Banco da UE financia a modernização do setorenergético em São Tomé

O Ministro das Finanças, Comércio e Economia Azul, Américo Ramos, da República Democrática de São Tomé e Príncipe, anunciou oficialmente o Projeto de Recuperação do Sector Energético, que visa reformar o setor de energia no país. O projeto inclui a reabilitação e expansão do empreendimento Hidroelétrico Contador e o fortalecimento da Empresa Nacional de Água e Eletricidade de São Tomé e Príncipe (EMAE).

O ministro indicou que “esta ocasião marca a parceria do Banco Mundial e do Banco Europeu de Investimento com o Governo de São Tomé e Príncipe, para ajudar na recuperação do sector energético, aumentar a produção de eletricidade com recursos renováveis e melhorar a confiabilidade do fornecimento de eletricidade, com uma visão compartilhada de fornecimento de energia sustentável para todos, respeitoso do meio ambiente “.

O Banco Mundial contribui com US $ 16 milhões da doaçãoeo Banco Europeu de Investimento US $ 13 milhões em financiamento concecional, para um pacote de financiamento total de US $ 29 milhões, abrangendo um extenso programa de cinco anos no setor. Este projeto apoiará a reabilitação da Usina Hidrelétrica Contador, juntamente com a respetiva rede de transmissão e instalações de distribuição, como primeiro passo no sentido de utilizar mais energia hidrelétrica e melhorar a qualidade de vida de cerca de 90.000 beneficiários. O projeto também implementará reformas no setor de energia, particularmente dentro da Empresa de Água e Eletricidade, EMAE, e seu regulador, AGER.

O Banco Mundial está a prestar apoio ao Governo na preparação de um plano de desenvolvimento energético de custo mínimo como plano diretor a longo prazo para o Ministério das Infraestruturas e dos Recursos Naturais, que definirá um roteiro para o investimento em capacidade de produção adicional, Desafios de uma demanda crescente em uma economia vibrante. O projeto também se beneficiará dos resultados de um inquérito energético nacional inovador para compreender o uso de energia dos consumidores e suas preocupações para melhor atender os interesses dos beneficiários.

Lei na íntegra a nota de imprensa que foi enviada a Redacção do Téla Nón - Nota de imprensa

 

Notícias relacionadas

  1. img
    Peixe Responder

    Praia Gamboa não tem energia desde o dia 17 deste mês, dia todo 24h por dia. Todos os produtos no frigorífico estão danificados. Os quintais estão a cheirar como as lixeiras. E mesmo assim EMAE envia fatura.

  2. img
    EX Responder

    A resolução do Problema não somente financiar, mas sim melhor as Equipas de Gestão, Desde dos Técnicos de Manutenção Direcção em Geral.

    Privatizar parte da Manutenção EMAE, e melhorar a Direcção Financeira e administrativa com pessoal capaz e isentos de politiquice.

    cmpts

  3. img
    Martelo da Justiça Responder

    É pena que esse Governo de Patrice Trovoada não tenha a capacidade de arranjar novos financiadores para o desenvolvimento do Pais conforme prometeu na campanha eleitoral. Viu-se que a mesa redonda de Londres realizada com pompa e circunstancia não deu nenhum resultado. Banco Mundial e o Banco Europeu de Investimento são os nossos parceiros tradicionais há muito tempo, portanto não é novidade nenhuma. Por essa razão o Patrice teve que abandonar a China Taiwan e voltar para China Popular que teimosamente rejeitou e criticou o Presidente Pinto da Costa por ter dado os primeiros passos com a visita privada a China Popular. Esta teimosia de Patrice em pensar que o ADI sozinho é capaz de resolver o problema do Pais é completamente errada. A democracia realiza-se com o vencedores e os vencidos sobretudo quando se trata da decisão dos projetos estruturais para o Pais. Este Senhor tem que meter na cabeça que o Pais é de todos nós. Espero que ele reconsidere a tempo a sua posição para o bem dessas ilhas, porque a situação começa a tornar-se insuportável.

  4. img
    ADI não é partido político mas sim uma Facção!!! Responder

    Será que este acordo passou na Assembleia Nacional mesmo? Pelo visto não passou. Agora, porquê que não passou?

    Como é que um acordo desse não passa na Assembleia Nacional para os dignos representantes do povo tomar o conhecimento daquilo que vai comprometer a vida futura desse mesmo povo?

  5. img
    Ralph Responder

    Isto é muito encorajante porque a produção e fornecimento de energia de fontes renováveis é sem dúvida o futuro. Espero que iniciativas como esta continuem porque entregarão benefícios tanto ao meio ambiente tanto à sustentabilidade económica. É claro que a eletricidade hidroelétrica é e continuará a ser uma fonte valiosa e barata de energia de base (em inglês, baseload power), assumindo que as barragens continuem a estar cheias. No estado de Tasmánia, no meu país de Austrália, aproximadamente 99% da sua eletricidade vem de centrais hidroelétricos. Porquê gerar eletricidade por queimar algum recurso esgotável (como carvão ou gasóleo) se se pudesse derivar a mesma energia de uma fonte barata e renovável?

    É bom também ver que o governo de STP está a apoiar bastante esta iniciativa porque na Austrália, o governo e a oposição se têm envolvido numa luta ideológical artificial sobre o futuro de energias renováveis. Em vez de apoiar o futuro e promover a sustentabilidade energétia, o governo apenas quer fazer jogos porque está capturado pelo lobby de carvão e acha que tal vai ganhar-lhe as eleições. É louco. Fico feliz por saber que o governo de STP não está a seguir o mesmo rumo.

Deixe um comentario

*