Opinião

A Verdade da Mentira na Trovoada eleitoral: o primeiro dia do resto da tua vida

Crónica de uma morte (política) anunciada: na tarde do passado dia 7 numa afluência histórica às urnas em todos os 7 distritos de São Tomé e Príncipe, depois de um lento, muito lento processo de contagem que foi antecedido por um apagão de energia ou luz elétrica, (mal acabou o processo de voto) e apagão da televisão de São Tomé e Príncipe (TVS), um triste e decrépito mecanismo de contagem de votos por distritos (com menos círculos de eleitores) conduzido pelo diretor da rádio (também militante da ADI), finalmente a TVS acordou para – pasme-se! – fazer a emissão de um documentário de turismo, ainda por cima feito por produtores terceiros.

A cidade de São Tomé acorda em pausa. Os santomenses não quiseram sair à rua na habitual movimentação da rotina diária. Um estranho silêncio acorda na cidade de São Tomé sem que até os cães circulem. Viaturas saem dos circuitos de estradas. Vivia-se um estranho e tenso silêncio. Algo diferente e estranha se adivinhava. Segui uma manifestação – defendo e defenderei a democracia, liberdade de expressão e quis ver de perto – e a pé – a força de um povo triste, miserável e muito descontente. Velhos, novos, crianças ás costas. Palaês, todo o tipo de palaês, “bebedadus”, motoqueiros, hiaceiros, vendedores ambulantes, desempregados, alunos. Todos saíram à Rua numa manifestação de defesa da democracia e liberdade. Na cabeça seguia Jorge Bom Jesus. Nestes meus anos de vida, menos 10 que o atual Líder, corri a pé, as estradas do Dubai santomense onde as estradas enterram os pés até aos joelhos em lama, em que as crianças são transportadas de barco num muito perigoso mar em aguas agitadas e segue a propaganda política, se contam história de demo_cracia mas mais não é de uma DITADURA forjada em demo_cracia. Qualquer ditador (zinho) precisa de um povo e de um território. Consoante o seu caráter usa os pobres – que por acaso não são cidadãos da terra que governa – para pedir ajuda internacional que não se vê entrar.

Não se compreende como e porquê um acordo com algum escravo de Erdogan, o famoso (pelas piores razões!) líder muçulmano da Turquia – como este líder da ADI – deu um apoio criando uma “fundação” fundada em terra infértil do islamismo. Um fundação com jardim infantil para aumentar a rede islâmica como se esta terra fosse tradicionalmente islâmica e não profundamente cristã e católica como é.

Hoje é o primeiro dia do resto da tua vida. Podemos condenar atos de vandalismo levados a cabo ontem pelos jovens santomenses, mas mais ainda: Condenamos a morte do jovem de 35 anos pai de 3 filhos, morto à pancada por 3 policias de segurança e um Polícia de Estado, enterrado no cemitério da Trindade à noite (sabias o que é a Lei e o que ela determina? Não se enterram mortos depois das 18h00); Condenamos a vergonha de uma garota (juíza???) de 30 anos, do Tribunal de 1ª instância de considerar em contagem de votos nulos – assim considerados pelos membros da mesa – e que a tua Jovem Juíza  Condenamos mais a dureza das instruções dadas no sentido da manipulação de resultados; Condenamos uma juíza atenção ao artigo 148º da Lei eleitoral (no processo de apuramento, deve a mesa apreciar as atas cuja reclamação seja feita); Condenamos o envolvimento da mesma juíza, da ADI, irmã da Ministra da Justiça Ilza Amado Vaz, antiga militante do MLSTP-PSD já entregue aos “(des)encantos” de Patrice; Condenamos a censura; condenamos a triste e ignóbil propaganda.

Curiosidades: 2 (ainda em exercício de funções) ministras – uma acompanhada do seu “homem” como se diz aqui em São Tomé e a outra, sabe-se lá como, a entregam pacotes de 5 mil dobras a militantes do MLSTP-PSD – banho turco? Banho de imersão?

  1. Falta de Credibilidade da CEN: nas imediações da sede da ADI, estranhamente ou não – mesmo ao lado!!! – está um edifício com um chalet colonial e um bunker nas traseiras, que comunica com a sede da ADI, através dos quintais traseiros. Nunca houve tanta laranjada de ninjas nesta terra. Agora a converter-se em gabonização Como escrevi num longo artigo de opinião ao jornal digital Téla Non (foram apontadas possibilidades de risco de fraude pelo partido ADI, que acha que o poder é além do além (representa a morte para os católicos. E que são: 1.Troca de boletins de voto, Leitura (fingida) do nome do eleitor na lista informando o eleitor que ele tem

que ir a outra mesa; 2. Quando a pessoa eleitor se desloca volta a ser informado do mesmo. Pretendem que a pessoa – convicta – desista; 3. Colocação das boxes ou separador de votação longe da mesa de modo a não se controlar, 4. Compra de plasmas e entrega aos militantes EM DÚVIDA, 5. Impedimento de saída até menos de 500 metros de modo a substituir pessoas da mesa, a Comissão Eleitoral Nacional (CEN) tem um presidente que não representa a maturidade na cena nacional e nenhuma na cena internacional. Todos já perceberam o que está em jogo: matar ou morrer com o poder. Recebem ordens e as leis não são respeitadas.

Condenamos que na minha reclamação (escrita e oral) de expurga da lista de cidadãos eleitores, justificando que me conhecia e que já tinha definido as eleições presidenciais de 2016, como tendo sido carregadas de falhas graves e repetitivas. Caso insólito, vergonhoso e que retiram de par em par, a credibilidade dos membros do partido azul. Nos países da Europa todos acusaram as eleições como eleições presidenciais muito frágeis, quer no ponto de vista da sua capacidade de realização, quer também do ponto de vista estratégico. E por isso o disparate, que aconteceu nas eleições presidenciais. 

Falta de Credibilidade e de educação do líder da ADI: aqui, nesta África, minha e não nossa, os santomenses estão fartos de ti. Mesmo os que não sabem que falo a língua da terra, Praguejam tudo e mais alguma coisa. Cansados. Como se aceita que um homem, que se diz Primeiro Ministro (acabou a malha do poder. Esta furada a rede e vais cair), insulte o seu adversário “dizendo: Jorge Bom Jesus prometeu baixar os impostos, os custos da saúde, baixar as taxas de educação, falta baixar as calças? Que nível de rodapé.

Eu tenho vergonha de si. Distancio-me deste seu nível baixo de educação. Tanta gente é acarinhada pelas palaês “bêbedas” mas doces e amargas com a vida que tu lhes conferes. Jornalistas internacionais contaram-me que ouviram uma discussão entre jornalistas da ADI e outras da TVS acusando-os de censura: “cortaram as imagens do Bom Jesus a ser abraçado pelas palaês”. Perguntamos, será que a arrogância se aplica a África? Contam-me que escolheram o Bom Jesus que é um bom homem, e de ti (vou poupar-te…) falam o pior. Educado? Fora do paludismo e do hospital mal cheiroso e carregado de seguranças armados aos cucos que não deixam senhoras passar (de ombros destapados!!!) Salazar ou Hitler de África?, mas que depositam cadáveres esquecidos durante 4 dias (eu vi!!) quando se velou a doce Anabela das Dores!, Por outro lado, um líder que ordena (Arlindo Ramos não faz nada sem que mande o primeiro ministro) enterrar a correr um homem literalmente assassinado, como me relataram testemunhas oculares e os populares de Trindade? Enterrar depois das 18:00? Ontem, depois da tensão, e dos avisos em torno da CEN, por parte dos membros do MLSTP PSD, Coligação PCD, MDFM, UDD, e outros mais pequenos, todos vieram para a rua e em 10 minutos criou-se a maior onda humana contra a juíza que teve que fugir pelas traseiras. Achas que isto dignifica a tua imagem? E a do Estado? Um Estado que era considerado um exemplo de democracia no Continente Africano? Atirara-me – depois de dizer que estava a observar, gaz lacrimogéneo aos olhos? O teu ninja chamar-me Branca não fica aqui? E atingir outros jovens ao meu lado? Onde queres chegar?

MOE – Missão de Observação da CPLP às eleições: numa curta declaração, Zacarias da Costa mencionou fatores chave: 8 equipas, distribuindo-se com duas em Água Grande e outras duas em Mé Zochi. Uma em Lobata, uma em Cantagalo, uma em Lembá e uma em Caué. Diplomacia. Pura.

Sabemos que muitas pessoas foram expurgadas das listas, pese embora se tenham recenseado. As mentiras têm limite. Não somos todos medrosos nem manipuláveis.

Referiu Zacarias da Costa que concentrou a sua observação no dia da votação, acompanhando a abertura e o encerramento das urnas. Infelizmente, vamos lá saber porquê, não a verificação nas Distritais da CEN. Mas assistiram à contagem nas Mesas das assembleias de voto.

Registemos então, num país onde se verificava uma taxa de afluência às urnas na casa dos 60%, com uma elevada abstenção, como entender que o Povo vota esmagadoramente para manter a ADI no poder? Risos. Ninguém te quer a liderar nem um ninho de cobras d’Obô. Ê sigá zá Ê.

Missão porrada: Numa tentativa de violação dos resultados, com urna selada indevidamente, uma juíza sem experiência de maternidade efetiva, quanto mais de julgado e a servir os interesses da mana (nem todos somos primos uns dos outros)!, o povo saiu à rua, num dia assim. Desesperado mostrou-te um sinal. Muita gente avisou os observadores que – te informo – dissuadiram os teus ninjas que são filhos da pátria para no defender contra invasores e terroristas, não para agredir os manifestantes no seu pleno direito contra a sua balofa dita_dura.

Não gostamos de ti. Não acreditamos em ti. A comunidade internacional não confia em ti. A China não confia em ti, mesmo que envies a D. Helena que merece o respeito pela senhora bondosa que é. O teu pai não confia em ti e pediu que a missão ficasse até depois das eleições se realizarem. Os jovens não gostam de ti. OS santomenses não perdoam pagares 85M euros ao cantor com avião estacionado na placa do Aeroporto de ST.

Um pedido, com diplomacia: mesmo tendo o jovem Roberto Raposo (tão jovem como eu) que já demitiste e que confidenciou ter ficado desempregado, nessa altura, devido ao estudo de consumos (que usaste para insultar o povo), não cometas o erro de manipular mais dados.

Ontem  ouvi de vários jovens e ainda mais: jornalistas internacionais ouviram, “quando te quisemos Patrice, fomos buscar-te ao aeroporto. Não queremos mais você. Sai a bem filho do filho da terra”. Mas sabemos: há estados que (já não te defendem) e outros que te vão deixar cair. O verdadeiro político que respeita a democracia e não a Demo_Cracia não sai à força e rejeitado. Sai. Com dignidade. Onde para a tua? Gabão? Mali? República Centro Africana? Sai em Democracia e para as tua mentiras esmagadoras em que nem a comunidade internacional nem o povo – que não é o teu e  que chamas Bêbedo – acredita. Como referiu o atual Presidente da República Evaristo Carvalho: “o Povo põe, o povo tira”. Adeus. Vai embora para o Gabão. 

Isabel de Santiago

    6 comentários

6 comentários

  1. JOAO CARLOS

    10 de Outubro de 2018 as 15:30

    Excelente desabafo….

  2. Arlindo Machado

    10 de Outubro de 2018 as 18:04

    Parabéns Isabel Santiago. Esta é a terra que a viu nascer.

  3. Mariana Santiago

    10 de Outubro de 2018 as 20:44

    Excelente, muito obrigada. Parabéns!

  4. Zani

    10 de Outubro de 2018 as 23:37

    Nessa guerra toda de acusações, ofensas, de parte a parte só quem perde é São Tomé e Príncipe e seu Povo!

    Seria mais interessante, se sentarem a mesa de conversações e num clima de diálogo e respeito mútuo com coração limpo e livre de extremismos para resolverem as coisas! Pois São Tomé e Príncipe está acima de todos!

    Admiro muito o povo caboverdiano e sua democracia! Não posso esquecer também que é admirável o patriotismo, nacionalismo, a união e o orgulho que demostram por Cabo verde! Eles podem nascer onde for na face da terra mas a caboverdianidade lhes corre na veia!

    Coisa que infelizmente não se vê em maioria dos santomenses!

  5. Metido a Besta

    11 de Outubro de 2018 as 14:11

    Uma radiografia e como tal nao ha argumentos: factos sao factos.

    Parabens e continua.

    Que Deus lhe proteja hoje e para sempre.

  6. Madredeus.igreja

    13 de Outubro de 2018 as 23:50

    A Deus Gabonaises

    Vai com Deus, que o inferno não ti suporta

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo