Sociedade

IMVF angariou 500 mil euros para reforçar a luta contra a Covid-19 em STP

A ONG, portuguesa, Instituto Marquês de Valle Flôr, que há cerca de 35 anos colabora com o Estado santomense na melhoria do sistema nacional de saúde, angariou financiamentos na ordem de 500 mil euros, para apoiar a luta contra a Covid-19 no país.

Ahmed Zaky, médico que trabalhou durante vários anos, nos centros de saúde do distrito de Mé-Zochi sobretudo na década de 90, ao serviço do Instituto Marquês de Valle Flôr, agora na qualidade de responsável da ONG, foi recebido no último fim-de-semana com o Ministro da saúde Edgar Neves, para anunciar o financiamento de 500 mil euros.

«Com o apoio da União Europeia e da Cooperação portuguesa, temos um financiamento de cerca de 500 mil euros, que é para apoiar São Tomé e Príncipe na sua luta contra Covid-19, num projecto que vamos já começar a implementar», declarou o médico responsável pelo Instituto Marquês de Valle Flôr.

A par da luta contra a Covid-19, o Instituto Marquês de Valle Flôr reforça as suas acções de apoio ao sistema nacional de saúde. Segundo Ahmed Zaky, 4 médicas santomenses terminam este ano em Portugal, o curso de especialidade em gastroenterologia, imagiologia e outras especialidades. Curso de especialidade patrocinado pelo Instituto Marquês de Valle Flôr.

Ao mesmo tempo a ONG, anuncia a instalação pela primeira vez, de uma unidade de gastroenterologia em São Tomé. «Temos agora finalizado com apoio da cooperação portuguesa e da Santa Casa da Misericórdia de Portugal, a instalação de uma unidade de gastroenterologia, que permite fazer todos os exames, a endoscopia alta e baixa, a colonoscopia, e outros exames», pontuou.

O encontro com o ministro da saúde, serviu também para projectar as acções de cooperação, após o término em Dezembro próximo do projecto Saúde para Todos. «Para projectarmos quais são os compromissos e parcerias que podemos estabelecer para os próximos 4 anos», concluiu Ahmed Zaky.

Instituto Marquês de Valle Flôr reforça cooperação com São Tomé e Príncipe, para combater a Covid-19, mas também para manter activos os programas de prevenção, tratamento e cura de outras doenças, que afectam a população santomense.

Abel Veiga

    2 comentários

2 comentários

  1. BBB

    20 de Julho de 2020 as 17:15

    Quem ofereceu o valor foi cooperação portuguesa e a União Europeia, e não Instituto Marquês de Valle Flôr. Esta ultimo esta a gerir e deve prestar contas ao Estado santomense.

  2. AliceFernandez

    21 de Julho de 2020 as 5:35

    Jornalista Abel você tem mafe acabei de assistir tpafrica das 5h15 e você passou as imagens da nossa cidade muito antes das obras. Só para passar imagem negativa do actual governo apesar dos esforços que estão a ser feitos na recuperação da cidade capital. Jornalismo não pode ser feito com ódios a terra é nossa dos nossos filhos e netos e outras gerações. Faz um esforço não perdes nada só ganhas o profissionalismo. Cruel

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo