Sociedade

Mais de 100 passageiros em regime de quarentena obrigatório

Mais de 100 passageiros que chegaram ao país no último fim-de-semana, foram colocados em regime de quarentena obrigatório, por um período de 15 dias.
Uma decisão do Governo, no quadro das medidas restritivas para evitar que o vírus do Covid-19, entre no território são-tomense.

O voo da STP-Airways, oriundo de Portugal, aterrou em São Tomé, no último sábado, pouco tempo antes da entrada em vigor da decisão do governo de interditar o espaço aéreo nacional por um período de 15 dias.

Os 110 passageiros, cidadãos nacionais e estrangeiros, que viajaram no aparelho da EuroAtlantic foram imediatamente confinados em autocarros e conduzidos às instalações do Hotel Miramar na capital São Tomé.

O Ministro das Obras Públicas, Recursos Naturais e Ambiente, Osvaldo Abreu, comandou a operação de confinamento dos passageiros. «Pedimos compreensão… é neste momento que temos de dar as mãos , como cidadãos e como são-tomenses, para que a protecção de todos seja uma garantia», declarou o ministro.

Submetidos a triagem médica, no grupo de contam-se algumas figuras santomenses, nomeadamente juízes conselheiros do Tribunal de Contas e do Tribunal Constitucional.

«Assistência médica será permanente, assim como os controlos que serão feitos , e para isso teremos um destacamento médico aqui no hotel Miramar», acrescentou o ministro Osvaldo Abreu.

Com 180 quartos, o Hotel Miramar, oferece boas condições para o confinamento dos 110 passageiros, durante 2 semanas.

Já no domingo chegou ao país, uma caravana de futebol feminino de São Tomé e Príncipe, que participou em jogos africanos. Também foi submetida a quarentena obrigatória no edifício do centro de estágios de futebol.

«Estamos a tomar as medidas devidas para diminuir os ricos de eventual contágio. Por isso temos em marcha uma série de medidas e acções», frisou o Ministro.

Osvaldo Abreu, acrescentou que desde a declaração do Estado de Emergência na semana passada, que medidas restritivas estão a ser implementadas em todo o território nacional, com vista a impedir que o Covid-19, apareça em São Tomé e Príncipe.

«Pedimos a todos os sectores públicos que ponham em marcha as medidas restritivas, e planos de contingência para minimizar a mobilidade e garantir a saúde pública….. No porto foram tomadas medidas extremas, para evitar que embarcações que cheguem a nossa costa com produtos, sejam tratados sob medidas de contingência....», concluiu.

São Tomé e Príncipe, reforça medidas para evitar o contágio pelo vírus Covid-19.

Abel Veiga

    15 comentários

15 comentários

  1. Antonio Rodrigues

    23 de Março de 2020 as 15:57

    Todo cuidado é pouco mais temos que continuar a faser tudo que esta dentro do nosso alcance, porq somos poucos, se não cuidarmos seremos dizimados . Acima de tudo confiança total em Deus obrigado

  2. Arménio Camblé

    23 de Março de 2020 as 16:12

    Muito bem S.Tomé e Príncipe.
    País pequeno e pobre, mas a agir com maturidade e sentido de Estado.
    Estamos todos de parabéns.
    Todo o qualquer santomense que de facto ama o seu país tem por obrigação moral de reconhecer os expedientes oportunos que estão sendo desenvolvidos pelo governo.
    Aliás, basta ver que depois a decisão de S.Tomé em colocar em quarentena as pessoas que chegarem do estrangeiro que hoje, Cabo Verde decidiu adoptar a mesma medida.
    Estamos num momento em que não devem aparecer detratores nem anti-cristos. Devemos pormo-nos todos em consenso, incluindo aquele desajuizado medricas de primeira categoria, um tal de Augério Amado Vaz, um cobardola que só lança veneno a partir do estrangeiro. Mas também entende-se né, o rapaz tem sérios problemas psíquicos. Ele mesmo declarou que lança alguns venenos em troca de algum que se lhe vão dando, dentre eles o PEA.
    Fui……

    • Paulo coelho

      23 de Março de 2020 as 18:26

      Meu amigo! Parabéns porquê? Agiram tarde para a gravidade E gostaria de saber em relação aos funcionários do hotel! Vão para casa todos os dias?
      Pensa antes de felicitar e obtenha toda a informação primeiro!

  3. Pedro Costa

    23 de Março de 2020 as 16:51

    Boa atitude, mas neste meu país, não sei não. Se alguém estiver infectado, não sei não.Agora quem vai pagar a conta? Quinze (15) dias não são 15 horas. No entanto, primeiro está, sobretudo a saúde pública. Infelizmente neste país, a saúde pública não anda boa e se aparece um caso deste em S.Tomé e Príncipe, será o caos.
    Os mais crentes esperam pela protecção divina.

  4. Filho da terra

    23 de Março de 2020 as 22:06

    Quem quiser ajudar a melhorar as medidas, que o faça em forma de contributo cívico e com elevado sentido de responsabilidade. Mas quem questionar o estado de emergência e as medidas restritivas, incluindo a quarentena obrigatória, estará a colocar-se contra a segurança do povo santomense e de todos os que residem em São Tomé e Príncipe. Unidos contra o Covid-19. Voltarei.

  5. Filho da terra

    23 de Março de 2020 as 22:13

    Quis dizer ”quem quiser ajudar a melhorar a execução das medidas”. Até logo.

