Opinião

Deuses e Demónios na Saúde pública de São Tomé[1]

Existem, definitivamente, DEUSES E DEMÓNIOS em São Tomé e Príncipe. A malária voltou a mostrar as suas garras em forma de mosquito fêmea e a questão que se coloca é a seguinte: Como é possível comunicar o pânico e prejudicar o País, como aconteceu dia 24 de Fevereiro de 2019, domingo, 20h43 – com uma audiência de 1 110 000 pessoas a ouvir e ver o Jornal das 8 em prime-time? 

Um milhão, cento e dez mil pessoas viram o Jornal das 8, na TVI – em Portugal no passado domingo. Por sinal o jornal de informação mais televisionado do país, com maior audiência. Ou vai a bem ou vai à força. STP tem andando a brincar às políticas e aos políticos. Apelo ao Senhor Primeiro Ministro que, por razões de saúde pública, chame a si, a gestão do dossier. É inaceitável passar a imagem triste, com uma notícia de alarme, de que STP e as suas autoridades – perante 300 novos casos de malária –pelas 20h443 minutos – precisamente – através da pivô do Jornal das 8 da TVI, Judite  Sousa,  lança a bomba atómica: “as autoridades de saúde de São Tomé e Príncipe estão preocupadas com os novos casos de malária e compromete-se a concretizar um plano de contingência para o controle da malária com mais verbas, para investir em formação de profissionais e novas infraestruturas”. Inaceitável a forma como a notícia foi lançada pela jornalista com uso de imagens das pesquisas desenvolvidas no Instituto de Medicina Molecular da minha Faculdade de Medicina, mas pior, a fonte!, as autoridades de São Tomé e Príncipe. Como é possível?

Meus senhores: é por situações idênticas que a credibilidade cai sempre na rua da amargura. Desde quando se comunica que se Compromete a”??? Se quer concretizar, já que o território nacional se insere na rota encarnada considerada mais perigosa nesta específica endemia, deveria aplicar, mal assumiu a pasta, a concretização e aplicação da atualização do plano de contingência e de crise em vigor para o controle da malária.

Mais verbas? Mais para investir em formação de profissionais?? Já chega destes filmes!! É dever, regra capacitar, sair dos gabinetes e ir ao encontro das comunidades, enfermeiros, médicos e até o senhor Ministro!!! E explicar às pessoas a importância de continuar com os PLANOS DE PULVERIZAÇÃO DE CASAS DE MADEIRA, de modo a assegurar as suas  e novas infraestruturas parcas, e com mas condições de higiene, mas que previne novos casos.

É isso que esperamos de si Senhor Ministro. É isto que ensino aos meus alunos

PCS: PA + MC + PRd = GS (PCS Plano de Comunicação em Saúde; PA Público Alvo; MC Mensagem Chave; PRd Produto; GS Ganhos em Saúde).

Através deste Plano de Comunicação em Saúde evitamos novos casos de e consequentemente possíveis novos casos de mortalidade infantil, possíveis novos casos de mortalidade materna, possíveis novos casos de morbilidade causados pelo sofrimentos atroz desta famigerada doença. Mas tão feroz como esta feroz doença é a mortalidade da doença que esta notícia vai causar com o milhão, cento e dez mil pessoas de várias origens (especialistas de saúde e profissionais e investigadores) ou outros que, não sabendo descodificar a mensagem, vão retaliar, sabe como senhor Ministro? Não é dando mais dinheiro para financiar as suas formações… Não! Não é isso, já que a OMS, na pessoa da Senhora Diretora Regional – e bem – deu o estatuto de país em desenvolvimento ao nosso país! É que os operadores turísticos vão sofrer, vão perder compras de viagens e os hotéis e unidades hoteleiras perdem potenciais, tudo graças á falta de visão estratégica de quem pensa que sabe tudo. Sabe tanto que até pensa que sabe como certo o que está errado. E o que deve ser feito é acionar o Plano de Comunicação em Saúde e o empoderamento dos cidadãos santomenses as pessoas Senhor Ministro! As pessoas!!! – dar-lhes conhecimento e poder de saber – no sentido da Prevenção da Malária. Sabe o que está em causa? A vida deles! E não a formação dos médicos e muito menos as infraestruturas. Mais do mesmo, formação, formação. Para não saírem das cadeiras.

Mudar o paradigma errado. É necessário mudar o errado paradigma e quem o desenhou. Há quantos anos não é atualizado e porque razão se instalou o alerta de 300 novos casos a um milhão, cento e dez mil pessoas que em Portugal assistiam ao Jornal das 8? Sabe, a informação existe. E é rigorosa. E não é esta a forma de comunicar cries em saúde, muito menos à  comunidade internacional. Esse pseudo conservadorismo ou híper-egocentrismo com chamada de atenção vai ter um custo, superior ao custos resultantes de gastos com o tratamento das pessoas vítimas diretas destes 300 novos casos de malária ou paludismo.

Governo vai elaborar nova estratégia de combate e prevenção?

São Tomé e Príncipe foi – recentemente – fruto de melhorias de investimento da Saúde Pública e nas doenças transmissíveis e sobretudo na Saúde Materna – onde muitos cuidados ainda falham, mas a desculpa é: encolhem-se os ombros e afirma-se isto é África. Mas não é a minha África. A Africa que sonho, apesar do que desejo e desenho em programas de formação. Nos médicos que ajudo a formar – até jovens santomenses – que rejeitam qualquer hipótese de regressar, depois de formados. Não há qualquer interesse. Não há qualquer sonho. Enquanto não houver um espírito de modernização, de mobilização, de mudança de paradigma, não conseguirão trazer os quadros formados nas grandes escolas da Europa, com conhecimento incomparavelmente mais avançado. 

Às 20h43m, um milhão  cento e dez mil pessoas viram o Jornal das 8 da TVI. Esse é o impacto da triste ideia de comunicar malária, sem saber ler sem saber escrever. O Chefe de Estado Português foi convidado a  visitar o País por ocasião do aniversário das comemorações da expedição de Sir Arthur Stanley Eddington à ilha do Príncipe, para confirmação a Teoria da Relatividade de Einstein em 1919. Acreditam que ele irá, depois desta triste notícia? O turismo vai sofrer cortes com a compra de viagens. As pessoas aumentam o medo, “…que é justamente o que o medo quer.! (Alexandre O’Neill) mas considerando que a doença  da malária não tem cura e o sistema de saúde em STP é uma falácia: o que nos resta???. Agradecemos a triste ideia de comunicar sem conhecimento, sem a humildade de consultar especialistas de comunicação em saúde (de forma gratuita) o regresso da malária, causando o alarme – fora da comunidade – quando o que deveria – era estabelecer – imediatamente o PCS – Plano de Comunicação em Saúde, que não é exatamente a brincadeira de mais formação dos profissionais de saúde e mais brincadeiras de infraestruturas. O Mosquito sempre existirá. E o que se espera de si, é o empoderamento das pessoas, das pessoas, dos jovens, dos estudantes, das palaês, das mães, dos vendedores, dos agricultores, dos públicos alvo em risco, criando mecanismos eficazes de educação em saúde para as populações, não dos profissionais senhor Ministro. São as pessoas que me interessam, aliás: graças e elas enveredei por esta causa. Doa a quem doer, custe o que custar.

Isabel de Santiago

[1] diretora do N’Dependenxa e  Investigadora e Regente de Comunicação em Saúde, Profª Convidada no I Medicina Preventiva e Saúde Pública, Faculdade Medicina Universidade Lisboa.

 

    11 comentários

11 comentários

  1. MIGBAI

    1 de Março de 2019 as 11:40

    Cara Isabel de Santiago.
    Tenho lido sempre os seus trabalhos com imenso gosto e atenção ao que quer transmitir.
    Porém tenho assistido que nem todos entendem o seu sentimento de justiça e muito menos do altruísmo que a norteia sobre o bem público, dedicando-se a STP com um desinteresse fora do vulgar.
    Este pessoal que é em tudo, o contrário daquilo que a Srª.Doutora defende, critica-a e atiram para cima de si precisamente o que eles mais pretendem em STP, ou seja o TACHO.
    Eu admiro-a pela sua luta constante em chamar a atenção das pessoas, mas deixe-me dizer-lhe até que ponto a sua luta (no meu modesto entender)é inglória.
    Quem procura informação nos sites de internet, sobre STP, ou é algum turista que cá quer vir férias, ou alguém de STP que tem algum poder financeiro, ou está melhor posicionado na sociedade, e quer saber como andam as opiniões sobre a política são-tomense, sendo estes últimos os sujeitos que menos lhes interessa alterar algo em STP para bem da comunidade, sabendo nós que, os que estão no estrangeiro a trabalhar, nem estão ai para se preocuparem com a terra que os viu nascer, e que tão mal os tratou.
    São assim os que aqui estão em STP e usam perfume, e que se aproveitaram da independência para se posicionarem na política, de forma a poderem ter uma vida desregrada e colonialista, os seus maiores críticos.
    São eles que passam pelo aparelho do estado criando leis à sua medida, de forma a favorecerem e subjugarem os outros.
    Por isso cara Doutora, lute pelo “Zé povinho” como dizem lá em Portugal, mas esteja convicta que este mesmo “Zé povinho” de STP, por algumas dobras será o primeiro a atirar-lhe a pedra da acusação,indiferença e crítica, e não é por ser um povo mau ou mal agradecido, mas sim, por estarem formatados pelos políticos comunistas que se implantaram em STP e que criaram a ideia de que os brancos são colonialistas, para além de quase todos aspirarem a andar cheirando a perfume.
    Entretanto os sujeitinhos perfumados, que sempre comeram e comem à “grande e à francesa” às custas de uma independência oferecida, não lhe vão dar tréguas Srª Doutora, e irão sempre provoca-la, molestando-a com observações,comentários e afirmações desprovidas de qualquer razoabilidade, somente porque a Srª.Doutora está a atravessar-se-lhes nos seus ignóbeis, reles, sórdidos e vis interesses.
    É claro que estas criaturas que são constantemente acossadas pela Srª.Doutora, vêm alegar o interesse nacional, o patriotismo, e muita palha para boi comer.
    Não lhe gabo a paciência Srª.Doutora, pois vai com toda a certeza, surgir o dia em que verá que a sua Africa é assim mesmo, ou seja, uma terra de oportunistas, e políticos formatados unicamente para o proveito próprio.
    Teria muito mais para lhe dizer Srª.Doutora, contudo fico por aqui, desejando-lhe paciência e pedindo imensa desculpa pelo meu povo, que teima em não ver, que podem existir pessoas cujo único interesse que possuem na vida é o bem estar comum.
    Obrigado por ser assim.

    • sotavento

      4 de Março de 2019 as 10:52

      Caro MIGBAI
      Oportunistas e politicos formatados unicamente para o proveito próprio encontramos nao só em Africa.
      Em muitos sitios há politicos desta indole , em Europa, América Latina e Asia.

      • MIGBAI

        5 de Março de 2019 as 9:47

        SOTAVENTO
        Tem razão ao dizer que em outros lugares essa canalha também existe.
        Porém eu vivo numa ilha sem recursos para se dar ao luxo de ter nos corredores do poder gente dessa índole.
        Quase toda a gente diz que STP fica no coração de África, porém eu digo e corretamente, que STP não faz parte de afriica, mas sim, faz parte unicamente da sua insularidade Atlântica.
        O impacto que um oportunista possa ter nas nossas ilhas é muito mais prejudicial do que fosse num outro país continental, porque vivemos de doações para se suportar minimamente a nossa vida económica.
        Assim África é dos continentes onde quase todos os países só possuem governantes mafiosos e desrespeitam os seus povos.

  2. Estatistico

    1 de Março de 2019 as 12:38

    Bom dia Sra Isabel
    Gostaria da sua explicação sobre essa noticia
    Pensava que eram somente os de São Tomé e Príncipe pelos vistos os portugueses já consomem mais álcool do que os russos.

    https://www.publico.pt/2019/01/29/sociedade/noticia/portugueses-ja-consomem-alcool-russos-oms-quer-precos-altos-1859702
    Não será que a população de São Tomé e Príncipe segue a População Portuguesa nesses exemplos.
    Isso poderia ser um novo tema de pesquisa Consumo de alcool na CPLP.

    Sera”Agradecemos a triste ideia de comunicar sem conhecimento, sem a humildade de consultar especialistas de comunicação em saúde (de forma gratuita) o regresso da malária, causando o alarme – fora da comunidade – quando o que deveria – era estabelecer – imediatamente o PCS – Plano de Comunicação em Saúde, que não é exatamente a brincadeira de mais formação dos profissionais de saúde e mais brincadeiras de infraestruturas.”

    Bem Haja

  3. José Lamego

    1 de Março de 2019 as 16:55

    Cara Compatriota
    Costuma-se dizer que os burros velhos não aprendem
    Esta equipa que está no governo pensa que dizer ao povo de que o paludismo aumentou desde 2014 e não hoje, que é a solução para resolver a situação.
    Só andam a justificar todos os males que fazem e têm estado a fazer a este povo com a justificação de que o anterior também fez mal.
    Assim não vamos a parte nenhuma
    Bem haja STP

  4. Renato Cardodo

    2 de Março de 2019 as 15:39

    Cumprimentar a autora pela frontalidade.
    Sofremos cada umm a sua maneira com as injustiças desta terra que vimos o sol(brancos,negros,mulatos,t

  5. Renato Cardodo

    2 de Março de 2019 as 15:42

    Cumprimentar a autora pela coragem de gritar que o rei vai nun.
    Dizer que é doloroso e criminoso aquilo que os incompetentes andam fazendo ontem e hoje contra o povo tão humilde.

  6. José Mencdonça

    4 de Março de 2019 as 10:27

    Caríssima Compatriota
    Obrigado pela reflexão positiva que já nos habituou a dar
    Vivo neste país à 58 anos e nunca assiste o país tão desorientado. Já vivi governos que mudaram Directores, que mudaram alguns lugares de confiança mas como o Governo anterior que até colocou quadros de oposição competentes em lugares chaves, tais como o Dr. Helio do MLSTP que ocupou o Governador do Banco Central, o Dr. Emilio Lima e Isa Amado como Ministros de Trabalho e da Justiça respectivamente entre outros. Mas nunca assiste troca de pessoas com uma certa competência por outras totalmente incompetentes. O único objectivo é apenas vingança, como é o caso da ENAPORT, onde o Director diz que ele irá vingar fortemente a todos aqueles que não pertence aos actuais partidos no poder. Estão a desempregar país e mães da família sem dó nem piedade, com o argumento de que a empresa está em falência, mas por sua vez o mesmo já colocou uma série de novas pessoas, incluindo, afilhadas, primas, militantes partidários etc. Uma empresa em falência que paga balurde ao Director para ir passear em Moçambique e de regresso ficar uns quantos dias em Portugal. Empresa em falência que acaba de fazer festa de aniversário da empresa gastando milhões e milhões. Empresa em falência cujo salário do Director de um mês dava para pagar salário mensal para mais de 30 funcionários que ele está a mandar para desemprego.
    Nunca vi um Governo que tenha tomado como o seu programa principal criticar tudo de bom e de mal que o Governo anterior fez. Pior ainda, é que depois praticam apenas a parte mal que outro governo fez, sob o pretexto de que o outro também tinha feito igual.
    Um Ministro de Saúde que foi toda a sua vida quadro do Ministério de Saúde, vivendo a francesa com projectos da cooperação portuguesa e que vem hoje dizer que o aumento do paludismo começou desde 2014. Esta é a sua táctica de combater o paludismo. Quê incompetência.
    Estamos mal e mal entregues a este grupo de incompetentes e desonesto. Mas como se diz na gíria, cada povo tem o governante que merece, o povo vai ter que aguentar, pois é este que ele merece, menos a alma que não merece.
    Bem Haja São Tomé e Príncipe
    JM

  7. Francisco santos

    4 de Março de 2019 as 12:17

    So um governo formado de pessoas loucas podem fazer coisas destas. Devido interesse político manchar a imagem do País.Só com Cristo. Ainda bem q ainda há pessoas atentas como a autora.

  8. Miguel Cunha

    4 de Março de 2019 as 23:18

    DAN BROWN- Angel and Devils!!!!
    Emprestaste o título não é ? Não tens massa cinzenta ! Seja mais criativa!
    Sorry girl! You are so pathetic!!!

  9. Fernando

    5 de Março de 2019 as 11:31

    Alguém pode me explicar
    Quem é ela por favor??

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo