Sociedade

Sociólogo mostra estudo que desmente a história contada em Portugal de que “Crianças de STP bebem mais álcool do que leite”

Tomando o conhecimento da barbaridade que foi notícia no Jornal o público de Portugal por alguém que se quis passar por investigadora, sobre o consumo de álcool em São Tomé e Príncipe por Crianças e mais uma serie de atrocidades sem pautar pela cientificidade que este tipo de investigação exige, tomei a liberdade de apresentar dados credíveis realizado em São Tomé e príncipe.

Entre ano 2015-2016 realizou um Estudo sobre a prevalência de consumo de substâncias psicotrópicas em Adolescentes e Jovens nas Escolas Secundárias do Distrito de Água-Grande Mé-zochi, Lembá, Cantagalo e a Região Autónoma do Príncipe.

O Estudo foi liderado pelo Gabinete de prevenção e Luta Contra a Droga e a Toxicodependência (GPLDT/IDT) que tinha como Directora a actual Ministra da Justiça Dra. Ivete Lima e contou com a colaboração técnica de quadros do Instituto Nacional de Estatísticas (INE) e com a minha colaboração na qualidade de consultor independente. Tratou-se de um estudo que gozou de financiamento da UNICEF.

Veja o estudo na íntegra- Artigo do Sociólogo Olívio Diogo – Tomando o conhecimento da barbaridade que foi notícia no Jornal o público de Portugal por alguém que se quis passar por investigadora

    8 comentários

8 comentários

  1. Celestino

    8 de Janeiro de 2020 as 8:55

    A informação deste estudo está muito confusa. Não se percebe nada dos números expressos ai.

  2. Antonio Nilson

    8 de Janeiro de 2020 as 8:57

    Está é uma das melhores formas de obter dados científicos se os inquéritos e as respostas forem autênticas. Bom trabalho
    Os país e as mães das crianças são responsáveis pelos infantis. A sociedade em geral poderá contribuir na separação do alcoolismo a nossa população infantil.
    Adicionalmente, queria lembrar que há anos atrás, eu fiz lembrar aos nossos dirigentes no sentido de bloquear o vírus HiIV e doença SIDA para não atingir à população (bloquear a partir de análise do sangue dos estrangeiros e de pessoas que entrar o país tendo em conta a campanha interior de identificação dos portadores do vírus). Ver o que se está a passar em Angola
    O vírus HIV, doença incurável do SIDA não é algo para brincar porque aquilo destrói uma geração de pessoas. África tinha o potencial de ser um continente com população jovem em maioria para construir o futuro do continente, mas por falta de boa liderança e muitas pessoas ficaram destruídas, muitos males entraram no continente, parece que África ficará de novo atrás.
    Entretanto, existe esperança de um dia melhor que começa com a descoberta que a maioria das nossas crianças não estão bêbadas

  3. Boinal

    8 de Janeiro de 2020 as 11:07

    Ena, tantos estudos que STP tem ultimamente…
    Que tal um estudo sobre o lixo, corrupção, preguiça, atraso, saúde, má governação, etc, etc, etc…?

  4. Olindo Garcia

    8 de Janeiro de 2020 as 15:31

    Plimmmm!
    clap tshhhhhh

    Boa tarde Senhores passageiros fala o vosso comandante, obrigado por viajarem na STP Inter-Galactic.

    Bem-vindos à estação espacial São Tomé e Principe em Marte.
    Relembramos os Senhores passageiros que nesta estação apenas serão admitidos humanóides virtuosos, possuídores de certificado de superioridade intelectual, imunes ao vírus da humildade e capados da sua honestidade.

    Relembramos ainda aos passageiros admitidos nesta estação que não é permitido pensar, raciocinar nem retirar conclusões. Qualquer ideia expressa por palavras que revele espírito crítico será severamente punido por quem está lá para pensar por si. Mesmo que veja bem, ser-lhe-à fornecido um par de óculos que deve ser usado em qualquer circunstância.

    Aos restantes passageiros, será negada a entrada nesta estação espacial e deverão voltar à Terra com as suas capacidades cognitivas intactas.

    Obrigado pela sua preferência, desejamos viajar em breve na nossa companhia, desejamos-lhe uma boa estadia.

    clap
    tshhhhhh

  5. afranio

    8 de Janeiro de 2020 as 21:24

    Boas meus caros, quando somos contaminados por Virus e Parasitas, a solução e extermina-los. Esta senhora está a mostrar o seu caracter que muitos portugueses que se encontram em Sao Tome nunca mostraram, Imperialista, ainda pensam que somos a sua colônia.
    Cabe-nos a nos mostrarmos aos imperialistas que ja não somos mais a sua colônia. O Ocidente nao quer que a Africa se desenvolva para podermos ser pedintes crônicos, assim fazem estudos ou pesquisas que deveriam ser para ajudar o pais a resolver os problemas.

    Esta senhora que se diz santomenses deveria ser retirada a nacionalidade santamente e nunca mais entrar no Pais

    • Boinal

      9 de Janeiro de 2020 as 6:37

      Deixa de beber tanto, Afranio!

  6. Zagaia

    14 de Janeiro de 2020 as 7:03

    Somos o segundo país mais pequeno da África. Rico em recursos naturais, que não estão a ser explorados,porque as autoridades (motivados de más políticas e politiquiçes) não sabem ou não querem saber. Contra factos,nào há argumentos,todas as nossas acções e reacções,revela que não é um país pobre, mas sim, país de gentes com mentalidade pobre. Vamos nós trabalhar, trabalhar com as nossas universidades, INE,,vamos pôr estas instituições á funcionar,não permitindo á criação de parisitas,sugando os contribuintes fiscais Sãotomenses. SR.Primeiro ministro JORGE BOM JESUS,ponha estes sanguessugas á trabalhar…..

  7. Gentil Martins

    14 de Janeiro de 2020 as 15:39

    Desculpe, mas o seu estudo confirma exactamente o problema do consumo EFECTIVO e não desmente coisa nenhuma.

    Consumo de álcool entre os 10 e os 19 anos, % agregada: 39,1%
    Consumo de cerveja entre os 10 e os 19 anos, % agregada: 37,9%

    consumo de álcool PARA SE SENTIR MELHOR entre 10 e 19 anos: 26,7% (revela adição, vulgo alcoolismo).

    Se isto não é alcoolismo infantil, não sei o que será.

    Preocupante que o consumo de cerveja seja menor do que “outras bebidas alcoólicas” o que indicia consumos não contabilizáveis, vulgo vinho de palma de produção caseira. Aqui os dados do INE valem zero, porque a produção de álcool deste tipo não é regulada e, portanto, não contabilizável.

    Tudo somado, o Sr nem uma conclusão séria consegue tirar do Estudo que, alegadamente, fez.
    Você deve ser o cãozinho de alguém, a dar a patinha, a buscar o pauzinho e a rebolar no chão, tenha vergonha e justifique o dinheiro que gastou ao contribuinte Sãotomense e Português que financiou a sua formação em Portugal. Retorne à sociedade a oportunidade que lhe deram e deixe as aspirações de subir no sistema de parte.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo