Opinião

Nova jornada na nova era, novas perspectativas na diplomacia chinesa

Antes de finalizar o ano 2023, a importante Conferência Central sobre Trabalho Relacionado com Negócios Estrangeiros se realizou em Beijing,ondeo presidente Xi Jinping apresentou uma revisão sistemática das conquistas históricas e experiência valiosa da diplomacia de grande país com características chinesas na nova era, deu uma explanação profunda sobre o ambiente internacional e a missão histórica do trabalho externo da China na nova jornada, e fez planos abrangentes para o trabalho externo da China nos períodos corrente e posteriores.Gostaria de aproveitar esta oportunidade para compartilhar convosco a minha opinião sobre a formação da comunidade com futuro compartilhado para a humanidade, um dos tópicos mais importantes da reunião.

Que significa a formação da comunidade com futuro compartilhado para a humanidade?Para formar uma comunidade com futuro compartilhado para a humanidade, o objetivo é construir um mundo aberto, inclusivo, limpo e belo com paz duradoura, segurança universal e prosperidade compartilhada, o caminho é promover a governança global caraterizada por consulta extensiva e contribuição conjunta para benefícios compartilhados, o princípio orientador é praticar os valores comuns da humanidade, a base fundamental reside na formação de um novo tipo de relações internacionais, a orientação estratégica vem da implementação da Iniciativa para o Desenvolvimento Global, a Iniciativa para a Segurança Global e a Iniciativa para a Civilização Global, e a plataforma para ação é a cooperação Cinturão e Rota de alta qualidade. Com base nisto, procuramos reunir esforços de países para juntos enfrentar os desafios e alcançar a prosperidade para todos, e abrir um futuro brilhante de paz, segurança, prosperidade e progresso para o nosso mundo.

Paraformaruma comunidade com futuro compartilhado para a humanidade, apelamos um mundo multipolar equitativo e ordenado, em que os países, grandes ou pequenos, são tratados como iguais, o hegemonismo e a política de força são rejeitados e a democracia é verdadeiramente promovida nas relações internacionais. Para que o progresso rumo a maior multipolaridade seja mantido geralmente estável e construtivo, todos devem observar os propósitos e princípios da Carta das Nações Unidas, defender as normas básicas e universalmente reconhecidas que regem as relações internacionais, e praticar o verdadeiro multilateralismo.

Como o maior país em desenvolvimento, a China compartilha amplos interesses comuns e grande margem de cooperação com os médios e pequenos países em desnvolvimento, incluindo São Tomé e Príncipe, em temas como paz e segurança, e mudanças climáticas, empenhado em lhes prestar apoio ao seu alcance. Ultimamente, a China assinou com STP durante COP28 um memorando de entendimento para implementação conjunta do projeto Cinturão Solar Africana no âmbito da cooperação Sul-Sul para combate às alterações climáticas, e comprometeu-se a lhe entregar 3100 conjuntos de sistemas de energia solar fotovoltaica para o uso doméstico. Isso foi um exemplo vívido do nosso compromisso de defender o multilateralismo.

Paraformaruma comunidade com futuro compartilhado para a humanidade, apelamos para uma globalização econômica universalmente benéfica e inclusiva, o que atende as necessidades comuns de todos os países, sobretudo dos países em desenvolvimento, e aborda adequadamente os desequilíbrios de desenvolvimento entre e intra os países devido à alocação global de recursos. É importante se opor resolutamente à tentativa de reverter a globalização, ao abuso do conceito de segurança e ao unilateralismo e protecionismo em todas as suas formas, promover firmemente a liberalização e a facilitação do comércio e investimento, superar os problemas estruturais que dificultam o desenvolvimento saudável da economia mundial, bem como tornar a globalização econômica mais aberta, inclusiva, equilibrada e benéfica para todos.

Enquanto o maior motor do crescimento econômico global, a China desfruta dos benefícios da globalização econômica com STP e os outros países no mundo, e ao mesmo tempo, oferece novas oportunidades aos parceiros com o seu novo desenvolvimento. No quadro da Iniciativa Cinturão e Rota, bem como os nove projetos formulados na oitava sessão daConferência Ministerial do Fórum da Cooperação China-África(FOCAC), a China vem explorando possibilidades de cooperação econômica e comercial com STP. Em 2022, as duas partes assinaram a Troca de Cartas relativa à concessão pelo Governo da China do tratamento pautal nulo para 98% das posições pautais dos produtos originários de São Tomé e Príncipe que são exportados para a China. Esperamos que este acordo facilitará o acesso dos produtos da “Pérola de Africa” ao mercado chinês.

Quando se inicia um Ano Novo, tudo se renova. Daqui para a frente, a China está disposta a formar uma comunidade com futuro compartilhado, junto com todos os países no mundo, incluindo STP, para abrir uma perspectativa brilhante de paz, segurança, prosperidade e progresso para o nosso mundo.

Por : Xu Yingzhen – Embaixadora da China em São Tomé e Príncipe

FAÇA O SEU COMENTARIO

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

To Top