Sociedade

Povo de Lembá está com medo de Chuva e de Trovoadas

É profundo o impacto psicológico causado pela tempestade tropical de 28 e 29 de Dezembro, no seio da população do distrito de Lembá, uma das regiões mais afectadas do país.

Na cidade Neves e no interior de Lembá, populares disseram ao Téla Nón que nunca antes tinham visto coisa igual. A força brutal que a chuva demorada deu aos rios permitiu que quase tudo fosse destruído e arrastado. Lembá registou uma vítima mortal.

A maior parte do distrito de Lembá é contornado por montanhas. As enxurradas de 28 de Dezembro de 2021 encontraram nas elevações circundantes às comunidades habitacionais uma espécie de rampa para maior projecção da sua força e violência até chegar ao mar.

«Nunca vi coisa igual», desabafaram alguns populares em conversa com o Téla Nón.

A vila de Santa Catarina actualmente isolada do resto do distrito de Lembá, já tinha testemunhado no ano 2015 a um fenómeno natural extremo, e também desconhecido pela população do norte do país. Trata-se das ondas gigantes que pela primeira vez no ano 2015 invadiram a Vila de Santa Catarina tendo destruído várias casas.

Numa altura em que o Projecto de Investimento em Resiliência da Zona Costeira da África Central (WACA) financiado pelo Banco Mundial executa obras de construção de casas sociais e de novos bairros residenciais para acolher e afastar a população de Santa Catarina da zona costeira, chuvas quase diluvianas provocaram rios de água a partir das montanhas no interior em direcção ao mar.

Os efeitos das mudanças climáticas já estão a ter impacto psicológico no seio da população do norte do país.

«Anteontem houve trovoada aqui, e o povo já está com terror disso. Muita gente dizia irmã Lúcia vem trovoada outra vez, o povo ficou aflito», revelou a irmã Lúcia Cândido.

O futuro não se adivinha fácil para a população mais pobre. «Temos que estar ao lado do governo», apelou a irmã franciscana.

Lúcia Cândido sente que o povo de Lembá «está com medo da chuva e das trovoadas».

Lembá e São Tomé e Príncipe precisam de ajuda para mitigar os impactos das mudanças climáticas.

Abel Veiga

10 Comments

10 Comments

  1. Pedro Costa

    6 de Janeiro de 2022 at 14:24

    Isto é o resultado das alterações climaticas, mesmo assim continua; o roubo de areia nas praias, o abate e roubo de arvores nas florestas, as queimadas etc… e o resultado já se faz sentir…. Se calhar era uma oportunidade para as autoridades fazerem a população ver como o seu comportamento terá efeitos nocivos…

  2. Lupuye

    6 de Janeiro de 2022 at 14:35

    Gostaria de saber porque e que os tecnicos da metereologia nada fizeram para informar a populacao de STP sobre a vinda dessa enxurrada. Hoje em dia ha coisas que se podem prever na metereologia e esta e uma delas. O povo nao tinha que passar por isso sem nenhuma informacao. Pelo menos assim poderiam prevenir e preparar e quem sabe nao teriamos tido mortes. Ate parece que estamos indo para tras.

  3. FCL

    6 de Janeiro de 2022 at 14:48

    Trovoada esta a preparar o regresso ao seu emprego de Primeiro Ministro, em viagens entre Portugal e Africa. Nariz esta todo “desorado” de testes de Covid

    De vez em quando faz uns vídeos mas e so para falar de politica. Situações de calamidade não quer saber

  4. Anjo+do+Céu

    6 de Janeiro de 2022 at 14:51

    Diaspora Portuguesa, filhos e amigos de Lembá favor de se mobilizar e estender a mão por uma causa Justa.Ajudar e cooperar nesta fase de calamidade.
    Camara Distrital de Lembá ser mas dinamico em pedir apoio a Camara do Porto onde está germinado.Povo não pode conviver mas com essa situação.É angustiante

  5. Guiducha

    7 de Janeiro de 2022 at 0:15

    Os TROVOADA disfarçados em chuvas estão de novo atacando STP. Que maldição !

  6. Vanplega

    7 de Janeiro de 2022 at 11:23

    O pais esqueceu a palavra humanismo.

    Quem se levanta para pedir contribuiçāo para ajudar Lémba? Sò querem ajuda extrangeira, ca dentro ñ fazem nada.

    Aonde foram voçês povo de Sao Tome e Principe? Sabemos que ñ tenhem muito, mais podemos ajudar com o pouco que tenhem. Uma so māo ñ lava a cara.

    Sofremento home è de Lemba, amanha pode ser outro lugar

    Vamos ajudar gente.

    Tambèm quem vais guardar essa ajuda? Talvez mais um ladrāo. È a desconfiança

  7. Timoteo dos santos

    7 de Janeiro de 2022 at 14:30

    Povo não. População e/ou povoação de Lembá

    • Vanplega

      7 de Janeiro de 2022 at 20:02

      Mais um ovelha negra. Que sò sabe ir para casa de curandeira para matar seu mano.

      Vai directo satanàs

  8. paulo canela

    7 de Janeiro de 2022 at 14:59

    parem o abate de arvores

  9. Carlos Ribeiro

    7 de Janeiro de 2022 at 19:59

    Boa noite,
    Antes mesmo de pedir dinheiro à comunidade internacional, o Estado Santomense deve começar por encontrar solução internamente.
    Se o governo não fizer nada, deve haver greve geral.
    Exigência – venda de todos os Carros valiosos do Estado.

    É um abuso o que esse Estado faz

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.

To Top