Sociedade

PJ recebe ajuda para o laboratório forense e formação de quadros

Numa nota que enviou ao Téla Nón,  o projecto de apoio à consolidação do Estado de direito nos Países Africanos de Língua Portuguesa e Timor Leste(PACED), diz que nesta sexta feira dia 6 de Novembro, a Polícia Judiciária de São Tomé e Príncipe, vai ser contemplado com «um terceiro lote de de material de laboratório, que inclui reagentes e equipamento de peritagem».

Financiado pela União Europeia e co-financiado pelo Camões – Instituto da Cooperação e da Língua, o PACED, explica que a cerimónia de entrega dos equipamentos de laboratório, que terá lugar nas instalações da Polícia Judiciária, servirá também para marcar o término da ação de formação conjunta realizada em São Tomé pela Polícia Judiciária de Cabo Verde e da Polícia Judiciária de Portugal.

«A formação conjunta, ministrada presencialmente por um Técnico de Lofoscopia da PJ de Cabo Verde e por um Especialista de Laboratório da PJ de Portugal visa assegurar a conclusão da formação iniciada à distância, instalar a nova cabine de lofoscopia (para análise de impressões digitais) e, de igual modo, responder a uma solicitação das autoridades santomenses para colaboração na criação de bases de dados biométricas, essenciais para um futuro sistema automatizado de identificação de impressões digitais», explica a nota do Projecto de Apoio à Consolidação do Estado de Direito nos Países Africanos de Língua Portuguesa e Timor Leste.

Pelo menos 8 especialistas forenses santomenses vão receber seus certificados de formação. Segundo a nota de imprensa do PACED, do grupo de agentes da polícia judiciária formados, 2 são da região autónoma do Príncipe.

Prevenção e luta contra a corrupção, o branqueamento de capitais e a criminalidade organizada, em particular, o tráfico de estupefacientes, são os grandes objectivos do projecto que pugna pela consolidação do Estado de direito nos 5 países africanos de expressão portuguesa, assim como em Timor Leste.

«Com duração até dezembro de 2020, o PACED tem um orçamento global de 8,4 milhões de euros (7 milhões financiados pela União Europeia ao abrigo do 10.º Fundo Europeu de Desenvolvimento e 1,4 milhões de euros pelo Camões – Instituto da Cooperação e da Língua, I. P.), dos quais 8,05 milhões de euros administrados diretamente pelo Camões, I.P.», concluiu a nota do PACED.

Abel Veiga

    Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo