Sociedade

17 são-tomenses residem no epicentro do coronavirus

A cidade chinesa de Wuhan onde se deflagrou a doença respiratória, para já sem cura, alberga 17 estudantes são-tomenses.  A informação foi dada pela Ministra dos Negócios Estrangeiros e Cooperação Elsa Pinto.

«Tranquilizar os familiares mais próximos de que até agora nenhuma nota ou informação de que algum estudante são-tomense tivesse contraído a virose. Temos 17 estudantes nessa cidade», declarou a ministra na terça – feira.

Na conversa com os jornalistas, a Ministra dos Negócios Estrangeiros e Cooperação, anunciou que iria reunir-se com o embaixador da República Popular da China em São Tomé e Principe, Wang Wei.

Uma reunião que segundo Elsa Pinto, serviria para lançar pistas para socorrer e proteger os 17 estudantes que estão sitiados na cidade de Wuhan, por causa do coronavirus.
«Tenho um encontro com o embaixador da China para dizer que medidas vamos tomar conjuntamente para proteger os são-tomenses», precisou a ministra.

A Chefe da Diplomacia são-tomense, acredita que Deus vai proteger os 17 cidadãos são-tomenses e os demais habitantes da cidade de Wuhan. A nível nacional, Elsa Pinto confia que a obra de Deus que permitiu a criação de São Tomé e Príncipe como um arquipélago, por si só, dá protecção ao país. «Os Estados insulares têm a sua defesa natural», frisou.

Coronavirus, só pode entrar em São Tomé e Príncipe por importação, aérea ou marítima. Por isso mesmo no quadro do grito de alarme mundial dado pela OMS, a ministra considera que São Tomé e Príncipe, através do ministério da saúde deverá reforçar as acções de fiscalização sanitária nos portos e no aeroporto internacional.

Abel Veiga

    10 comentários

10 comentários

  1. Arménio Camblé

    30 de Janeiro de 2020 as 11:02

    Ora Viva,……
    Isso demostra que o Governo do meu país esta atento aos problemas que se operam no mundo e se preocupa com os seus concidadãos…..

  2. Lucas

    30 de Janeiro de 2020 as 13:04

    Lá diz o ditado
    *fia-te na Virgem e não corras vais ver o funeral que levas*
    Tinha eu uma filha muito doente no *hospital de referencia*,e sempre que questionava a médica àcerca da evolução da doença da minha bebé mandava-me rezar. Só que eu não sou de rezas nem crente.De forma rapida saio para Portugal e salvei a bebé. Tenho muita pena,sinceramente,dos que não tem forma de se salvarem e morrem rezando.Os estudantes lá na china que se cuidem.

  3. Manuel do Rosario

    30 de Janeiro de 2020 as 13:39

    Um avião partiu hoje cerca das 10 h e chegará amanhã ao wuhan. Caso seja possível encitaria contacto com o Governo Português e com a nossa embaixada na China para evacuar também os 17 estudantes nossos que lá se encontram. O aparelho tem capacidade para mais de 800 passageiros.

    • Ralph

      31 de Janeiro de 2020 as 5:35

      Acho que isto representa a melhor maneira de resgatar os são-tomenses. A governo de Tonga, um país no Oceano Pacífico, está a pedir aos governos da Austrália e da Nova Zelândia assumirem a responsabilidade de levar os cidadãos de Tonga que se encontram na China porque o governo de Tonga não tem os recursos para o fazer por si só.

  4. Manuel do Rosario

    30 de Janeiro de 2020 as 14:02

    ORIENTE MÉDIO
    Falando a jornalistas após retornar da China, Tedros informou que até este 29 de janeiro, mais de 6 mil casos haviam sido confirmados, com 132 mortes. Mais de 9 mil suspeitas de coronavírus estão sob análise.
    Fora da China, já foram notificados 68 casos em 15 países. A maior parte dessas pessoas viajou para o país asiático.

    Ainda nesta quarta-feira, foram confirmados os primeiros casos no Oriente Médio, em quatro pessoas da mesma família que estiveram na cidade de Wuhan, onde o vírus foi detectado no final de dezembro.

    Agências de notícias na Alemanha indicam que quatro casos de coronavírus foram confirmados.

    Todos trabalham na mesma empresa. Ali, um homem de 33 anos tinha participado de um treinamento com uma colega chinesa, que havia viajado da China à Alemanha em 19 de janeiro. A funcionária não apresentava sintomas e só começou a se sentir mal quando voltava à China.

  5. Amigo do amigo

    30 de Janeiro de 2020 as 14:27

    Sao no total 19 estudantes de STP em Wuhan. 18 civis e 1 militar.

  6. Ralph

    31 de Janeiro de 2020 as 5:28

    Neste caso, acho que uma crença em Deus não será suficiente. Esta situação está verdadeiramente assustadora. De qualquer modo, vale a pena rezar e esperar que tudo se dê por certo.

    • Lucas

      31 de Janeiro de 2020 as 9:28

      Pois então que rezem e se possivel deitados pra não cansar

  7. Tony

    31 de Janeiro de 2020 as 13:07

    Então o governo não trata de fretar um avião e repatriar os seus cidadãos?!

    Isto é defender os seus!?

    Com os milhões de usd a entrar não há um acto de patriotismo!!!!

    Que vergonha de País

  8. José Gonçalves

    31 de Janeiro de 2020 as 17:09

    Para que Deus nos proteja ele tem que acreditar em nós. Este Governo e em especial esta senhora, o Delfim Neves entre outros faz com que o Deus não dê ouvidos nos pedidos deles. São falsos, bandidos e malvados o que Deus não gosta. Por isso minha senhora não peça nada a Deus porque ele está muito desconfiado com a vossa atitude.
    Os familiares dos alunos é que devem diligenciar e pressionar o Governo para que eles possam ir temporariamente para um país mais seguro e depois regressarem quando as condições estiverem criadas.
    Bem Haja aos nossos jovens

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo