Opinião

Natal, absoluta beleza

Em cada Natal celebramos o nascimento de Jesus. Gerado pelo Espírito Santo no seio da Virgem Maria, nasceu há dois mil anos em Belém da Judeia. Gerado pelo Espírito Santo no seio da Igreja e nos corações dos fiéis cristãos, nasce também hoje, humilde, despercebido e tantas vezes rejeitado neste nosso mundo secularizado.

O mundo tem dificuldade em O receber, mas precisa d’Ele para ter vida verdadeira. Ele é o logos por quem tudo foi criado e n’Ele tudo subsiste (cf. Cl 1, 16-17). Sem Ele nada tem lógica, nada se mantém; Sem Ele, o homem desconhece-se a si mesmo, degrada-se e corrompe-se. Portanto, como nos diz o Papa Francisco, o Natal inaugura uma nova era, onde a vida não se programa, mas se doa; onde não se vive mais para si, de acordo com os seus próprios gostos, mas para Deus e com Deus, porque a partir do Natal Deus é o Deus connosco.

Natal é o absoluto de beleza. A beleza é sempre a marca da presença de Deus no mundo, a custódia irradiante do absoluto da bondade, isso que dá o ser apenas pelo bem de fazer bem. Todavia, o ser humano experimenta, esta glória do bem que se faz, de Deus que vem ao mundo em cada meu ato de bem.

Vicente Coelho

    6 comentários

6 comentários

  1. Carlos

    24 de Dezembro de 2018 as 20:48

    Gostei do artigo, em poucas palavras, disseste o fundamental. Feliz Natal

  2. Perry

    24 de Dezembro de 2018 as 21:14

    É pena como o Natal tem vindo a perder o seu sentido original. Sabemos o hoje o Natal é comes e bebes. Bom texto

  3. Azy

    24 de Dezembro de 2018 as 21:33

    Simples e verdadeiro…

  4. Pedro

    25 de Dezembro de 2018 as 2:08

    Boa síntese. Deus que vem ao mundo em cada meu ato de bem , gostei desta frase.

  5. Paulo

    27 de Dezembro de 2018 as 10:10

    Um Feliz Ano novo para todos.

  6. Luís

    29 de Dezembro de 2018 as 12:38

    Gostei.
    Muito bem.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo