Sociedade

Sem capacidade interna para diagnosticar Covid-19, STP recebeu ajuda da OMS

A Organização Mundial de Saúde, que fez chegar na quarta – feira um lote de equipamentos de protecção contra a pandemia, anunciou que São Tomé e Príncipe ainda não tem capacidade técnica nem equipamentos, para realizar testes da doença.

«Para que se tenha tudo operacional para se fazer diagnósticos aqui no país, há vários elementos de equipamentos, de formação técnicas para que as coisas possam estar operacionais», declarou o ponto focal da OMS em São Tomé e Príncipe, Vilfrido Santana Gil. ´

Por isso, as autoridades sanitárias, continuam a recolher amostras que são enviadas aos laboratórios internacionais com competência para diagnosticar o Covid-19.

A OMS, financiou o transporte via DHL, dos equipamentos para protecção dos técnicos de saúde contra Covid-19. No mesmo aparelho, o Governo, aproveitou para enviar amostras para serem testadas no laboratório do vizinho Gabão.

«Hoje(quarta-feira) ainda, o Governo enviou amostras para serem analisadas no laboratório de Franceville no Gabão», assegurou Vilfrido Santana Gil, ponto focal da OMS em São Tomé e Príncipe.

Trata-se do segundo grupo de amostras que é enviado para análises no estrangeiro. O primeiro grupo de 25 amostras de pessoas suspeitas, foi testado no Instituto Ricardo Jorge em Portugal, e o resultado foi negativo.

Numa altura em que o espaço aéreo nacional está interditado, o envio de amostras para laboratórios internacionais começa a ser um quebra-cabeças para o governo.

No entanto o desembarque na quarta – feira, da primeira ajuda ofertada pela OMS, reforçou o número de equipamentos para recolha de amostras e materiais para protecção dos técnicos de saúde.

«São produtos médicos, sobretudo de protecção individual, para apoiar o Governo, para que os profissionais da saúde que estarão na linha da frente possam se proteger, a atender os casos, se eventualmente os tivermos», referiu Vilfrido Santana Gil.

A OMS, diz que apetrechou também o sistema nacional de saúde com tendas, para em caso de registo de infecção pela Covid-19, permitr aumentar a capacidade dos centros de saúde.

«Estamos a falar de máscaras, batas, viseiras, e chegaram também tendas para ampliação do serviço na eventualidade de termos infecção por Covid-19», frisou o ponto focal.

Apesar das dificuldades, as autoridades sanitárias e a OMS, garantem que até agora o arquipélago continua livre da infecção pelo Covid-19.

Abel Veiga

14 Comments

14 Comments

  1. Ralph

    3 de Abril de 2020 at 3:47

    Embora seja indubitavelmente importante fazer as preparações para combater o vírus se de facto chegar, o que é mais importante para um país como STP é manter fechadas as fronteiras para que o vírus não entre. Se o vírus não entrar, não será necessário usar os equipamentos e outros recursos doados pela OMS. É melhor não ter de travar a guerra porque, até agora, nenhum dos outros países tem conseguido vencê-la.

  2. Rapaz de Boa Morte

    3 de Abril de 2020 at 4:38

    Boa noite , na imagem junto ao avião da DHL , vejo meus caixas com tendas rectangulares de 42m2 que outra coisa …

  3. Vanplega

    3 de Abril de 2020 at 7:45

    E triste ver a situacao do unico hospital de Sao Tome e Principe. Nso posso acreditar que nao temos uma laboratorio de analise.

    A Guine Bissau, tem um laboratorio de analise com maquinas da 1 linha, capa de tantos analise de covid-19 por dia. Disse um responsavel daquele hospital.

    Porque Sao Tome e Principe, nao tem? Com tantas e tantas ajuda que recebe, e os emprestimos que o pais tem feito.

    E de fazer chorar.

    Devia-se prender todos os 1 Ministros e todos os Ministros da Saude que passaram desde 1991 ate a data de hoje.

    E necessario perguntar o que andam a fazer no ministerio da Saude. E uma pouca vergonha o que passa neste pais

    • Manuela. Na diaspora

      4 de Abril de 2020 at 17:24

      Realmente é muito triste saber que em S.tome nao existe um laboratorio de competencia; Meu Deus um pais que recebe tantas ajudas!!! Mas qual é sera os planos dos ministros da saude que assumem pastas em stome. Senhores dirigentes aproveita essa ajuda da prevencao da Covid 19 e cria um laboratio capacitado, comecam a pensar em formar tecnicos para tal. Que VERGONHA. E por outra criar tambem uma UTI qualificado com padrao internacional no hospital central. Porque muita gente perde vida no hospital por falta de nao ter uma UTI. Chega,chega.

  4. Angelo Cardoso

    3 de Abril de 2020 at 9:22

    Senhor Abel Veiga…..!!!!!,
    Nao haveria outro titulo para esta notícia senao repisar que o país … “sem capacidade Interna” – esta sem condições?
    Que país do mundo estava preparado para isto?
    Estados Unidos, Italia, Espanha, Portugal e tantos outros com condições estavampreparadois para isto?
    Moderação nas coisas vale muito.

    • Bejunto Aguiar

      3 de Abril de 2020 at 15:22

      .Meu caro o título é …”Sem Capacidade Interna para diagnosticar o virus”…infelizmente ainda não temos capacidade para diagnosticar o virus, daí a dor de cabeça do governo e de todos os sãotomenses, ainda mais quando não ha ligações aéreas.

  5. STP

    3 de Abril de 2020 at 9:22

    Falta de vergonha que os nossos governos sempre tiveram, missão da OMS não é comprar para oferecer, mas sim, auxiliar o Governos em outras vertente, mormente, técnicas.

    Os nossos governos não têm vergonha, tiram dinheiro do estado para comprar altos caros para alguns, viagens, enquanto povo esta a sofrer.

    O Nosso Sistema Nacional de Saúde esta pobre e falida, técnica e financeiramente por causa dos nossos políticos que nunca deram a devida atenção.

    O anunciado 2 milhões de euros serviria para comprar equipamentos de proteção e ser for preciso ampliar números de camas existente nos serviços de cuidados intensivos.

    Quando chegou avião do DHL os políticos cantaram gloria como se fosse eles que trabalharam para o efeito.
    Ganham vergonha na cara…

    Mesquinhos e ladrões…
    Se o COVID-19 entrar STP vocês também serão infetados e é nessas porcarias que hoje o nossos hospital apresenta que serão levados a procura de saúde…

  6. Filho da terra

    3 de Abril de 2020 at 13:37

    Somos pobres e desorganizados. Há muita corrupção e falta de visão. Sempre houve. A Guiné Bissau com todas as suas confusões está a fazer os seus testes em Bissau. Nós , com toda a nossa relativa paz política e apoios externos temos que enviar os testes para Portugal, uma tristeza. Mas a coisa mais importante agora é escapulirmos desta situação. A coisa está feia lá fora também. Quase mil dos valentes profissionais de saúde de Portugal estão infectados porque falta isto e falta aquilo. Ainda ontem, o Primeiro português António Costa agradecia as ajudas dos cidadãos e pedia para serem bem distribuídas nos distritos. O Primeiro António Costa é um político ponderado e sabe que é hora de agarrar em todas as ajudas e depressa. Façamos o mesmo cá em São Tomé e Príncipe. Agarrar e dar um bom uso. E não aproveitar este momento para tentar tirar lucros políticos como fez o senhor Patricio Trovoada. Foi muito infeliz.Obrigado pela atenção.

    • Manuela. Na diaspora

      5 de Abril de 2020 at 19:13

      Seria bom que os nossos governante desta vez ter um pouco de vergonha deixar de serem corruptos; aproveitar estes 2;5 milhoes da ajuda para organizar o hospital; sigam o exemplo de Cabo Verde em que ministro da saude ja anunciou que ira aproveitar ajuda dado ao Paìs para reforçar . sistema de saude nacional. Isto sim : um bom dirigente que tem amor a sua patria.

  7. Abnilde da Trindade

    3 de Abril de 2020 at 13:57

    Perante um facto consumado, ou seja,com a chegada do avião da DHL, com que cara fica o senhor Patricio Trovoada que afirmou atraves das redes sociais que esse vao ja nao se efectuaria?
    O Patricio Trovoada ficou muito mal na fita.
    Quis ser uma vez mais oportunista da ocasião, mas agora passou vergonha.
    Uawêêê…..

  8. Baba

    4 de Abril de 2020 at 0:28

    Aproveitem e Peçam a OMS equipamentos para fazer análise pois terá utilização futura.

  9. Andorinha

    4 de Abril de 2020 at 12:07

    Infelizmente o país não tem capacidade interna para nada os sucessivos governos de S.tomé não governão para criar riquezas para o pais limitam em pedir e esperar ajuda esterna e os governantes entram pobres e saem ricos essa é infelizmente a nossa realidade.

  10. Manuela. Na diaspora

    4 de Abril de 2020 at 18:11

    Realmente a Guine Bissau mostrou que eles nao estao tam desorganizados como se pensa; governantes santomense deveria ter vergonha disto; Mas como é possivel isto, em pleno seculo 21; queria muito saber quias os planos que os ministros da saude tem tido na carteira; ou sera que so querem ocupar as pastas e desviar dinheiro das ajudas. Seria bom que agora tiracem bom proveito da ajuda da covid19 e criar um labotorio de qualificado, e criar tambem uma UTI apetrexado com ventiladores e tudo que compete uma unidade de cuidados intensivos,porque muita gente tem perdido vidas em Stome por falta de qualificacoa nesta area. Todos paises africanos da CPLP FAZEM TESTES Internamente so mesmo que fazer esta pouca vergonha de mandar as amostras, agora imaginemos que nem os avioes da DHL podessem voar o que seria? Que VERGONHA. Tanta ajuda que stome vem a receber, o governo nao pensa em investir na saude?, stome esta na sitiacao em que se encontra por falta de uma boa politica do estado; nossos dirigentes nao tem visao e sao orgulhosos, mas seria bom acordarem por mao conciencia.

  11. A a Z

    6 de Abril de 2020 at 16:21

    Uma boa política do estado na área da saúde significa rever imediatamente o acordo com o programa Saúde para Todos. Esse programa alimenta e agrava a dependência de S. Tomé e Príncipe e não tem ajudado a transferir conhecimentos para o país.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.

To Top