Sociedade

PNASE deu passo significativo para refeições escolares mais nutritivas

No dia internacional de Nelson Mandela, 18 de julho, o PNASE deu passo significativo para refeições escolares mais nutritivas e sustentáveis em São Tomé e Príncipe.

“A educação é a arma mais poderosa que se pode usar para mudar o mundo”. Palavras do estadista Sul-Africano e Prémio Nobel da Paz, Nelson Mandela.

No dia em que se celebra mais um aniversário natalício de Mandela, 18 de Julho, instituído em 2009 pelas Nações Unidas como “Dia Internacional de Nelson Mandela”, o Programa Nacional de Alimentação e Saúde Escolar (PNASE) deu um passo firme para a melhoria nutricional e sustentabilidade da alimentação escolar no país, uma das condições fundamentais para a melhoria da educação, em São Tomé e Príncipe e no mundo.

Sob a égide da Ministra da Educação e do Ensino Superior, Julieta Rodrigues, o PNASE inaugurou uma pocilga com capacidade para 70 porcos, em sua sede, no Bairro de Almeirim, fruto de parceria com a ONGD Portuguesa Helpo e co-financiamento do Camões – Instituto da Cooperação e da Língua e do Programa Alimentar Mundial das Nações Unidas (PAM).

Este apoio em infra-estruturas se enquadra no Projeto Menutric Mais, que visa melhorar o estado nutricional das crianças santomenses. O Camões – Instituto da Cooperação e da Língua co-financiou o Menutric Mais na construção de uma pocilga com capacidade para 70 porcos por ano, durante 2 anos, criação da horta comunitária no distrito de Cantagalo, e outras ações em curso para fortalecimento da capacidade do PNASE.

A Ministra da Educação e do Ensino Superior, Julieta Rodrigues, inaugurou ainda uma horta comunitária-modelo no recinto do PNASE, financiada pelo PAM. O apoio financeiro disponibilizado pelo PAM serviu para a construção do muro de vedação, a construção de um depósito de água para irrigação, compra de sementes e insumos agrícolas, garantindo a melhoria da segurança das instalações do PNASE e da segurança alimentar e nutricional das crianças do distrito de Água Grande.

Pocilga

O PAM capacitou ainda o PNASE com a meios circulantes para monitorização e avaliação de suas atividades na Ilha de São Tomé, ao doar na cerimónoia de hoje uma motorizada e uma viatura de marca Toyota RAV4.

Neste investimento em infra-estruturas e capacidade logística, para a melhoria nutricional e sustentabilidade do programa de alimentação escolar no País, o PAM pretende dotar o núcleo do PNASE na Região Autónoma do Príncipe de semelhantes meios circulantes e projeta financiar a edificação de uma estufa para produtos hortícolas, em parceria com o Projecto de Reabilitação de Infraestruturas de Apoio a Segurança Alimentar (PRIASA II).

Horta escolar

“Os nossos parceiros têm-nos ajudado na melhoria das nossas ações, e aqui está mais um exemplo. Enriquecer a alimentação escolar com mais proteína animal, vinda da criação local, para além do peixe e das hortícolas de nossa horta escolar, é estar próximo do nosso objetivo estratégico, consolidar a inserção de produtos locais na alimentação escolar”, disse Arlindo Capela, Coordenador do PNASE.

“Mais uma vez, em particular, gostaria de agradecer ao PAM e a ONGD Helpo pelo apoio que têm prestado ao PNASE e em geral a todos os parceiros”, reforçou.

Ao desafio lançado pela Ministra Julieta Rodrigues, de continuarem a apoiar na melhoria da educação e saúde das crianças santomenses, tanto a Representante do PAM na cerimónia quanto a Representante da Embaixada de Portugal e Adida da Cooperação Portuguesa em São Tomé reiteraram o compromisso de cooperarem para ajudar na segurança e soberania alimentar do país.

A Encarregada do Escritório do PAM em São Tomé e Príncipe, Edna Peres, assegurou que o PAM continuará a investir no fortalecimento das infra-estruturas e da capacidade logística do PNASE. “Apelo a outros parceiros que, à semelhança do PAM, da HELPO e da Cooperação Portuguesa, possam apoiar a sustentabilidade do PNASE. Este apoio é pequeno para esse fim, mas constitui uma prova inequívoca do nosso compromisso continuado de apoiar São Tomé e Príncipe a atingir o seu objetivo de Fome Zero até 2030”, frisou Edna Peres.

No Dia Internacional de Nelson Mandela, o PNASE deu um pequeno passo para a sustentabilidade da alimentação escolar no País, mas este constitui um passo significativo para melhor nutrição das mais de 50 mil crianças santomenses dos níveis de ensino pré-escolar e básico, que perfazem um terço da população total Santomense.

FONTE – PAM

 

FAÇA O SEU COMENTARIO

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.

To Top