STJ bate o martelo mais uma vez contra Juíza Kótia Menezes

Tudo por causa do caso da queixa-crime movida por um grupo de jornalistas e técnicos da TVS contra o ex-coordenador Óscar Medeiros.

Num acórdão de 30 de Maio passado o Supremo Tribunal de Justiça, deu razão ao incidente suspeição que recaia sobre a referida Juíza do Tribunal da Primeira Instância. Mais ainda no seu acórdão o Supremo Tribunal de Justiça, considerou nulo todos os actos da Juíza Kótia Menezes no processo de crime de difamação, que o grupo de quadros da TVS, moveu contra o ex-coordenador.

No entanto, segundo o despacho do Supremo Tribunal de Justiça, emitido no dia 13 de Agosto, a Juíza Kótia Menezes, não acatou a decisão do Supremo Tribunal de Justiça.

Ficou com o processo, e emitiu um despacho considerando inconstitucional a decisão do Supremo Tribunal de Justiça. «A pretensão de condicionar a execução duma decisão do Supremo Tribunal de Justiça, por parte duma juíza de Direito do Tribunal da Primeira Instância, sob capa de aguardar a decisão do Tribunal Constitucional, é algo inqualificável», diz o despacho assinado pelo Juiz Presidente do Supremo Tribunal de Justiça.

O despacho de José Bandeira, mostra que a acção da Juíza Kótia Menezes em não acatar o acórdão que confirma a suspeição da mesma no processo, comprova a sua parcialidade. «Porque esta juíza não é parte interessada no processo nem pode ser, não tem nem pode ter interesse jurídico no mesmo e não pode recorrer por falta de legitimidade para o fazer, deixando antever motivos para os reclamantes dizer que a juiz “a quo” confirma e agrava a sua pretensão persecutória em relação aos mesmos enquanto ofendidos em querer… que a decisão da causa seja favorável ao réu», lê-se no despacho.

O Supremo Tribunal de Justiça diz que está diante de um incumprimento grosseiro de uma decisão em Acórdão, que viola os Estatutos dos Magistrados Judiciais e a Lei Base do Sistema Judiciário. O Juiz Conselheiro e Presidente do STJ José Bandeira explica, que depois da juíza Kótia Menezes ter tomado conhecimento em Maio passado do Acórdão que a declarou suspeita no processo, «deveria pura e simplesmente afastar-se do processo fazendo transita-lo ao juiz substituto nos termos da lei, e não proferir despacho como o fez».

O despacho proferido pela Juíza é considerado nulo e sem nenhum efeito. Desta forma o Supremo Tribunal de Justiça bate o martelo com mais força, e decide:

Rejeitar o despacho da Juíza Kótia Menezes que suspende a decisão do Supremo Tribunal de Justiça. Declarar nulo e sem qualquer efeito todos os autos subsequentes praticados pelo juíza. Ordenar a baixa dos autos ao Tribunal da Primeira Instância para os devidos efeitos.

Abel Veiga

Notícias relacionadas

  1. img
    Flori canidu Responder

    Verdadeiros juízes magistrados do tribunal e do ministério publico corruptos e que deixam a deseja a justiça deste país, nunca vêm. Sempre os que mais trabalham é que sao mais lesados.

    Haja muito paciência nesta terra, tudo por questões meramente políticas.

  2. img
    Maguita Nglanje Responder

    Que País estamos?
    Será que o STJ agora é como se fosse uma sede partidária?
    Até onde vamos parar com isto?
    CRÉDO STP, CRÉDO!!!!!!!

  3. img
    me chavi Responder

    Não pode haver tanta perseguição assim a uma juiza, só porque ela faz o seu trabalho, que é julgar….
    Acham que assim o País vai avançar?
    Não se pode construir um sistema, um País ou uma sociedade com ódios e rancores….Os que fazem justiça devem superar isso…
    Só com Cristo…

  4. img
    Falar verdade Responder

    Mais uma vez o STJ bate o martelo da ilegalidade. Segundo vozes do corredor do tribunal, este processo de suspeição contra a tal juíza está todo viciado. Aliás,não só este como dizem ter outros, todos com decisão STJ a favorecer os seus amigos, Adelino Izidro, Agostinho Rita e este para prejudicar o jornalista que ha alguns anos atrás mandou para o ar uma reportagem sobre o dinheiro do tribunal que implicava a participação de alguns juízes que neste momento estão no STJ. Curiosidade, o relator dos ditos acórdão é sempre a mesma pessoa, o presidente do STJ que diz ser ele que manda nos juízes e quem desobedecer vai ficar mal. Os que consultaram os tais processos contra a dita juíza dizem que o STJ decidiu violando a tramitação legal disposta no código de processo penal. É uma vergonha o que se passa dentro daquele tribunal. Até andam a perseguir os juizes que aplicam a lei, só porque fere os interesses da cúpula protegida. Até quando iremos ter uma justiça ditada só para os pobres? Reforma da justiça, precisa-se com muita urgência. Comecem a inspecionar as decisões do STJ e vão ver aonde está a solução. Bem haja a todos.

  5. img
    VIOGO Responder

    Uma suspeição dá lugar a nulidade dos actos? Um despacho de quem quer que seja? Por qwue via passou essa suspeitção?

    É melhor verem esta figura juridica e conhecer os contrornos.
    Fui

  6. img
    luisó Responder

    Eu não sei se é politica ou não que está por detrás disto.
    Mas de uma coisa tenho a certeza: se houvesse ordem e deontologia esta senhora juíza para além de ficar afastada do processo ficaria afastada de todos os processos por largos meses, por causa da sua desobediência aos órgãos superiores. Uma pergunta: se alguém num tribunal por ela presidido não acatasse uma ordem dela o que ela não faria?

    • img
      Mota Responder

      Bela Intervenção. É simplesmente simples. Se a Srª Juíza encontrar resposta a questão do “luiSÓ”, encontrará certamente a razão.

  7. img
    Pema Cuto Responder

    Esse Supremo Tribual é uma vergonha, é lamentável a atitude do Dr. José Bandeira , que curiosamente quando andava nos corredores a fazer campanha, para a sua subida como Presidente, era um dos críticos acérrimo das atrocidades do seu antecessor. Não que agora faz o pior? temos reclamações extemporâneas que viram acórdão, perseguição marcada com um ódio lascivo aos novos Juizes que recusam participar nas malandrices do Supremo Tribunal com o seu cliente tradicional Adelino Isidro; tendo inclusive o supremo inventado agora uma nova via de recurso que nem existe na lei processual civil. Coitados dos não têm amigos, compadres, devedores e avenças no Supremo tribunal de justiça, coitado do seu património da sua liberdade e dos seus direitos.
    Pelo estado em que isto está salve-se quem poder, e será sempre mais justo voltarmos aos tempos da justiça privada devido o estado da denegação de justiça e terrorismo jurídico que tem vindo a Praticar o José Bandeira e o ” SEU” supremo tribunal de justiça.

  8. img
    Patriótico Responder

    Fui aluno do Prof. Dr. Bandeira no Liceu Nacional, e agora sou o seu colega de formação.
    Mas, ando muito apreensivo com o funcionamento do nosso Tribunal!
    O que aconteceu com o processo que envolve o jornalista Medeiro é um abuso do poder protagonizado pelo Presidente do STJ!
    Caros Magistrados da República Democrática de STP, devemos simplesmente julgar de acordo com a lei e primar sempre pelo bom senso (consciência humana).
    Fui

  9. img
    Coboiada Responder

    vcs não prestam……

  10. img
    Brito da Graça Responder

    Quem não sabe das relações intimas entre Kotia Menezes, Carlos Menezes pai RDP africa , Patrice Trovoada e Oscar Menezes. O maior cego é aquele que tapa os olhos e diz que não está a ver nada.Os quadros quando chegam aparecem com todo paleio como se viessem descobrir a polvora. Passando horas estão nos altos esquemas…..

Deixe um comentario

*