Sociedade

Aulas reiniciam no dia 1 de Julho mas só para o 12º ano e no ensino superior

Julieta Isidro(na foto), Ministra da Educação e Ensino Superior, aproveitou a distribuição de cabazes na roça Santa Margarida, para anunciar a retoma das aulas, mas apenas para os alunos do 12º ano, e para os estudantes das Universidades, seja pública ou privada.

A retoma das aulas para os alunos do décimo segundo ano está marcada para 1 de Julho. «É a classe terminal, que permite a criança ascender a outro nível de ensino, o nível superior. Assim há necessidade de se fazer o exame nacional. Por isso é urgente levar essas crianças as aulas para terem a revisão dos conteúdos do primeiro e segundo períodos, para fazerem o exame nacional», explicou a ministra da educação e ensino superior.

Com o novo coronavirus em tendência ascendente no país, a ministra da educação avisou que medidas preventivas, deverão marcar a retoma das aulas no ensino superior.

«Temos que ter 20 alunos por turma. Vamos mobilizar todas as escolas para termos apenas 20 alunos por sala de aula», assegurou Julieta Isidro.

A ministra da educação rejeitou qualquer possibilidade de reinício das aulas presenciais nas escolas primárias e secundárias. O comportamento da Covid-19, no país desaconselha o regresso imediato das mais de 50 mil crianças ao convívio escolar.

«Quanto as outras classes, estamos a trabalhar para ver como resolver o problema. Temos que proteger as nossas crianças. Não vamos expô-las a contaminação desta pandemia. Há formas de resolver o problema sem as aulas presenciais», frisou.

A Ministra reconheceu que o programa de tele e rádio aulas, lançado pelo seu ministério para garantir o ensino a distância, não está a ser bem sucedido.

« Sabemos que não há uma cobertura a nível nacional, mas também estamos  a trabalhar em distribuir brochuras envolvendo os encarregados de educação para a boa conclusão deste ano lectivo», concluiu Julieta Isidro.

Desde Março passado que o ano lectivo foi suspenso em São Tomé e Príncipe. O surgimento dos primeiros casos do novo coronavirus, forçou a suspensão das actividades escolares.

No entanto o  confinamento geral da população,  e outras medidas preventivas no quadro de 5 Estados de emergência decretados, não evitaram o aumento da transmissão do vírus SARS-CoV-2 no país.

Covid-19 continua a condicionar a retoma em pleno das actividades escolares em São Tomé e Príncipe.

Abel Veiga

    3 comentários

3 comentários

  1. sem assunto

    19 de Junho de 2020 as 17:31

    Grande coisa, assim salva o seu apagado mandato e o seu desacreditado ministério. Quem certamente vai gostar e beneficiar com esta tonteira é o Covid 19.
    São meninos do último ano e blá blá blá, por isso vão ser cobaias a resistência do vírus em pequenas aglomerações, magnifico, senhora ministra. Ovbio, não sabe como ali fez chegar logo, recebe ordens desconexas e absurdas, como uma boa pau mandada executa prontamente.
    Pena que no meu país ninguém é responsabilizado por nada, porque se esta medida vier a criar a correntes de contágios em massa, o seu lugar em condições normais seria no banco de réu.
    Irresponsável.

    • Jose Luis Cavalcante

      20 de Junho de 2020 as 19:52

      Essa postura dela de macho ainda piora a coisa. Dama parece homem so.

  2. Rivaldo Santo

    25 de Junho de 2020 as 16:11

    A Sra. Ministra de Educação falou muito bem, mas eu como aluno universitário não vejo a lógica de regressar as aulas, visto que não tenho exame obrigatório, e tenho estado a fazer todos os trabalhos escolares mandados pelos os professores. Porquê é que tenho que regressar às aulas, sabendo que não tenho exame obrigatório?

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo