Sociedade

Aumento exponencial da Covid-19 reflectido no boletim do Ministério da Saúde

Após a última reunião do Comité de Crise sobre a Covid-19, realizada há cerca de duas semanas, o Ministro da Saúde Edgar Neves, anunciou que o país estava a registar um aumento exponencial de casos da Covid-19.

Nos últimos dias São Tomé e Príncipe teve registo de mais de 30 casos da Covid-19 num dia. O número de mortes que até o final do ano passado estava estagnado em 17, já subiu para 21.

O Boletim Diário do Ministério da Saúde sobre o comportamento da Covid-19, diz que até o dia 21 de Fevereiro, domingo, São Tomé e Príncipe contava 341 pessoas infectadas com Covid-19 e sob vigilância.

O boletim diário do Ministério da Saúde apresenta mais detalhes :

    2 comentários

2 comentários

  1. Mario Rosário

    23 de Fevereiro de 2021 as 9:41

    Quando o Diretor Regional do Banco Mundial anunciou na sua ultima visita à S.Tomé, que este Banco iria apoiar S.Tomé e Príncipe na compra da vacina, o senhor Ministro das Finanças encheu a boca para comunicar que S.Tomé e Príncipe seria o primeiro país africano a ter vacina.
    Isto chama-se Flá Sóoooo
    Este dito Ministro parece quem caiu de madeira, pois fala a toa e não sabe o que fala. A promessa de compra de vacinas é feito a todos os países em desenvolvimento, e não podemos encher o peito e dizer que vamos ser o primeiro. Se é o primeiro, então onde estão as vacinas, já que os casos não param de aumentar.
    O Governo irresponsável abriu as praias e o país no fim do ano, dizendo que se podia ir a praia mas sem comida. Qual é a diferença. Aqui está o resultado. Muitas gente junta, com uns bandidos que vieram de Inglaterra com teste falso e agora estamos a pagar.
    Um Ministério de saúde que não vale nada. Estão apenas a tratar das suas vidas com negociatas com o dinheiro da Covid.
    Não é aceitável que o Governo anterior do ADI tenho construído duas unidades de produção de oxigénio e que entre este governo, destrói as unidades e hoje os pacientes estão a morrer devido a falta de oxigénio. Já sabíamos que o negócio de importação de oxigénio, era uma forma de ganhar dinheiro dos militantes do MLSTP e PCD, por isso destruíram a unidade para que os sócios voltem a importar oxigénio de fora.
    O Hospital Central está uma calamidade. Onde para os vários milhões que a comunidade internacional tem vindo a injetar nestes últimos meses na saúde. è só para pagar rendas de 10 mil dólares e outros gastos supérfluos?
    Vocês têm praga. O povo quis assim, então vamos ter que aguentar todos.

    • matabala

      24 de Fevereiro de 2021 as 13:49

      bem falado meu caro

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo