Sociedade

SMF formada em tecnologias de informação para combater trafico de seres humanos

Trata-se do primeiro curso de formação em tecnologias de Informação e Comunicação, que a Escola Portuguesa de São Tomé e Príncipe, administrou a favor dos funcionários do Serviço de Migração e Fronteiras (SMF) do país.

Numa nota enviada ao Téla Nón, é explicado com detalhes os objectivos da formação administrada pela escola portuguesa de São Tomé e Príncipe, aos funcionários do serviço de migração e fronteiras. «O curso é promovido pelo projeto RIMM – Reinforcement of Integrated Migration Management, uma parceria entre o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras de Portugal e o Serviço de Migração e Fronteiras de São Tomé e Príncipe, financiada pela Comunidade Europeia e pelo orçamento de Estado Português, e enquadra-se nos objetivos do projeto de luta contra o tráfico de seres humanos».

Para além da capacitação do serviço de fronteiras, na luta contra o trafico de seres humanos, o projecto realiza acções de formação e de prevenção junto as potenciais vítimas do trafico humano, sejam crianças ou adultos.

A capacitação dos funcionários do serviço de migração e fronteiras no domínio das novas tecnologias de informação abre portas e cria competências no seio dos funcionários, para absorção e aplicação de conteúdos mais «técnicos e específicos no âmbito da segurança dos documentos de identidade e de viagem e do controlo de fronteiras», explica a nota da organização do curso.

A cerimónia de encerramento do primeiro curso de formação em Tecnologias de Informação e Comunicação, ministrado pela Escola Portuguesa de São Tomé e Príncipe aos Funcionários do Serviço de Migração e Fronteiras, decorreu na quinta feira 8 de Setembro, nas instalações da escola portuguesa de São Tomé e Príncipe.

Abel Veiga

    Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo