Sociedade

Albertina Matos vai ser requalificada pela GALP

Uma das mais antigas escolas de São Tomé e Príncipe, a Albertina Matos, na vila da Madalena está actualmente em obras. O projecto de requalificação da escola está avaliado em mais de 650 mil euros, e é financiado pela companhia portuguesa de petróleo, a GALP.

Por causa das obras de requalificação, os cerca de 800 alunos que frequentam a escola básica da vila da Madalena vão ser transferidos para o quintal da roça Santa Margarida.

Com financiado da petrolífera GALP, estão a ser montados cerca de 80 contentores no terreiro de Santa Margarida. Contentores que serão devidamente equipados para funcionarem durante os próximos 3 meses, como salas de aulas para os alunos da região da Madalena.

Um dos alunos da escola Albertina Matos, declarou no terreiro de Santa Margarida, que ele e os seus colegas representam o futuro de São Tomé e Príncipe.

Uma declaração que tocou a sensibilidade da petrolífera GALP. O representante da empresa que está a pesquisar petróleo nas águas territoriais de São Tomé e Príncipe, respondeu ao aluno da região da Madalena.

«A gente sabe que a educação é o pilar de tudo. Educação é o futuro. A Galp tem muito orgulho de fazer parte disso, trabalhar a educação, para que todo o país cresça», afirmou o representante da GALP em São Tomé e Príncipe.

No quadro do acordo de partilha de produção de blocos de petróleo em fase de pesquisa nas águas nacionais, a GALP assumiu como responsabilidade social financiar alguns projectos de âmbito social, nomeadamente a requalificação da escola Albertina Matos.

Quando terminarem as obras de requalificação, a escola Albertina Matos, vai ser uma luz mais cintilante no centro da Vila da Madalena. Uma luz de conhecimento, mais também uma luz em termos arquitectónicos.

«A Vila da Madalena vai ter uma nova imagem com a requalificação da escola básica», assegurou a ministra da educação e formação superior, Julieta Rodrigues.

A requalificação vai dar novos compartimentos à escola Albertina Matos. Uma sala para informática e novas tecnologias, uma biblioteca e mais equipamentos.

«Vai criar as melhores condições de trabalho, e de aprendizagem», pontuou a ministra da Julieta Rodrigues.

Vida renovada para uma das mais antigas escolas de São Tomé e Príncipe.

Abel Veiga

    1 comentário

1 comentário

  1. A Pátria

    24 de Outubro de 2021 as 16:28

    Descobrem e extraem petróleo que valem milhões depois deixam alguns trocos cair para os são-tomenses tapando alguns buracos da escola em Madalena.
    Tristeza. Seremos sempre enganados por esses europeus mesquinhos, com o governo do país metendo o dedo nesses valores nas suas festas coruptivas.
    Miséria.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo