Sociedade

Vacinas COVID-19 expedidas pela COVAX chegam à São Tomé e Príncipe

Foto – Reuters

COMUNICADO DE IMPRENSA 

Vacinas COVID-19 expedidas pela COVAX chegam à São Tomé e Príncipe 

São Tomé, 5 de Marco de 2021 – São Tomé e Príncipe recebeu hoje, o primeiro lote de 24 mil doses da vacina COVID-19, através do consórcio COVAX, uma parceria entre a CEPI, Gavi, UNICEF e OMS. A entrega de hoje faz parte de um primeiro lote  das 96 mil doses da vacina Astrazeneca, do Serum Institute of India em Mumbai, Índia, previstas para serem encaminhadas para São Tomé e Príncipe ao longo de todo este ano de 2021.

A chegada hoje à São Tomé marca a 1ª entrega numa Ilha, do consórcio COVAX no seu esforço sem precedentes para fornecer pelo menos 2 mil milhões de doses de vacinas COVID-19 em todo o mundo até ao final de 2021. Este é um passo histórico com vista a garantir a distribuição equitativa de vacinas COVID-19 mundialmente, no que será a maior aquisição e operação de fornecimento de vacinas da história.

As vacinas chegam ao país uma semana depois de São Tomé e Príncipe  ter recebido  87600 seringas e 900 caixas de lixo para as seringas e ampolas de vacinas depois de usadas, igualmente no âmbito da parceria COVAX.

Segundo o plano nacional de vacinação validado pelo Conselho de Ministros, as primeiras 24 mil doses de vacinas que chegaram hoje, destinam-se  para a rápida protecção das pessoas de alto risco – Este grupo engloba os profissionais de saúde, assistentes sociais, pessoas idosas, pessoas idosas que vivem nos centros de acolhimento e pessoas com doenças crónicas ( diabetes, doenças respiratórias, hipertensão, etc.).As próximas doses a chegar serão usadas para proteger outros grupos prioritários conforme o plano nacional. A campanha de vacinacão terá o início no dia 15 de Março 2021.

São Tomé e Príncipe é depois de Angola, o segundo país da África lusófona a receber as vacinas contra a COVID-19 no quadro dos esforços concertados da COVAX.

Reagindo a chegada das vacinas à São Tomé, o Gestor da Gavi para o país, o Dr. Thierry Vincent disse ser “um dia histórico para São Tomé e Príncipe, e a COVAX é uma visão partilhada dos seus parceiros, para o acesso equitativo global às vacinas COVID-19.”

O Dr. Vincent adiantou ainda que,  “a Gavi tem tanto orgulho de partilhar este momento com o governo e seus parceiros, e de desempenhar um papel na protecção dos que estão em maior risco – incluindo profissionais de saúde – durante esta pandemia.”

Também a Representante da OMS para São Tomé e Príncipe, Dra. Anne Ancia fez uma declaração à propósito, tendo ressalvado que “este 5 de março de 2021 é finalmente um dia de alegria, podendo os Santomenses comemorar o primeiro, mas muito importante passo em direção à uma solução sustentável para prevenir a COVID-19 e proteger aqueles que estão em maior risco.

A Dra. Anne Ancia destaca a importância da parceria COVAX e do trabalho incansável do pessoal do Ministério da Saúde de São Tomé e Príncipe, o que segundo ela, que fez com que este país estivesse entre os primeiros países africanos a receber 24 000 doses da vacina contra a COVID-19.

Estas vacinas não poderiam chegar em melhor altura, quando todo o arquipélago foi atingido pela segunda e mais mortal vaga da pandemia,” ressaltou a Dra Ann Ancia, que adiantou entretanto que “as 24 000 doses permitirão proteger rapidamente o pessoal da saúde e os assistentes sociais que estão na linha da frente da luta contra o COVID-19 há quase um ano, e vão permitir também proteger os idosos que vivem diáriamente com a terrível ameaça de uma doença altamente contagiosa e com risco de vida por não haver tratamento eficaz até ao momento,” estivemos a citar.

A Representante da OMS concluiu afirmando sentir-se muito orgulhosa e honrada pelo facto da OMS fazer parte dos actores mais activos desta iniciativa, e agradeceu  ao Governo Santomense e à todos os parceiros que tornaram este dia possível para todos habitantes de São Tomé e Príncipe.

Para o Representante do UNICEF para São Tomé e Príncipe e Gabão, Dr. Noel Zagre, o facto de ter recebido as primeiras 24 mil doses da vacina contra a COVID-19, São Tomé e Príncipe tornou-se assim numa das primeiras ilhas a receber as vacinas da Aliança COVAX”.

O Dr. Zagre felicitou o país por esta conquista que, segundo ele, é o resultado do esforço conjugado entre as autoridades nacionais e os parceiros da GAVI, OMS, UNICEF e a CEPI.

O Representante do UNICEF disse esperar que, com o início da campanha de vacinação e o controlo da pandemia, se possa garantir o regresso à escola em segurança e o regresso à normalidade para as crianças e jovens.

A Representação da União Europeia em São Tomé, também já reagiu a chegada das vacinas ao país. Numa mensagem partilhada com as representações da OMS e do UNICEF em São Tomé, o Adido de Cooperação da União Europeia, o Engenheiro Albert Lousseau disse que, com uma contribuição de 2,65 mil milhões de dólares, a Equipa Europa (União Europeia, os seus Estados-Membros e o BEI – Banco Europeu de Investimentos) é o primeiro contribuinte para esta iniciativa que visa, nas palavras da Presidente da Comissão Europeia, Ursula VON DER LEYEN, “Garantir, como parte da nossa resposta global contra o coronavírus, o acesso universal à vacinas em todo o mundo, para todos aqueles que precisam”, fim de citação.

