Sociedade

Mortes por Covid-19 na África atingem recorde

Em uma semana, mais de 6,4 mil pacientes não sobreviveram; maioria era da África do Sul e da Tunísia; representante da OMS afirma que continente ainda enfrenta o pico da terceira onda.

A Organização Mundial da Saúde, OMS, divulgou nesta quinta-feira, 5 de agosto, o balanço semanal dos casos de Covid-19 no continente africano. Entre 26 de julho e 1 de agosto, o total de novos casos subiu 19%, para mais de 278 mil pessoas infectadas.

A OMS destaca ainda que as mortes por coronavírus atingiram um novo recorde na última semana na África: mais de 6,4 mil pacientes não conseguiram sobreviver. A maioria das fatalidades ocorreu na África do Sul e na Tunísia. Juntos, os dois países registraram 55% dos óbitos por coronavírus.

Unicef/Arlette Bashizi
Um trabalhador de saúde no leste da República Democrática do Congo inocula um homem com uma vacina Covid-19

 

Dia Triste

Desde o início da pandemia, mais de 172 mil pessoas morreram na África de Covid-19, representando 4% do total de mortes globais. A especialista do Escritório Regional da OMS para África declarou “ser um dia triste” para o continente.

Segundo Phionah Atuhebwe, os últimos dados mostram que a África ainda enfrenta o pico de uma terceira onde de Covid e por isso, não se pode baixar a guarda. A variante Delta, que é altamente transmissível, foi encontrada em 29 nações africanas. A variante Alpha está presente em 39 nações e a Beta, em 35.

Entrega de vacinas

A OMS destaca que ao mesmo tempo em que os casos de Covid sobem, aumentam também as entregas de vacina. Quase 12 milhões de doses chegaram ao continente em julho por meio do mecanismo Covax, mais do que o total de doses recebidas de abril a junho.

Apenas 1,7% da população africana, ou 24 milhões de pessoas, já está completamente vacinada. Para vacinar 30% da população até o fim do ano, o continente precisa receber mais 729 milhões de doses.

União Africana

A Covax tem a meta de entregar 520 milhões de doses para a África até o fim de 2021. A OMS explica também que 90% dessas vacinas já estão separadas para países do continente e devem ser entregues no fim de setembro.

A União Africana fez uma parceria com a Johnson&Johnson e a expectativa é pela entrega de 16 milhões de doses da vacina Janssen dentro de um mês e meio. Pelo acordo, a farmacêutica deverá disponibilizar, ao todo, 400 milhões de doses para os países-membros da União Africana.

Segundo a representante da OMS, as novidades sobre a vacinação são positivas. Phionah Atuhebwe lembra que os países precisam colocar em prática estratégias de vacinação, para proteger de forma eficiente os mais vulneráveis.

PARCERIA -Téla Nón / Rádio ONU 

    Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo