Sociedade

PNASE e PAM encerraram no Príncipe campanha para maior consumo de produtos locais

O Ministério da Educação e Ensino Superior (MEES) através do Programa Nacional de Alimentação e Saúde Escolar (PNASE), com apoio do Programa Alimentar Mundial das Nações Unidas (PAM), encerrou no último fim-de-semana, na Região Autónoma do Príncipe, uma campanha de sensibilização pelo aumento do consumo de produtos locais nas refeições escolares e nas famílias. 

Realizada durante os meses de Abril e Maio nos distritos de Mé- Zochi, Cantagalo, Caué, Lobata, Lembá, Água Grande e na Região Autónoma do Príncipe, a campanha visa igualmente promover a melhoria nutricional da dieta das famílias santomenses, através de uma alimentação mais variada e equilibrada à base de produtos da terra e mar santomenses e menos dependente de alimentos importados. 

Com a rotura do abastecimento alimentar resultante do conflito entre Rússia e Ucrânia, África enfrenta agora uma escassez de pelo menos 30 milhões de toneladas métricas de alimentos, especialmente trigo, milho e soja importados de ambos os países. O aumento do consumo de produtos locais vai estimular os produtores a engajarem-se mais na produção, aumentando a disponibilidade e o acesso dos mesmos nos mercados a escala nacional. 

Através da campanha, o PAM e PNASE pretendem garantir que as crianças, suas famílias e a comunidade em geral se alimentem cada vez mais à base de produtos locais, colhidos dos seus campos, hortas escolares e dos seus próprios quintais.  Por isso, “continuamos a trabalhar de mãos dadas com o PNASE para garantir que todas as crianças do ensino pré-escolar e do ensino básico possam ter acesso a uma alimentação saudável”, referiu Edna Peres, Encarregada do Escritório do PAM no país. “O nosso foco é assegurar que cada vez mais as crianças possam ter uma alimentação baseada em produtos locais, diversificada, equilibrada e de qualidade”, enfatizou Edna Peres, em seu discurso durante a cerimónia oficial de abertura da campanha, a 2 de Abril, na Escola Básica Trindade Sousa Pontes, no Distrito de Mé-Zochi. 

No acto de lançamento da campanha, o Coordenador do PNASE, Arlindo Capela, reconheceu que “a nossa cesta básica ainda continua a ser constituída por produtos importados. Um dos desafios do PNASE é apostar nos produtos locais, para invertermos a situação, de forma a não dependermos somente do exterior. Ao apostar nos produtos locais estamos a desenvolver cadeias de valores dos alimentos, pois com isso ganha o produtor, ganham os vendedores e ganham as crianças que comem alimentos mais nutritivos e essenciais para o seu desenvolvimento cognitivo, físico e mental e por conseguinte alavanca a economia do país”, frisou. 

Com apoio do PAM e outros parceiros, o PNASE tem implementado hortas escolares em São Tomé e Príncipe, como instrumento de educação alimentar e nutricional, visando assegurar a sustentabilidade e qualidade das refeições escolares através da produção local, com envolvimento da comunidade.  

O PNASE fornece um prato quente a cerca de 50 mil crianças dos ensinos pré-escolar e básico em escolas de todo o país.                                        

Fonte : PAM

Créditos de Fotos: Jorcilina Correia/PAM STP

FAÇA O SEU COMENTARIO

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.

To Top