Durante vários meses, os parceiros da COVAX  apoiaram governos e parceiros nos esforços de preparação para este momento. Eles foram especialmente activos no trabalho com alguns dos países mais pobres do mundo: aqueles que vão beneficiar do Compromisso de Mercado Antecipado (AMC), um mecanismo financeiro inovador para ajudar a garantir o acesso global e equitativo às vacinas COVID-19.

Para o efeito a parceria Covax deu auxílio no desenvolvimento de planos nacionais de vacinação, apoiou na infraestrutura da cadeia de frio, bem como no armazenamento de meio bilhão de seringas e caixas de lixo das vacinas, máscaras, luvas e outros equipamentos para garantir que houvesse equipamento suficiente para os trabalhadores de saúde começarem a vacinar os grupos prioritários o mais rápido possível.

Para que as doses sejam entregues aos países destinatários, são necessários preencher requisitos fundamentais, incluindo a confirmação dos critérios de autorização regulatória nacional relacionados às vacinas entregues, acordos de indemnização, planos nacionais de vacinação dos participantes do AMC, bem como outros factores logísticos, como licenças de exportação e importação.

A medida que os países participantes  vão preenchendo os critérios acima referidos e finalizam os preparativos de prontidão, a COVAX vai emitindo ordens de compra ao fabricante, enviando e entregando as doses por meio de um processo interactivo. Isso significa que as entregas para a primeira fase de alocação ocorram numa base contínua e em tranches.

A Iniciativa COVAX é co-liderada por Gavi – Alianca para a Vacinação, a Organização Mundial da Saúde (OMS) e a Coligação para Inovação e Preparação contra Epidemias (CEPI), que trabalham em parceria com o UNICEF, bem como o Banco Mundial, organizações da sociedade civil, fabricantes e outros . A COVAX faz parte do Acelerador de Acesso às Ferramentas COVID-19 (ACT), uma inovadora colaboração global  para acelerar o desenvolvimento, a produção e o acesso equitativo aos testes, tratamentos e vacinas COVID-19.

A COVAX construiu uma carteira diversificada de vacinas adequadas para uma variedade de configurações e populações e está a caminho de cumprir a sua meta de entregar pelo menos 2 bilhões de doses de vacina aos países participantes em todo o mundo em 2021, incluindo pelo menos 1,3 bilhão de doses financiadas para os 92 participantes de rendimento baixo do COVAX Facility apoiados pelo Gavi COVAX AMC.

Para mais informações, contactar: 

Adelino José da Costa

Oficial de Comunicação

UNICEF – São Tomé e Príncipe

Telefone: (+239) 987 5619

E-mail: acosta@unicef.org

 

Dary de Carvalho

UNV Comunicacão

UNICEF – São Tomé e Príncipe

Telefone: (+239) 987 2136

E-mail: ddecarvalho@unicef.org

 

Sósimo Leal Bragança

Oficial de Comunicaçao Externa

OMS – São Tomé e Príncipe

Telefone (+239) 996 1875

E-mail: sosimo.leal@gmail.com

    8 comentários

8 comentários

  1. Sem assunto

    6 de Março de 2021 as 5:39

    Cuidado!
    O país é cronicamente corrupto e desigual, assim esforços devem ser feitos no sentido de haver eficiente controlo quanto à real destruição das mesmas, de repente o grupo alvo venha a ficar por vasinar porque estes donos disto tudo vão querer apoderar delas para si, para as suas mulheres, as suas concubinas, os seus filhos, seus sobrinhos, netos, entiados etc.
    Fica a alerta!

  2. Ana Maria

    6 de Março de 2021 as 8:41

    Índia aprova uso emergencial da vacina de Oxford e de imunizante feito no país.

    No país, vacina de Oxford leva o nome de Covishield e é produzida pelo Instituto Serum, que prevê fabricar 1 bilhão de doses para vender a países pobres.

    Eficácia 62 %.

  3. Matabala

    6 de Março de 2021 as 9:30

    Boa notícia. Um agradecimento ao Governo e parceiros internacionais que tornaram isto possivel. Apenas uma duvida: vi ontem no Reporter Africa o PM Jorge Bom Jesus a falar em 12.000 vacinas mas na reportagem e agora no Tela Non confirmam as 24.000. Em que ficamos? Alguém que saiba em concreto pode me esclarecer?

  4. Só esclarecer

    6 de Março de 2021 as 23:57

    Cada pessoa toma duas doses, se chegaram 24 mil , da pra 12 mil pessoas

    • Matabala

      8 de Março de 2021 as 8:08

      Obrigado pelo esclarecimento.

  5. Toto

    7 de Março de 2021 as 9:49

    Que os dirigentes trabalhem mais para que o país de amanhã não fique apenas dependente das ajudas.

    • Nita

      7 de Março de 2021 as 19:04

      Nao só os dirigentes. O povo também precisa trabalhar mais para o país ficar melhor. O Santomense tornou se mais preguiçoso.
      .

  6. Santo e humilde

    7 de Março de 2021 as 14:17

    Meu povo muito cuidado com estas vacinas antes de tomarem vao primeiro pesquisar o que o Sr Bill Gates disse em 2015 e continua dizendo. Despopularizacao mundial n e brincadeira esta coisa e muito seria, pespisem e n fiquem felizes porque com a vacina havera paz e liberdade, algo que vai ser obrigatorio nao e bom e com a filosofia de que tomando vais proteger os que estao a sua volta, orem para que Deus nos revele de certo o que esta por detraz disso tudo. Deus nos abencoe e proteja.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo