Sociedade

Ordem dos Médicos promete mais e melhor saúde para todos

Nos próximos 3 anos, a Ordem dos Médicos de São Tomé e Príncipe, é liderada por Celso Matos, médico especialista em ortopedia e traumatologia.

Foi eleito bastonário no terceiro congresso da Ordem dos Médicos. Celso Matos, substituiu Eduardo Neto(na foto em baixo à esquerda), à quem coube uma menção honrosa do Congresso dos Médicos.

«Mais e melhor saúde para todos os Santomenses», é segundo o novo bastonário da ordem dos médicos, o tema central do seu mandato de 3 anos.

O tema central do seu manifesto eleitoral acaba segundo Celso Matos, por constituir um desafio para todos os membros da Ordem dos Médicos, e para a classe médica em geral.

«É um forte apelo ao compromisso de todos os associados da Ordem dos Médicos, para o seu auto melhoramento e melhor prestação de serviço nos seus respectivos centros de trabalho, já seja na área clínica, ou nos diversos programas de saúde pública», sublinhou o novo bastonário.

Sendo uma organização vocacionada para regulamentar o exercício da medicina em São Tomé e Príncipe, a formação dos médicos é uma das principais prioridades da Ordem dos Médicos.

«A formação contínua dos nossos associados e a necessidade crescente de quadros especializados reclama cada dia mais acções e mais respostas. Discutir sobre o internato de especialidade em território nacional é um tema que a Ordem deverá submeter aos seus associados», destacou Celso Matos.(na foto em baixo)

Para o novo bastonário, os médicos devem ser o exemplo a seguir em qualquer sociedade. Para além de promover mais e melhor saúde para todos os santomenses, a Ordem dos Médicos, pretende galvanizar a classe como um exemplo de ética e moral, que possa influenciar a mudança da mentalidade da actual juventude, que por sinal não tem referências.

« Todos devemos ter a consciência do país que temos. Uma sociedade em que já não existe uma geração que seja o exemplo para  os mais novos, onde os mais novos já crescem sem padrões de disciplina que deveriam existir, onde a honestidade é cada dia uma palavra mais rara de se ouvir. Inverter o curso do paradigma actual da nossa sociedade não é apenas uma tarefa dos decisores políticos, cabe a todos os sectores da sociedade, e a ORMED  deverá contribuir com a sua parte, porque os médicos são chamados a serem o exemplo em qualquer sociedade», pontuou Celso Matos.

A Ordem dos Médicos reconhece que os utentes reagem muitas vezes de forma hostil contra os profissionais de saúde.

Celso Matos, apelou os médicos a terem paciência, e tolerância. «Só assim seremos mais merecedores do respeito e admiração da população, e só assim reconhecerão de facto o trabalho verdadeiramente heroico que temos vindo a realizar em condições extremamente difíceis, onde por falta de especialistas, 1 médico tem vindo a realizar o trabalho que cabia a 3 ou 4…», precisou.

Uma realidade onde a classe é obrigada muitas vezes, a tentar ser mágico. «Os médicos não têm a disposição todos os meios auxiliares para chegar a um diagnóstico e onde muitas vezes nem têm medicamentos ou instrumentos para tratarem correctamente os seus pacientes», acrescentou.

O bastonário da ordem, diz que os médicos não podem continuar a ser bode expiatório, para a crise no sector da saúde.

«Um debate sério sobre até onde chega a responsabilidade do médico que trabalha sem meios e a sua responsabilidade civil, deverá ter lugar com as entidades afins porque os médicos não podem continuar a ser o “bode expiatório” da sociedade», frisou.

A pandemia da Covid-19, veio despertar o país para a necessidade de melhorar o sistema nacional de saúde. A Ordem dos Médicos desafiou os deputados a Assembleia Nacional, a tomarem medidas legais que possam dar sustentabilidade ao sistema nacional de saúde.

« É  preciso que os nossos parlamentares discutam a saúde com maior profundidade e projectem o desenvolvimento do sector sanitário de forma sustentável. Para tal, deve haver o envolvimento da sociedade e das pessoas ligadas a saúde e não se ficar preso na busca do maior ou menor brio político partidário e governamental de cada um», concluiu o novo bastonário da Ordem dos Médicos.

Celso Matos de 48 anos de idade, é o terceiro bastonário da Ordem dos Médicos de São Tomé e Príncipe. O Ministro da Saúde, Edgar Neves, marcou presença no terceiro congresso da Ordem dos Médicos tendo realçado o importante papel que a organização da classe médica desempenha na garantia da assistência a população.

Para melhor compreensão do novo momento que a Ordem dos Médicos decidiu abrir na sua história, o Téla Nón coloca a disposição do leitor, o manifesto eleitoral do novo bastonário da Ordem os Médicos, o seu curriculum, assim como a composição dos membros dos diversos departamentos da Ordem.

1 – ORMED Manifesto Eleitoral

2 – CANDIDATURA A BASTONARIO DA ORMED

3 – Resumo de CV p Congresso Ormed

Abel Veiga

    4 comentários

4 comentários

  1. GRAVANA

    25 de Agosto de 2021 as 8:26

    Obrigada Doutor, nós precisamos….
    Ao menos alguem da classe se lembrou dos objectivos por qual se formou e jurou desempenhar, salvar vidas, contrario do que se tem vindo a registar no nosso sistema de saúde.
    Entendo que o desafio é enorme, não basta somente a vontade, há outras condicionantes, mas para um bom começo deve haver acima de tudo a vontade, e sinceramente espero que está boa vontade, não fique apenas em palavras ditas e soltas ao ventos, mas sim que ganhe corpo e dê resultados.
    Gostaria de parabenizar-lhe antecipadamente, porque só a intenção já é de louvar.
    Força e coragem, o caminho se faz andando.

  2. FCL

    25 de Agosto de 2021 as 11:12

    Mais saúde para todos…kkk. Até parece mensagem de felicitações pelo aniversário.

    Sun sa dessu? Sun sa kurandelo?

  3. Anjo+do+Céu

    27 de Agosto de 2021 as 14:50

    Esperemos uma Ordem mas credenciado em valorizar os profissionais de manter o Zelo e não estejam a sabor dos politicos mas sim ver a situação dos doentes em dar mas o vosso melhor.
    Em qualquer parte do mundo os médicos tem um certo respeito quando zelam pela cura e não ver dinheiro ,dinheiro esquecendo dos pobres que fazem parte da sociedade e que bem precisam de vós dum sorriso e uma palavra amiga.
    Já é tempo record dos médicos antigos especializarem, de modo abrir o leque para os mas recem formados, participação nos congressos internacionais de modo atualizarem para melhor servir os doentes e não só ter uma estreita relação com as farmácias de conhecer os farmacos atual para administrar aos pacientes e preocuparem se mais em rever sempre que possivel o mestre mudo.Um bem haja

  4. MÁRIO+MARTINS

    30 de Agosto de 2021 as 5:57

    Fico satisfeito pela grande coragem e zelo da classe desta milha e Maravilhosa Terra. Felicitações ao Dr. Eduardo Neto e ao Dr. Celso Matos. Unidos somos mais fortes. De facto, é imperioso que os Políticos não confundem as actividades sobretudo quando se trata de uma profissão como a nossa. Entregamos a nossa vida, pondo em riscos a família para manter viva o melhor que pode haver neste Mundo,” A VIDA”.
    Em vez de criticar, deveriam sozinhos com sã consciência(acto raro ) fazer sacrifícios para que os médicos tenham ao seu dispor conhecimento, meios diagnósticos incluindo condição social/oportunidade para salvar a vida aos cidadãos. Outro comportamento errado é a questão dos Brilhantes serem tratados por coisas banais no exterior do País.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo