.

Apesar dos números de incidência, o câncer de mama é a quinta maior causa de morte, estimando-se que leve a vida de 627 mil mulheres este ano, porque o prognóstico é relativamente favorável, pelo menos nos países mais desenvolvidos.

Gênero

Quanto às diferenças entre gêneros, o câncer de pulmão é o tipo mais comum entre homens e o que mais mata, seguido pelo câncer de próstata, colorretal e do fígado.Nas mulheres, o câncer de mama é o mais frequente e o mais diagnosticado.

Este tipo também é o que mata mais mulheres, cerca de 15% de todas as mortes, seguido do pulmão e colorretal. O câncer do colo do útero ocupa o quarto lugar tanto na incidência, 6,6%, quanto na mortalidade, 7,5%.

Uma das preocupações indicadas no relatório é o aumento da taxa de incidência de câncer de pulmão nas mulheres, que já é a principal causa de morte em 28 países.

O chefe da secção de Vigilância do Câncer da Iarc,  Freddie Bray, disse que “os resultados destacam a necessidade de continuar a implementar políticas direcionadas e eficazes de controle do tabaco em todos os países do mundo”.

AGÊNCIA INTERNACIONAL PARA PESQUISA SOBRE CÂNCER|GLOBOCAN 2018

 

 

 

    2 comentários

2 comentários

  1. Africano Atento

    13 de Setembro de 2018 as 6:34

    Câncer: Uma Guerra Silenciosa Contra a África

    Chama-se Guerra Biológica

    Não é normal que tantas pessoas na África estejam contraindo o câncer. É por coincidência? De jeito nenhum. O Ocidente está por trás desse fenômeno – Eles nunca serão nossos verdadeiros amigos, e também que os Africanos estejam atentos com à China (os Chineses), porque eles também não são nossos amigos (apenas interesse). O que complica as coisas na África é que o continente tem inimigos dentro (alguns Africanos estão contribuindo para a destruição do continente) e os estrangeiros (que querem apenas explorar os recursos e abusar dos seres humanos em África). Estamos muito mal. Vocês se lembram o que matou o ex-presidente da Venezuela, foi o câncer porque algumas pessoas, vocês podem saber quem queria se livrar dele e tira-lo de poder; eles teriam matado o Kaddafi com câncer se ele tivesse sobrevivido àquela guerra civil na Líbia. Esses muitos casos de câncer na África não são necessariamente justificados pela morte natural. Há muitas pessoas más neste mundo; rezar não é suficiente para impedi-los de causar uma vasta tragédia humana, trágicas catástrofes e morte. Apenas pense sobre isso …

    Se você acha que isso é uma teoria da conspiração, espere e veja, mais pessoas vão morrer se a comunidade internacional não se envolver e as pessoas começarem a falar sobre isso.

    Cancer: A Silent War Against Africa

    It calls biowarfare
    It is not normal that so many people in Africa are contracting cancer. Is it by coincidence? Hell no. The Occident is behind this phenomenon—They will never be our true friends, and lookout for China as well because they are not our friends either (just interest). What complicates things in Africa is that the continent has enemies within (some Africans contributing to the destruction of the continent), and foreigners (who just want to exploit resources and abuse humans in Africa). We are in trouble big time. Do you remember what killed ex-president of Venezuela, it was cancer because some people, you may know, wanted to get rid of him from power; they would have killed Kaddafi with cancer had he survived that civil war in Libya. These many cases of cancer in Africa is not necessarily justified by natural death. There are many people evil in this world; praying is not enough to stop them from causing vast human tragedy, tragic catastrophes, and death. Just think about it…

    If you think this is a conspiracy theory, wait and see, more people are going to die if international community do not get involved and people start talking about this.

  2. Eloisa Cabinda

    14 de Setembro de 2018 as 15:14

    Esta doença é um assunto muito sério! No meu ver, o aumento drástico desta enfermidade prende-se sobretudo com o uso de alimentos geneticamente modificados ou alimentos transgénicos (AGM), os fast-food (comida pronta), exagero no consumo de álcool que actualmente a maioria tem consumido, como política para matar a fome e economizar o tempo… Na África em particular, achamos que tudo o que vem dos países estrangeiros é bom, e, inclusive muitos se dão ao luxo de exibir quando estão consumindo esses produtos como sinónimo de viver bem… Quantos kg de asas de galinha, coxas, pé, moelas, McDonald’s, refrigerantes, bebidas alcoólicas, frutas cristalizadas, maçãs, uvas, goiabas e outras frutas encaixotadas há mais de meses (se não mesmo ano) etc., são consumidos por dia em África (em particular) e noutros continentes geralmente? A política do rápido e fácil consumo, tem levado ao desenvolvimento económico acelerado, mas ceifando vidas através de doenças como câncer e tantas outras patologias estranhas que temos visto. O que aconselho a todos é que cada um procure basear-se na alimentação caseira como nos tempos anteriores, consumido produtos locais e biológicos (As frutas, legumes e cereais derivados de sementes sem OGM e cultivados sem pesticidas ou fertilizantes químicos e a carne, peixe, ovos ou leite provenientes de roças/quintas nas quais a utilização de hormonas para o crescimento e farinhas vegetais não-orgânicos são proibidas, os antibióticos são limitados e os animais têm espaço para viver).

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo