Sociedade

Número de pessoas com demência deve triplicar em 30 anos

Organização Mundial de Saúde publicou primeira lista de recomendações para evitar declínio cognitivo; fazer exercício físico regular, não fumar ou beber em moderação reduz riscos.

Opções de estilo de vida, como fazer exercício físico regular, não fumar ou beber em moderação, podem reduzir o risco de demência e declínio cognitivo.

A afirmação é da Organização Mundial de Saúde, OMS, que publicou esta terça-feira a sua primeira lista de recomendações para evitar a demência.

Ameaça

A agência prevê que o número de pessoas com esta condição degenerativa triplique nos próximos 30 anos. As novas recomendações procuram contrariar essa projeção e ajudar os profissionais de saúde e governos a desenvolver políticas nacionais.

Cerca de 50 milhões de pessoas no mundo sofrem de demência. Todos os anos, surgem perto de 10 milhões de novos casos. A doença também tem um custo financeiro: cuidar destes pacientes deve custar cerca de US$ 2 triliões por ano até 2030.

Em nota, o diretor-geral da OMS, Tedros Ghebreyesus, disse que é preciso “fazer tudo o que é possível para reduzir o risco de demência.” Segundo ele, “as provas científicas reunidas para estas diretrizes confirmam o que se suspeita há algum tempo, o que é bom para o coração também é bom para o cérebro.”

De acordo com as novas recomendações, para reduzir o risco de demência as pessoas devem controlar seu peso, comer de forma saudável e manter níveis adequados de pressão sanguínea, colesterol e açúcar no sangue.

Reposta

No ano passado, a OMS prestou apoio a países como Bósnia e Herzegovina, Croácia, Catar, Eslovênia e Sri Lanka para desenvolver respostas abrangentes e multissetoriais a esta ameaça de saúde pública.

Escolhas de estilo de vida é uma das várias áreas de ação incluídas no plano de ação global da OMS para a resposta da saúde pública à doença. Outras áreas incluem o fortalecimento do diagnóstico, tratamento e cuidados, com destaque ao apoio on-line para cuidadores de pessoas com demência.

A diretora do Departamento de Saúde Mental e Abuso de Substâncias da OMS, Dévora Kestel, disse que “os familiares de pessoas com demência muitas vezes precisam fazer ajustes consideráveis ​​na sua vida familiar e profissional para cuidar de entes queridos.”

Apoio

Segundo a especialista, foi por isso que a OMS criou o iSupport, um programa de formação na internet. O recurso está disponível em oito países e deve ser expandido em breve.

Dévora Kestel diz que o programa “fornece aos cuidadores de pessoas com demência conselhos gerais sobre cuidados, sobre como lidar com mudanças de comportamento e como cuidar da própria saúde.”

A demência é uma doença caracterizada por uma deterioração da função cognitiva além do normal causada pelo envelhecimento.  A condição afeta memória, pensamento, orientação, compreensão, cálculo, capacidade de aprendizagem, linguagem e discernimento.

A demência resulta de várias condições e lesões que afetam o cérebro, como doença de Alzheimer ou derrame cerebral.

PARCERIA -Téla Nón / Rádio ONU

    Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo