Sociedade

Crianças pagam duramente pela desgraça que se abateu sobre os pais no Hospital Central

Waldemar Torres, é um dos exemplos da desgraça que se abateu sobre o grupo de 300 funcionários do hospital central Ayres de Menezes. Os auxiliares de enfermagem, motoristas, arquivistas e outros profissionais não recebem os salários há mais de 2 anos.

Waldemar Torres é motorista do hospital Central. Trabalha todos os dias, desde 22 de agosto de 2022. Mas, até hoje não recebeu o salário. As consequências sociais são graves e as crianças são as principais vítimas.

Adassa Torres – Filha

Waldemar tem dois filhos. Adassa Torres é a mais velha. Numa manhã, Adassa e o irmão, um bebé de 2 anos sentados num sofá degradado, comiam um pouco de arroz. O Téla Nón perguntou a Adassa se estava a matabichar para ir à escola. A menina de 6 anos de idade, abanou a cabeça. Não vai para escola?…repetiu o Téla Nón. «Não tem como», respondeu a menina.

Não tem como? Retorquiu o Téla Nón.

Com os olhos fixos no jornalista, olhos que reflectem uma alma pura e inocente, Adassa Torres abanou a cabeça comprovando que em 2024 deixou de ter acesso ao ensino. Os direitos de Adassa Torres como criança estão comprometidos.

«Eu tive de suspender a minha filha no Jardim de Infância. Ela é finalista, e deveria entrar para a primeira classe no próximo ano lectivo. Mas não tenho recursos para garantir lanche para ela. Não tenho recursos para pagar o transporte, moto táxi», revelou Waldemar Torres.

Waldemar Torres e o filho mais novo

Um golpe duro sobre o futuro das crianças também é sentido no seio da família Ilza Cravid. É auxiliar de enfermagem. Há 2 anos e 3 meses que trabalha, mas não recebe o salário. Com lágrimas nos olhos relatou para o Téla Nón o drama que vive o seu filho. «Eu tirei meu filho da escola, porque não tenho como pagar lanche, ou para pagar o moto táxi para levá-lo para escola».

Já a família de Waldemar Torres, além de não ter acesso à escola, vive no escuro. A empresa de electricidade cortou o fornecimento porque o chefe de família não pagou as facturas de energia. «A minha casa está agora sem energia», pontuou.

O motorista do hospital central, mostrou para o Téla Nón a guia de marcha emitida pelo Ministério da Saúde no dia 22 de agosto de 2022, que o confirma como profissional do sector. Um documento que o Ministério da Saúde está a exigir, como condição para poder pagar o salário há 2 anos em atraso.

«E frustrante para um pai presenciar as suas crianças definhando dentro da casa, sabendo que ele trabalha para o Estado, procura andar dentro da norma, mas não consegue sustentar as crianças. É frustrante e revoltante», afirmou.

A Ministra da Saúde Ângela Costa reagiu passando a bola para o Ministério do Trabalho. Aos berros no corredor do ministério, a ministra recusou prestar declarações. Disse que o assunto está a ser tratado pelo ministério do trabalho.

Adassa Torres – Na sala da casa

Enquanto isso, a família de Waldemar Torres, procura pela luz. A filha Adassa espera por uma oportunidade de ter acesso ao ensino. 

Abel Veiga 

7 Comments

7 Comments

  1. Celio Afonso

    15 de Maio de 2024 at 8:45

    Povo eleitor é o principal culpado dessa desgraça porque votam na escuridão.
    Agora é aguentar e esperar pelos melhores dias que não chegarão tão já.
    Muito triste!

  2. Sem assunto

    15 de Maio de 2024 at 8:58

    E com tudo isto vem a UNICEF, a PNUD com relatórios saídos das suas cabeças falando da cobertura global no campo de ensino com altas percentagens, bem como elevadas sumas, da última vez foram 16 milhões de dólares, como tendo sido investido no último ano civil em vários domínios…. é mentira.
    Será que está criança não conta para a PNUD? Aonde para os tais 17 milhões de dólares para empoderamento das raparigas? Menos de 200 dólares chegava e sobrava para resolver o problema desta menina. Como ela, certamente, existirá muitas outras.
    Estão sendo cúmplices para o atraso de um ser do sexo feminino, não vos choca isto? Ou é só,tagarelas discursivas?

  3. Sabino Gumão

    15 de Maio de 2024 at 11:08

    Isto é SOLUÇÃO?????
    Só com cristo.
    Povo toma decisão na urna.

  4. Nilson

    15 de Maio de 2024 at 11:32

    Corruptos de São São Tomé e Príncipe vê a desgraça que vocês causaram contra o país e contra o povo Santomense. Vocês têm consciência?
    Deus fará justiça!

  5. Colono Preto

    15 de Maio de 2024 at 14:18

    A culpa é dos Portugueses

  6. Clemilson

    15 de Maio de 2024 at 19:59

    Eu sairia desse serviço , entrava na justiça e tentava a vida em outros serviços

  7. Ministra Filh@ da Put@

    19 de Maio de 2024 at 12:06

    Estes são os desgovernantes do povo que temis!

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

To Top