  6. Ralph

    23 de Março de 2020 as 22:58

    É a ação certa. A vantagem de STP é que tem testemunhado à distância como muitos outros países têm mal gerido as suas respostas à ameaça do COVID-19, o resultado dessa má gerência sendo aumentos assustadores de infecções e mortes. Como um dos poucos países sem casos confirmados do vírus, vocês têm uma oportunidade única de aprender dessas asneiras e fazer as ações certas na face desta epidemia muito contagiosa.

  7. Adeliana Nascimento

    24 de Março de 2020 as 8:58

    Muito bem, Governo.
    Não dê atenção as criticas que vem de um e de outro lado. Os santomenses são mesmo assim. podem estar bem, mas criticam

    Estão em hotel, muitos deles nunca estiveram num hotel, têm 3 refeições por dia, isto é estão na engorda e veem ainda reclamar o que é?

  8. António cunha dos santos

    24 de Março de 2020 as 9:01

    Caro Santomenses.

    Eu gostaria de perguntar ao Tó Zé, se ele está bem de cabeça.

    Imaginemos que o risco vem da ilha do Principe,isto é uma vez que ela se apostou no turismo. Isto quererá dizer que a ilha de São Tomé deve fechar as portas? Ainda mais, quando se sabe das debilidades do Principe?

    Tó Zé, vai passear.

    • Aleluia

      24 de Março de 2020 as 21:04

      1. Fez muito bem. 2. Não decidiu, mas sim solicitou ao Governo Central. 3. Se avançar é para apenas 15 dias. 4. Haverá sempre navios para mercadorias e combustível. 5. É uma atitude corajosa e de defesa daquela população que pode sofrer muito se o vírus chegar porque país não investiu na Saúde como deve ser. 6. Antes prevenir do que remediar. 7. Quem não está bem da cabeça é você. 8. Ele mostra que gosta de defender o povo. 9. Não é como nossos governantes aqui em São Tomé.

  9. estefània

    24 de Março de 2020 as 10:40

    Espero que a mão de Deus e seu filho Jesus Cristo, desça a sua bênção protectora sobre São Tomé e Príncipe. Somos pouco, os países que têm melhores meios de saúde nem com quarentena conseguiram travar a propagação imagina a saúde de São Tomé. Estou aqui para ver e ouvir quanto sucesso o governo São Tomé obteve com a sua estratégia de prevenção. Num país com maior número da população mais de dois mil estão a morrer num dia nem têm como fazer funeral, e São Tomé e Príncipe?
    Todos países que deixaram entrar pessoas provenientes dos locais com Covid 19 tiveram casos importados e se infectaram os nacionais residentes. Deus permita que em São Tomé e Príncipe seja diferente. Os que têm poder nas mãos mandam como bem entender, estudantes na China e na Europa não tiveram oportunidade de voltarem, será que existe ser saotomente verdadeiros e falsos?

    • Filho da terra

      24 de Março de 2020 as 16:19

      Manter encerrado o espaço aéreo. Melhorar a execução das medidas de prevenção. Acabar com o regabofe nas praias todas, como acabaram com o regabofe da praia do Museu. Aquele bando que veio de Londres no voo da passada terça-feira esteve na praia Emília no domingo, em comes e bebes. Deveriam estar todos fechados e lacrados, eles e todos os passageiros da terça-feira. Estado de emergência não é para pandegas na praia. Acabar com a pestilência dos mercados. Obrigado.

    • Filho da terra

      24 de Março de 2020 as 16:28

      Estefània, coragem contra as lamúrias e resiliência. Não invente coisas e não seja ave de mau agoiro. Todos unidos contra o Covid-19. Obrigado.

    • Ralph

      24 de Março de 2020 as 23:16

      Eis a razão para estar firme em travar as fronteiras. Muitos outros países com meios de saúde muito melhores do que São Tomé e Príncipe têm permitido trâfego atravês as suas fronteiras há demasiado tempo antes de introduzir restrições duras, levando a um surto de infecção e colocando os seus sistemas de saúde sob pressão enorme. Tal desfecho vai esmagar São Tomé e Príncipe. Vocês têm de agir agora.

      Na Austrália, por exemplo, estamos a testemunhar um dobramento de casos em cada 3-4 dias! Isso, se for permitido continuar à mesma taxa, vai ultrapassar o sistema de saúde pelo início de abril! E tudo isto porque o governo tinha resistido à imposição de medidas muito duras mais cedo. O governo pensava que tinha o luxo de esperar antes de fechar as fronteiras por completo e fortalecer as medidas de distanciamento social. Todos nós pensávamos que estaríamos imunes porque vivemos numa ilha longe de tudo, mas éramos errados. Por isso, eu enfatizo a importância de São Tomé e Príncipe prevenir o alastramento porque vocês não serão capazes de controlar o vírus se de facto chegar.

  10. Rapaz das terras

    27 de Março de 2020 as 8:22

    Última Hora e confirmada:

    Há pessoas que deveriam estar em quarentena no hotel Miramar mas saíram e foram para as suas casas.
    Uma dessas pessoas deve ser familiar próximo de um alto juíz do país.
    Povo deve ficar alerta.
    Isso é um insulto ao país e demonstra a falta de pulso ou autoridade do Estado.
    É uma falta de respeito aos cidadãos desse pais e que estão a pagar os custos dessa quarentena com o seu imposto.
    Onde anda o governo…?

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo