Cultura

Leonel Aguiar ícone da música santomense homenageado em Portugal

O dia de São Tomé, 21 de Dezembro de 2020, uniu em Lisboa o núcleo dos ex-estudantes do Liceu Nacional e a embaixada de São Tomé e Príncipe em Portugal, numa homenagem histórica, a um dos maiores ícones da música nacional.

Chama-se Leonel Cipriano Amaral Aguiar. Com 72 nos de idade, e actualmente residente em Portugal, Leonel Aguiar como é mais conhecido no seio dos santomenses, destacou-se como guitarrista principal de vários agrupamentos musicais de relevância em São Tomé.

Começou a lidar com a guitarra quando tinha 9 anos de idade, e aos 11 anos, já brindava o público do seu bairro com interessantes melodias musicais.

«O contributo do Leonel para a elevação da cultura musical santomense, a sua marca na modernização da produção musical nacional e a influência que exerceu em outros músicos, com o seu estilo arrojado, consubstanciam os motivos para que um grupo de santomenses na diáspora, denominado “ O Grande Liceu” e a embaixada de São Tomé e Príncipe decidissem hoje (21 de Dezembro) distinguir este ícone da nossa música», referiu a organização da homenagem que decorreu nas instalações da embaixada de São Tomé e Príncipe, na capital portuguesa, Lisboa.

Mindelo, Libelinha, Negrados, Maracujá e África Negra são nomes de conjuntos musicais que marcam a história musical de São Tomé e Príncipe, ao som da guitarra de Leonel Aguiar.

Mas, houve um agrupamento musical onde o guitarrista se afirmou como referência. Tanto que falar de Leonel Aguiar, é mesmo que falar do famoso conjunto “os Úntuès”.

«O jovem prodígio se afirmou definitivamente foi no conjunto “os Úntuès”, o expoente da nossa produção musical», sublinham os organizadores da homenagem.

A homenagem descreve que o sucesso histórico e marcante na cultura musical nacional, conquistado pelo agrupamento “os Úntuès”, «deveu-se em grande medida à irreverência do seu guitarrista Leonel Aguiar».

Os dedos do guitarrista produziam ritmos que puseram São Tomé e Príncipe a dançar, anos a fio. Ritmos musicais, que continuam a dominar o universo da música originariamente santomense.

Na cerimónia de homenagem, o guitarrista anunciou que pretende regressar o mais breve possível a São Tomé, para «ensinar os mais novos a tocar a guitarra».

Aos 72 anos de idade, Leonel Aguiar, quer que a juventude eternize a melodia única e singular que a guitarra confere à música. Um som, um ritmo musical completamente diferente do produzido pelos sistemas informáticos, que dominam actualmente a produção musical.

Os dedos das mãos, devem continuar a abraçar e a acariciar a guitarra, para produzir o ritmo inconfundível, que faz a música ter vida. Um ritmo que vem de dentro do guitarrista, da sua alma.

O leitor deve ler na íntegra a Biografia de Leonel Aguiar, o ícone homenageado em Portugal – Biografia Leonel Aguiar.dez20

Abel Veiga

    4 comentários

4 comentários

  1. SANTOMÉ CU PLIXIMPE

    22 de Dezembro de 2020 as 15:36

    É NECESSÁRIO…..A CULTURA DE UM POVO É BILHETE DE IDENTIDADE DESSE POVO….

  2. Tomás da Vera Cruz

    23 de Dezembro de 2020 as 5:37

    Já não era sem tempo. Homenagem justamente merecida ao melhor guitarrista são -tomense de todos os tempos.

  3. Sotavento

    23 de Dezembro de 2020 as 10:04

    Grande senhor do panorama musical de STP.De recordar que há muitos mas que merecem ser homenageados e reconhecidos como pilares da cultura de STP.E que não seja pedir muito juntarlos um dia , Leonel , Beto Morais, e muitos mais…

  4. Seabra

    23 de Dezembro de 2020 as 10:06

    Homenagem bem merecida…os UNTUÉS fizeram e fazem ainda dançar os sãotomenses e mesmo os estrangeiros de outros países da África lusófona, onde eles foram sempre apreciados.
    Os UNTUÉS é um VALOR seguro de STP…é INTEMPORAL.
    Felicitações ao AGUIAR🎶👍👏👏👏

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo