Sociedade

ISEC começa a formar professores de informática em São Tomé e Príncipe

Projeto liderado pelo Instituto Superior de Engenharia de Coimbra – ISEC, em parceria com a Universidade de São Tomé e Príncipe, vai capacitar dez professores em ciências informáticas. Posteriormente, estes irão lecionar iniciação à informática aos alunos do ensino básico naquele país.   

O Instituto Superior de Engenharia de Coimbra – ISEC arrancou esta semana com um projeto para digitalizar o ensino básico em São Tomé e Príncipe. Dois formadores portugueses partiram para São Tomé para iniciar o programa coordenado pelo ISEC, em parceria com a Universidade de São Tomé e Príncipe – USTP, que irá capacitar professores na área das Ciências Informáticas.

O curso intensivo de especialização terá a duração de 15 dias e irá preparar dez professores para lecionarem aulas de iniciação à informática a 600 crianças do ensino básico no próximo ano letivo, que começa já em setembro.

“Este programa tem como objetivo preparar alunos do ensino básico para criarem conceitos matemáticos e computacionais básicos, através de programas informáticos de uso comum”, afirma Mário Velindro, presidente do ISEC. “Num mundo cada vez mais digital, importa dotar as crianças desde muito cedo com competências digitais, para que estas sejam bem-sucedidas, tanto ao longo do seu percurso escolar, como, mais tarde, no mercado de trabalho”.

O projeto liderado pelo ISEC foi um dos cinco programas sociais que venceram um concurso de responsabilidade social lançado pela companhia petrolífera British Petroleum – BP, entre mais de cem concorrentes. A ideia foi reunir propostas que respondessem a necessidades da sociedade de São Tomé e Príncipe em áreas relacionadas com o ambiente, a educação, o desenvolvimento empresarial e o acesso à energia. O concurso teve uma dotação de um milhão de dólares, dos quais 270 mil são destinados ao programa coordenado pelo ISEC.

Depois de já terem sido adquiridos e instalados computadores e quadros interativos, os dez professores locais estão agora ser formados de acordo com conteúdos programáticos desenvolvidos e selecionados pelo ISEC e pela Cooperativa ME, associação portuguesa parceira do ISEC que se dedica ao setor social e educativo e da qual são oriundos os dois profissionais que estão a dar formação em São Tomé. “A ideia é ter os professores santomenses habilitados para iniciarem as aulas de educação tecnológica com as crianças já no próximo ano letivo”, afirma Mário Velindro. 

A iniciativa vai ao encontro de um dos grandes objetivos desta escola de engenharia de Coimbra, que é “reforçar a sua internacionalização”, afirma Mário Velindro. “Correndo bem esta parceria com a Universidade de São Tomé e Príncipe – como acreditamos que irá correr – será depois mais fácil ao ISEC replicá-la com outros parceiros de países lusófonos, com os quais temos a vantagem de falar a mesma língua”.

O ISEC está também a desenvolver projetos de capacitação em Angola e em Cabo Verde. “Estas parcerias irão permitir a mobilidade de estudantes e de docentes, bem como o desenvolvimento conjunto de projetos de investigação e de capacitação”, conclui o presidente do ISEC. “Desta forma estaremos a colocar o conhecimento produzido e desenvolvido nos nossos departamentos ao serviço da sociedade portuguesa e das sociedades dos países lusófonos”.

Fonte : Gabinete de comunicação do ISEC

1 Comment

1 Comment

  1. José Luís Jesus

    26 de Agosto de 2022 at 22:38

    Em STP tem pessoas firmadas em Portugal para dar aulas de informática, somos mais de 10, mas neste momento restam país cerca de 5. Todos formados no quadro de cooperação entre o antigo Gabinete de Apoio à Juventude eo Instituto Português da Juventude, através da Fundação da Tecnologia de Informação- FDTI. O curso teve a duração de 6 meses, com estagio curricular nas escolas portugusas.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.

To Top