Sociedade

“Operação Vassourada” para São Tomé ser novamente cidade mais limpa de África

Arrancou na última sexta feira, a “Operação Vassourada”. Trata-se de uma operação de salubridade pública, que pretende acabar com o amontoar de lixo na cidade de São Tomé.

Promovida pela Fundação Micondó, instituição liderada por Jean Piérre Bensaid, Cônsul de São Tomé e Príncipe em Marselha – França, a “operação vassoura”, envolve a Câmara Distrital de Água Grande que administra a cidade de São Tomé, e a empresa de construção civil, JAA, do são-tomense vulgarmente conhecido por António Dolores.

«Esta operação tem que ser feita agora porque temos muitos pontos da cidade com muito lixo e que só com os meios da Câmara Distrital, nunca conseguiremos dar cobertura», afirmou José de Carvalho, Presidente da Câmara de Água Grande.

Segundo o autarca a “Operação Vassourada” faz parte de uma das acções da longa e intensa campanha de limpeza que a autarquia projecta para o ano 2020.

Para já desde o dia 7 de Fevereiro e até o dia 11, a “operação vassourada” utiliza máquinas pesadas, nomeadamente retro – escavadoras, para remover o lixo que está amontoado em várias artérias da cidade capital e arredores.

Jean Pièrre Bensaid, em nome da Fundação Micondó, manifestou a insatisfação pelo actual cenário da capital, marcado por muito lixo e por grande ameaça a saúde pública.

«Estou a lançar a fundação Micondó, virada para o desenvolvimento sustentado do país. Vai dar apoio para educação, saúde, cultura e o património de São Tomé e Príncipe. Por isso decidi iniciar com apoio a Câmara da cidade capital, para retirar a maior parte do lixo, de forma que a nossa cidade volte a recuperar o seu estatuto de mais linda de África», pontuou Jean Pièrre Bensaid.

A parceria tripartida, Fundação Micondó, a Autarquia de Água Grande, e a empresa JAA de António Dolores, pretende limpar a cidade, e cultivar a mudança de mentalidade no seio da população citadina. Até julho de 2020, mês da independência nacional, a “Operação Vassourada”, prevê uma mudança total na imagem actual da cidade de São Tomé.

«Esta acção é a primeira de uma série de outras que visam acabar com o lixo na cidade capital. Vamos também apoiar na formação e no apoio material, em parceria com outros parceiros internacionais», acrescentou o cônsul de São Tomé e Príncipe em Marselhba-França e Presidente da Fundação Micondó.

No seu projecto de saneamento do meio e de organização da cidade de São Tomé, para 2020, a autarquia de Água Grande, promete combater os cães vadios que passeiam pela capital. José de Carvalho, anunciou que vai trabalhar com a Direcção Geral da Pecuária, para controlar os cães vadios em São Tomé.

Da mesma forma e em colaboração com os serviços de psiquiatria do hospital Central Ayres de Menezes, a autarquia de Água Grande, quer implementar um plano de protecção dos doentes mentais que deambulam pela cidade capital.

Abel Veiga

    9 comentários

9 comentários

  1. Fuba cu bixo

    9 de Fevereiro de 2020 as 17:30

    Isso é uma operação de charme para inglês ver eu ainda sou do tempo que S.tomé era uma cidade limpa, ainda no tempo do partido único havia serviço da Câmara que fazia a recolha de lixo em rua e localidades de S.tomé e era um serviço diário.
    Não sei o que é feito com a verbas que são alocadas a câmaras é só uma inauguração ali e acula da treta e não ha um serviço camarario eficaz.

    • Lima

      16 de Março de 2020 as 16:07

      Cabe tambem a voce de participar como bom cidadao para que nao seja so para fazer o ingles ver.A tua casa esta tambem nesse estado?Uma grande pena.Ajuda,participa de maneira positiva.

  2. Pedro Costa

    10 de Fevereiro de 2020 as 7:11

    Isto é na realidade, vira o disco e toca o mesmo. Estão normalmente nesta lengalenga e a cidade continua com os mesmos problemas.Penso que esta cidade nunca mais voltará a ser mesma que conheci. Jamais.
    Sabem porquê? Muita falta de educação. As pessoas estão desprovidas de actos de civismo.

  3. Smash

    10 de Fevereiro de 2020 as 12:35

    “Operação Vassourada” Muito charme. Com o mínimo fazemos imenso, para isto basta haver competência e bom senso. Com estas pequenas negociatas não vamos a lado nenhum. JAA é alguma empresa que se prese para fazer estes tipos de trabalho? Eles, JAA querem fazer tudo mas ficam aquém do esperado. olha o exemplo dos buracos que andaram eles a tapar…por ser lixo um problema crónico na cidade e não só requer planeamento e execução por empresas com alguma credibilidade na praça.

  4. Vergonha

    10 de Fevereiro de 2020 as 14:10

    Vejo jovens de 13 anos em diante a expressarem na tua. Muitos incluindo adultos exibem sexo a urinar n tua. Ninguém faz nada.. O governo é a policia andam a dormir…

  5. Lupuyé

    10 de Fevereiro de 2020 as 15:25

    Enquanto não houver um serviço de limpeza constante e sobretudo uma educação cívica acompanhado de punição para os que não seguirem as regras, nada feito. Limpa-se hoje e amanhã já está tudo sujo outra vez porque as pessoas não vêm que há uma necessidade para que a cidade esteja limpa. Ela é de todos e todos sem exceção deveriam esforçar-se para a sua preservação.

  6. outro aspeto

    10 de Fevereiro de 2020 as 15:57

    Até para catar lixo chamam estrangeiros, kiê santomé!

  7. Mepoçon

    11 de Fevereiro de 2020 as 9:18

    Se não fizerem nada ficam mal na fotografia. Para quem conhece esta cidade antes de 1975, tudo isto é sonho.

  8. Zé de Neves

    13 de Fevereiro de 2020 as 12:41

    Já foi a cidade mais limpa de África sim, recordo-me de ir ao Gabão ou à Nigéria e Angola antes de 1975 e ficar enojado com a falta de limpeza e dignidade geral face ao que tínhamos em STP.

    e tínhamos jardins, e tínhamos casas e muros pintados, uma frente da baía de nível europeu… TÍnhamos, já não temos… não conseguímos manter

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo