Sociedade

Carta do advogado do ex-ministro Américo Ramos ao PM

Adelino Pereira(na foto), um dos advogados que assiste o ex-ministro das Finanças, Américo Ramos, escreveu uma carta ao Primeiro Ministro Jorge Bom Jesus.

O situação do ex-ministro das finanças, detido preventivamente há mais de 20 dias na cadeia central de São Tomé, por alegada prática de crime de lavagem de capital, enriquecimento ilícito dentre outros, domina a missiva endereçada ao Primeiro Ministro.

Adelino Pereira denuncia uma série de violação de direitos, liberdades e garantias do seu constituinte. Violações de direitos e liberdades, que atingem também o próprio advogado. Violações que segundo Adelino Pereira, acontecem no estabelecimento prisional de São Tomé, onde foi impedido várias vezes de visitar o seu constituinte.

Na carta de 11 páginas, o advogado do ex-ministro das finanças, revela uma série de violações das leis e do Direito que alegadamente estão a ser cometidas também pelo Juiz de Instrução que ordenou a prisão preventiva de Américo Ramos, assim como pelo Supremo Tribunal de Justiça.

O leitor deve acompanhar na íntegra todas as páginas da carta do Advogado Adelino Pereira, endereçada ao Primeiro Ministro Jorge Bom Jesus.

CLIQUE – Carta ao PM – Américo Ramos

Abel Veiga

    17 comentários

17 comentários

  1. Consciência

    29 de Abril de 2019 as 17:33

    Triste e vergonhoso! Sai um e entra o outro e a m….. continua. Tenham vergonha!!!!

  2. Vanplega

    29 de Abril de 2019 as 17:51

    Aonde andava essas leis, quando o senhor Advogado foi presidente da comissão eleitoral, onde usaram e abusaram das leis, até nomear o pão mandato a presidente.

    Só agora conheces as leis? Para defender alguém que tem muitas explicações a dar a justiça.

    O bem que esse teu cliente têm veio de onde?

    Ele ganhou Euromilhões?

    O pai e a mãe, são milionários?

    Olhe senhor Advogado, talvez queres que alguém repita os estalos que levaste uns ano atrás.

    És Advogado, dás graças ao MLSTP

  3. Eu sou a mensagem

    29 de Abril de 2019 as 18:41

    Oh shr advogado, tenha juízo. Violação de direitos é usufruir e enriquecer ilicitamente com aquilo que não é seu. O shr estudou e conhece a lei melhor do que eu. O shr acha que ter fortuna é sacar no lombo daqueles que passam fome e nem tem para dar os seus filhos? Ganhar dinheiro e bens honestamente é que faz de um cidadão digno e de alto valor. Sei que é o seu trabalho defender o seu cliente, mas desta maneira não sei se ele vai se safar porque o povo agora anda de olho e esperto. É que ele roubou tanto e abertamente que próprio o shr ficou sem muita margem para o defender. Tristeza.
    Um bem haja a todos.
    Que Deus abençoe STP.

  4. STP Terra linda e gente boa

    29 de Abril de 2019 as 18:54

    Assim vai a sociedade são-tomense. O advogado deve estar a implorar ao primeiro ministro para soltar aquele que caiu no laço. É fácil. Manda-lhe devolver o que tirou do povo.

  5. Muita Tristeza

    29 de Abril de 2019 as 19:12

    Quem diria ver o MLSTP e outros que andaram a criticar o ADI a fazerem exatamente o mesmo. Sinceramente que eu não esperava isto. Não foi para isto que eu vos dei o meu voto. Acabou o estado de graça. Todos são feitos da mesma massa. O país assim não pode progredir. É muito triste tudo isto mas deste este MLSTP renovado e com outra geração eu esperava outra postura. São todos bandidos.

  6. aldine silva

    29 de Abril de 2019 as 20:56

    Palerma.Você quer é tua parte de dinheiro.fdp

  7. Realista

    29 de Abril de 2019 as 20:59

    Siga meu conselho rapaz de óculos volta de novo pra universidade pk todos sabemos k este Américo o k ele tem onde a justiça já deveriam conficaoizar tudo mais como está justiça d São Tomé é tipo faz d conta k da nisso todos nós temos olhos pra ver e cabeça pra pensar.

  8. Renato Cardodo

    29 de Abril de 2019 as 21:28

    O advogado quer receber o seu dinheiro que não deve ser pouca coisa.Ladrão conhece ladrão.
    Quando iam partindo as fussas a este advogado pela eminente figura da Praça política foi bom ele ter sido lesto.
    Se apanhasse bem as palmadas que a xerox levou até andaria em bicos de pé.
    Vai vender sua banana noutra freguesia.

  9. maria chora muito

    29 de Abril de 2019 as 22:12

    Adelino Pereira vive num outro planeta. Ele como advogado nunca esteve na cadeia para ver nenhum detido. Caso contrário, ele saberia como os jovens advogados sofrem nas mãos de um tal carcerreiro Alcídio, para ver os seus constituintes que estão na prisão.
    Adelino a tua estratégia e da Celiza para promoção do vosso escritório, com cartas abertas e conferências não funciona.
    A mulher do Américo ficou a gritar habeas corpus,habeas corpus, porque Adelino anda a lhe enganar. Não havera nenhum habeas corpus que vai ser decretado. Não estão reunidos os requisitos legais.

  10. Original

    30 de Abril de 2019 as 7:56

    O advogado não escolhe cliente, até diabo pode ser seu cliente o que querem é apenas ganhar o seu dinheiro convencendo o público que Diabo é Deus.

  11. Marinho

    30 de Abril de 2019 as 8:17

    Pelo que eu saiba há um ofício da Direcção Geral dos Serviços Prisionais e de Reinserção Social datada do dia 23 de Agosto de 2018, assinado pelo o então Director Geral daquela instituição Gilberto de Ceita endereçada a Sua Excelência a Bastonária da Ordem dos Advogados, com umas tantas normas, requisitos que os advogados devem ter para a audiência com os reclusos, não sei porquê agora esse advogado vem agora reclamar que não tem acesso para entrar na instituição, sabendo que foi o ADI que criou estes requisitos. Agora estão a beber do próprio veneno, aqui se faz e aqui se paga.

  12. apavorado

    30 de Abril de 2019 as 8:35

    O pior de tudo é quando na abertura do ano judicial aparece uma senhora a chorar amargamente que libertem o Américo, francamente, francamente , só em STP city se vê isso, um homem( Américo ) mais os seus comparsas desviam esse montante e vem a mulher amargamente choramingando para libertarem o seu marido.Na bonança onde ela se encontrava. Por favor justiça não caem nisso libertando o homem, porque o povo já tem os olhos bem abertos e foi esse povo que voto nessa nova coligação, hoje um governo quase de consenso nacional apenas o ADI na oposição e que fique lá esse ADI á não piar porque não existe razão de momento para piar.

  13. Metido a Besta

    30 de Abril de 2019 as 9:54

    Senhor advogado , a vossa ex mencionou Portugal e seria bom que explicasse quando e onde um advogado em exercio das suas funcoes de advogacia escreve a um primeiro ministro quanto a materia de foro judicial?

    Deveria saber que o Senhor primeiro ministro, JBJ nunca foi o dono disso tudo nen coisa parecida.

    A vossa ex faria bem em explicar a CR quanto a passagem de pasta e dossier.

    O seu cliente no exercio das funcoes estabeleceu alguns contratos em nome da Republica de Sao Tome e deveria passar tais, informacoes ao novo governo, executivo e nao tendo feito e nao obstante terem sido interpelado na Assembleia da Republica perante deputados no centido de apresentar nao fez.

    A vossa ex vem invocar a Lei ???? Sendo a Lei que governo teve que usar para saber de paradeiros dos contratos e milhoes.

    Nao acha que governo tem o direito de saber das dividas contraiada em nome da Republica e qual seu paradeiro.

    Se voluntariamente alguem que deveria prestar as contas e nao fez e convidado a prestar o mesmo e nao respondi entao nao resta outra parte alternativa se por via judicial.

    Tempo da Republica de banana chegou ao fim , 44 anos da Republica de banana haveria chegar ao fim,

    Pensou que poderia continuar a usufruir de bens de Estado a seu belo prazer sem houvesse conciquencia ?

    Pois ja nao era sem tempo para por fim a onda de impunidade que reina em Sao Tome.

    Estou a espera para ver o que vai acontecer com o senhor Adalberto Luiz da CECAQ com os 4 paletes de vinho de big boxes de 5l cujo este senhor apoderrou e vendeu ja la vao 18 meses e ate aqui nao vejo nem um centavo.

    A Moda de Sao Tomense apoderar de bens aleios e de Estado usufruindo a vosso belo prazer.

    Bandidos e gatunos para cadeia.

  14. Generosa

    30 de Abril de 2019 as 12:57

    Senhor Dr Adelino Pereira
    Senhor era o meu fã. Mas perdi este gosto por si. O senhor está a exagerar. Ganha dinheiro com honestidade. Senhor acha que ser ministro 4 ou 8 anos dá para ostentar a riqueza como tem feito o Americo?
    Procura saber quantas casas ele tem em portugal. Coimbra e Lisboa. Convenhamos. A justiça tem que nos esclarecer a veracidade deste caso. Porquê que orientaram Americo para nao falar? Deixa o homem dizer tudo que ele sabe. O senhor e a sua colega Celisa é que estao a contribuir para Americo continuar na cadeia porque nao querem para ele falar. Porquê que ele nao pode falar? CREDO.

  15. Doe mas Passa

    30 de Abril de 2019 as 15:37

    Criticar significa fazer a análise de algo, avaliar, comentar, apreciar o que existe de bom, de menos bom e até mesmo daquilo que é medíocre como foi a carta remitida pelo dito advogado Adelino Pereira a Sua Excelência o Senhor Primeiro-ministro, Dr. Jorge Bom Jesus.
    Não é preciso sequer ler a referida carta com muita atenção, para se perceber de tamanhã ignorância do dito advogado com relação a separação de poderes.
    Como pode um advogado que se arroga ter concluído a sua licenciatura na melhor universidade de Lisboa cometer um erro tão grosseiro?
    A separação de poderes
    Não existe Estado sem poder e a forma como este está estruturado diz tudo sobre um país. Quando o poder é concentrado numa pessoa, temos um Estado totalitário: uma ditadura. Nas sociedades ocidentais, porém, defende-se que este deve ser dividido, para evitar o abuso.
    Cada um com a sua missão
    A razão de ser de existirem diferentes poderes públicos. O que faz o Governo? E a Assembleia da República? As missões são diferentes porque vivemos em democracia e essa separação facilita a fiscalização e evita abusos.
    O que isto significa é que o órgão que faz as leis não pode ser o mesmo que as executa, nem o mesmo que repõe a justiça.
    Por exemplo, o Governo não pode dizer a um juiz como é que ele deve decidir num determinado caso. Por isso é que existem três poderes distintos: o legislativo, que pertence à Assembleia da República; o executivo, que pertence ao Governo; e o judicial, que pertence aos tribunais. Cada um tem limites que não pode ultrapassar.
    Será que Adelino Pereira não sabe que sendo o Primeiro-ministro o chefe do Governo, não pode interferir na decisão do Tribunal?
    Quero aqui lembrar a este advogado de meia tijela, que diz na sua carta ter sido advogado em Portugal, o que disse a ministra da Justiça de Portugal, Dra. Francisca Van-Dúnem, que também é magistrada de carreira do Ministério Público, tendo sido Procuradora Geral Distrital de Lisboa, antes de fazer parte do atual governo em Portugal.
    São essas as palavras da referida ministra no caso do processo Manuel Vicente: “O poder judicial é “totalmente independente” do executivo. Não discuto se foi acertada ou se foi menos acertada. Não há aqui um problema de acerto ou menos desacerto.
    Aquilo que houve foi uma decisão judicial e, como compreenderá, não devo, não comento, decisões judiciais. O processo correu todo no sistema judicial, que tem total independência relativamente ao executivo, e esse é um aspeto que é importante frisar, que tem de facto independência relativamente ao executivo.
    O sistema judicial decidiu e, do meu ponto de vista, não tenho de comentar a decisão não tem de comentar se se tratou de uma decisão correta ou menos correta.
    Como já disse, e quero reiterar, há matérias do Judiciário que o Governo não interfere. Há um respeito absoluto pela separação de poderes”.
    Só posso chegar a uma conclusão que, Adelino Pereira é um advogado medíocre, complexado, ignorante, prepotente, arrogante e vaidoso, e isso mostrou ao ter o desplante de escrever uma carta para Sua Excelência, o Primeiro-ministro em vez de ter escrito para o Conselho Superior de Magistrados Judiciais, desrespeitado assim a Separação de Poderes. Quero aqui também lembrar ao dito advogado que o atual Primeiro-ministro chama-se Jorge Bom Jesus e não Patrice Trovoada.
    A mediocridade de Adelino Pereira é tão grande, que tratou o Diretor Geral dos Serviços Prisionais por (Dr.), a sua colega por (Dra.), a Procuradora-adjunta por (Dra.) e não tratou o juiz de Instrução Criminal que decretou e bem a prisão do ex-ministro das finanças, por (Dr.). Será que Adelino Pereira não sabe que aquele juiz foi o melhor aluno da sua faculdade onde estudo Direito?
    Na minha opinião o Juiz decidiu bem em decretar a prisão preventiva do ex-ministro das Finanças Dr. Américo Ramos.
    Quanto ao espetáculo protagonizado pela concubina do ex-ministro das Finanças Dr. Américo Ramos na abertura do ano Judicial, não merece qualquer pronunciamento da minha parte, isto porque foi de tão baixíssimo nível daquela senhora, o que me leva a não compreender como foi possível um dito intelectual do País, poder se envolver com uma mulher como aquela senhora, que gritava daquela forma numa cerimónia de abertura do ano Judicial, como se tivesse morrido alguém da sua família.
    Quero recordar ao Adelino Pereira alguns casos de prisões de políticos corruptos em Portugal:
    1 – José Sócrates foi detido e que todo o processo se começou a desenrolar, culminando na detenção e prisão preventiva do ex-primeiro-ministro português. Será que Adelino Pereira ainda se lembra quando tempo ficou o ex-primeiro ministro José Sócrates em prisão preventiva?
    2 – Armando Vara, ex-secretário de Estado e ex-ministro do partido PS.
    3 – José Penedos, presidente da REN, ex-secretário de Estado da Defesa e da Energia.
    4 – Paulo Penedos, advogado, ex-dirigente do PS e filho de José Penedos.
    5 – Ainda este ano, Duarte Lima, um dos barões do PSD foi condenado a 10 anos de prisão efetiva por burla qualificada e branqueamento de capitais.
    6. Maria de Lurdes Rodrigues, ex-ministra da Educação do PS, foi condenada a três anos e seis meses de prisão por prevaricação de titular de cargo político.
    Moçambique:
    Helena Taipo, ex-ministra e embaixadora de Moçambique em Angola, detida após ser ouvida pelo Gabinete Central de Combate à Corrupção (GCCC) e levada para um estabelecimento penitenciário da capital moçambicana.
    Neste processo, Helena Taipo é suspeita de ter recebido subornos de 100 milhões de meticais (1,4 milhões de euros) para favorecer empresas de construção civil e do setor gráfico em contratos com a Segurança Social.
    Os factos remontam a 2014, quando Helena Taipo era ministra do Trabalho e nessa qualidade tutelava o Instituto Nacional de Segurança Social (INSS).
    Guiné Bissau:
    Nicolau dos Santos, ministro da agricultura, detido em caso de arroz doado pela China alegadamente desviado.
    Angola:
    Ex-ministro dos Transportes de Angola Augusto da Silva Tomás, encontra-se detido desde 21 de setembro de 2018 no Hospital Prisão de São Paulo, em Luanda, por suposto envolvimento no desvio de fundos do CNC, depois de a Procuradoria-Geral da República (PGR) ter dado “luz verde” para a aplicação da medida de coação processual de prisão preventiva.
    Brasil:
    Ex-presidente Michel Temer foi preso, em São Paulo, por ordem dos procuradores da Operação Lava Jato, numa operação intitulada Descontaminação.
    Michel Temer é o sexto ex-presidente preso na história do Brasil. A prisão de Michel Temer faz crescer a lista de ex-presidentes presos na história do País, com ele conta-se seis ex-chefes de Estado detidos em diferentes períodos. Luís Inácio Lula da Silva, preso em 7 de abril do ano passado também devido aos desdobramentos da Operação Lava Jato, detém uma diferença entre os demais. Lula foi o primeiro condenado em um processo criminal.
    Agora pergunta-se, ao Adelino Pereira, por que razão em São Tomé e Príncipe não se pode prender um ex-ministro corrupto, e logo faz-se uma carta ao Primeiro-ministro, não respeitando a separação de poderes para libertar o mesmo?
    Não compreendo a razão de tanta estranheza na prisão de um ex-ministro. Mas isto só pode ter uma explicação: “não estamos habituados a ver um ex-ministro ser preso”. Mas também não podemos continuar a ver esses exemplos só nos outros países. No nosso, há muito que já precisava dessa mudança.
    O que deve fazer agora o Ministério Público é deduzir acusação, e não fazer jogo de cintura, engonhar com o processo e depois mandar arquivar o processo por falta de provas. Deve sim, com celeridade deduzir a acusação para que o tribunal no mais curto espaço de tempo esclareça a responsabilidade criminal imputada ao Dr. Américo Ramos, ex-ministro da Finanças e titular de cargo político por crimes cometidos no exercício das suas anteriores funções, de modo a repor a confiança da sociedade civil nos titulares dos órgãos do poder político.

    «Tenho dito».

    • MIGBAI

      30 de Abril de 2019 as 17:14

      Meu caro “Doe mas passa”.
      Esta gente de São Tomé e Príncipe, não entende o que o meu amigo muito bem escreveu.
      Não existe separação de poderes e isso é uma realidade pura e simples.
      Concordo que tenha tido a necessidade de esclarecer esta gente, e mais uma vez lhe digo que o fez muito bem, com exemplos para verem como se trata destes assuntos em outros países.
      Porém, e existe sempre um porém, não concordo consigo, quando concorda na prisão preventiva do Ex-ministro das finanças “Na minha opinião o Juiz decidiu bem em decretar a prisão preventiva do ex-ministro das Finanças Dr. Américo Ramos.”.
      Como sabe, e disso não tenho a mínima duvida, quais as razões/pressupostos da opção da medida a prisão preventiva em detrimento de outra mesmos gravosa.
      Ora bem onde está o perigo de fuga da ilha?? será a nado, será numa boia??? a questão da paz social? bem não vejo que de tal se trate já que não temos um assassino.
      Enfim, prisão preventiva é algo que não se devia enquadrar no caso em apreço.
      Agora sem dúvida alguma, o advogadinho do ex-ministro não sabe o que faz e nem entende isso da separação de poderes, ao ponto de ter feito a asneira que fez ao escrever o que escreveu e muito menos ter feito dirigida a aquém o fez.
      Como pode ver é o que aqui temos.
      Mais uma vez excelente comentário o seu.
      PARABÉNS “Doe mas Passa”

  16. Hugocruzcruz

    4 de Maio de 2019 as 18:36

    Insultos, não deveriam perpetuar nos comentários do TÉLA NÓN, a onde é que para o administrador destas páginas? Francamente (Palerma e FDP-que quer dizer filho da P….)

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo