Estudos

O Papel do Diretor de Turma Visto Pelos Alunos do 12º ano

Wilder Dias

 

Mestre em Ciências da Educação, especialização em Administração, Regulação e Políticas Educativas pela Universidade de Évora

 

SOBRE……. O Papel do Diretor de Turma Visto Pelos Alunos do 12º ano: O caso do Liceu Nacional de São Tomé e Príncipe

Foi desenvolvida uma investigação sob orientação da Prof.ª Doutora Marília Favinha, da Universidade de Évora.

O papel desempenhado pelo Diretor de Turma (DT) representa um elemento determinante na organização escolar, dada a sua ação de mediador entre todos os agentes da comunidade educativa. Assim, tomamos como ponto de partida para este trabalho procurar conhecer qual a visão dos alunos do 12º ano do Liceu Nacional em relação ao papel do Director da Turma em São Tomé e Príncipe.

A análise do contexto escolar permitiu caracterizar a emergência da função do DT, a sua evolução ao longo do tempo, os contornos do suporte legislativo e o seu enquadramento no sistema educativo santomense. Nesta perspectiva analisamos o papel do DT na vertente de gestor intermédio na organização escolar e enquanto mediador sócio-cultural.

Neste contexto, o DT assume-se como o elo de ligação entre a escola e a família, dado que está provido de instrumentos e técnicas capazes de articular, coordenar, conciliar e estabelecer a comunicação e cooperação entre os diferentes grupos que intervêm no processo educativo, ajudando a direcção da escola na gestão, na manutenção e sobretudo, na preservação do bem público.

Assim, entende-se que se trata de uma questão muito pertinente, já que o DT assume um nível de gestão intermédia, uma das componentes que auxiliam a gestão escolar com impacto nas questões relacionadas com o ensino/aprendizagem. A função assumida pelo Diretor de Turma está, portanto, intrinsecamente ligada ao sucesso do aluno e da própria escola.

A experiência profissional, como docente e como Diretor de Turma, com base no Despacho – nº 38 GM: C/2010, foi determinante na escolha do tema, quer pela vontade em melhorar a prática enquanto DT, procurando “fazer mais e melhor”, quer pelo facto de termos a forte convicção de que o papel do Diretor de Turma no contexto educativo se encontra subvalorizado. Procurando tirar partido de uma realidade que pensamos conhecer, entendemos focalizar o Estudo apresentado no contexto em que temos actuado nos últimos 8 anos, o 2º ciclo do Ensino Secundário. Essa experiência motivou intuitivamente a colocação de um conjunto de questões sobre o papel do DT no sistema educativo em São Tomé e Príncipe.

Tendo em conta as orientações constitucionais e políticas que emanam da Lei nº 2/2003, Lei de Bases do Sistema Educativo, o disposto no despacho nº 38 GM: C/2010, no seu Artigo 13º diz que, o Diretor de Turma é designado pelo Diretor da Escola, entre os professores da turma para desempenhar o cargo. O mesmo é o articulador entre a escola, o aluno e a família, de forma a transmitir as normas internas da escola, as políticas educativas e levar à direcção da escola as informações dos alunos e encarregados de educação.

O despacho nº 38 GM: C/2010 mostra ainda, determinadas áreas de intervenção do Diretor de Turma, assim, com base no mesmo despacho compete ao Director de Turma: 1) estabelecer a articulação com o Conselho Diretivo e o Conselho Pedagógico (em algumas escolas, representados através da figura de Coordenadores de Diretores de Turma); 2) promover a comunicação e as formas de trabalho entre os professores e os alunos; 3) organizar o dossiers, a ficha biográfica dos alunos da turma, mantendo-o actualizado no que se refere às informações de carácter social, disciplinar, aproveitamento escolar (ficha individual), assiduidade e o comportamento;

4) estabelecer a ligação com os pais e encarregados de educação, promovendo a sua participação; 5) apresentar a direcção da escola um relatório após os encontros no final de cada trimestre com os pais e encarregados de educação.

Nesta conjuntura e com base nos pontos citados no despacho nº 38 GM: C/2010, O DT tem a incumbência de presidir: 1) O Conselho de Turma em casos pontuais, estrutura pedagógica composta por todos os professores da turma; 2) O Conselho de Notas, estrutura pedagógica composta por todos os professores da turma aquando da análise das notas do aluno por disciplinas; 3) A Direcção de Turma, estrutura pedagógica composta pelo Director de Turma e pelos alunos da turma para análise dos diversos assuntos como a questão assiduidade, pontualidade, comportamento, e sobretudo estratégias para ser um bom aluno; 4) A reunião com pais e encarregados de educação sempre que houver necessidade e no final de cada período como forma de os manter informados em relação aos seus educandos.

Para a efetivação deste estudo contou-se com a participação dos alunos do 12º ano do Liceu Nacional de S. Tomé, sendo estes a unidade central, a partir da qual se fez a investigação. Pensa-se que o ponto de vista dos alunos, se constitui como um instrumento muito útil para o conhecimento da ação dos DTs. Para além de identificar os pontos fracos e os constrangimentos, valorizamos os pontos fortes e as potencialidades, contribuindo para o reconhecimento social do trabalho desenvolvido pelos Directores de Turma. Esses indicadores foram recolhidos através da análise documental e da legislação e pela aplicação de um questionário, que permitiu compreender as perceções e representações dos alunos sobre a ação dos Diretores de Turma.

Com esta investigação concluiu-se que, embora se possam notar insuficiências em relação ao estipulado pela lei, o Director de Turma tem exercido as suas funções, levando o apoio necessário aos alunos. Salienta-se ainda que este tem uma particular relevância nas mudanças que os alunos sofrem até ao 12º ano, em que os mesmos passam por vários professores e vários ambientes, cabendo ao DT a promoção da superação dessas dificuldades. Como se pode verificar com esta investigação, muitos são os professores que possuem pouca ou nenhuma experiência para exercer o cargo de DT, sendo esta questão ultrapassada com a ação do Coordenador de Diretores de Turma, que assume um papel crucial no acompanhamento e orientação pedagógica e organizacional dos Diretores de Turma.

Assim, considera-se necessário implementar no currículo de formação inicial de professores uma disciplina que foque a formação de Directores de Turma; realizar intercâmbios entre DT de escolas diferentes; elaborar Projectos Educativos que visem o maior envolvimento dos pais nas actividades educacionais dos seus educandos e na sua relação com os Diretores de Turma. Esta investigação demonstra, sobretudo que na opinião dos alunos, o papel e o empenho do Diretor de Turma contribuem para a qualidade do processo de ensino e aprendizagem em São Tomé e Príncipe.

    1 comentário

1 comentário

  1. Início Silveira

    21 de Agosto de 2020 as 7:31

    Os meus parabéns. Que façamos do nosso sistema educativo uma mudança transversal para a melhoria de qualidade de ensino- aprendizagem dos nossos alunos. Este seu contributo irá de certeza trazer uma nova visão quanto ao papel importante que os Directores de Turma têm assumido ao longo dos tempos. É preciso o seu enquadramento legal, para que, os Directores de Turma assumem esta função relevante junto da família, da sociedade e da própria Escola, enquanto fazedores de Educação.
    Todos por uma Educação de Qualidade……
    Os meus parabéns, Professor.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo