Sociedade

NRP Zaire presta auxílio ao rebocador “BONSAI”

O rebocador “Bonsai”, com pavilhão do Panamá e cuja operação tem como base o arquipélago de São Tomé e Príncipe, efetuou um pedido de auxílio à Guarda Costeira por volta das 01h30 do dia 10 de junho, por se encontrar com um alagamento na casa da máquina do leme a 30 milhas náuticas a nordeste de São Tomé e com 07 elementos a bordo.

Após ter sido ativado, o NRP Zaire largou da Baía de Ana Chaves às 03h00 em direção à posição do navio sinistrado, tendo chegado junto deste às 04h30. Após contacto estabelecido, verificou-se que este se encontrava com um grande caimento a ré devido à quantidade de água que alagava a casa da máquina do leme que, possivelmente terá entrado por uma porta de visita de acesso  a esse compartimento.

O navio português Zaire iniciou o acompanhamento do rebocador no seu regresso a São Tomé. Inesperadamente,  a tripulação do “Bonsai”, ao sentir um forte cheiro a combustível, saltou para a água de forma precipitada e sem qualquer aviso prévio, receando que a embarcação explodisse.

A rápida reação do NRP Zaire permitiu que fossem recolhidos 06 tripulantes. Após este episódio, o Chefe de Máquinas do rebocador “Bonsai” regressou ao navio para verificar as condições de segurança e de navegabilidade, tendo prosseguido o resto da viagem a bordo.

Mais tarde, a 07 milhas náuticas de São Tomé, e já com a colaboração da Guarda Costeira que enviou a Rodman 33, houve uma tentativa de fazer esgoto à casa da máquina do leme, contudo sem sucesso. Posteriormente, foi contactado o rebocador “Liberdade” que compareceu junto do “Bonsai” às 10h35, iniciando o reboque da embarcação em direção a São Tomé.

O NRP Zaire efetuou o acompanhamento do reboque até à entrada do Porto de São Tomé e, após garantir que este se encontrava em segurança, amarrou à boia na Baía de Ana Chaves.

Neste momento, os tripulantes encontram-se bem de saúde e o rebocador “Bonsai” está atracado no Porto de São Tomé de modo a efetuar uma avaliação dos danos sofridos nesta emergência.

O navio português, atualmente operado por uma guarnição mista, constituída por militares portugueses e santomenses, prossegue a sua missão de Capacitação da Guarda Costeira de São Tomé e Príncipe, ilustrando a importância da cooperação bilateral entre estes dois países lusófonos, contribuindo, através de um esforço conjunto, para a segurança marítima na região e dos navegantes.

Fonte : Adido de Defesa da Embaixada de Portugal em São Tomé e Príncipe 

    2 comentários

2 comentários

  1. luisó

    11 de Junho de 2021 as 11:57

    … Inesperadamente, a tripulação do “Bonsai”, ao sentir um forte cheiro a combustível, saltou para a água de forma precipitada e sem qualquer aviso prévio, receando que a embarcação explodisse….
    – Resultado de quando se mete pessoas sem formação a fazer o trabalho de marinheiros….
    – País sem futuro…..

  2. Vanplega

    11 de Junho de 2021 as 17:17

    Obrigado NRP Zaire
    Por evitar mais um tragedia

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo