Desporto

Caixão Grande humilha santana, com hat-trick de Maqui

A formação de Caixão Grande, venceu este domingo na arena “30 de maio” em Santana, o conjunto local por 4×1, com o hat-trick de Maqui, e afastou o fantasma das derrotas, que o afligiu nas duas primeiras jornadas.

Caixão Grande, que vinha navegando nos mares de desalento, fruto das derrotas nas duas primeiras jornadas do campeonato da 1ª divisão da série (São Tomé), esteve este domingo em evidência no campo “30 de maio”, ao vencer a turma de Santana por expressivo 4×1, onde a grande figura do embate foi o artilheiro Maqui, que apontou três dos quatro golos, com que os forasteiros venceram o clássico, e tornou no melhor marcador da prova a par com o Jati de Praia Cruz com quatro golos.

Sabendo que uma derrota o deixaria em maus lençóis, o xadrez de Mé-Zóchi (Caixão Grande), entrou a todo gás, sem dar grandes hipóteses aos anfitriões, que entraram a perder com um grande golo de Maqui, logo no primeiro minuto, na cobrança exima de um livre directo, onde o guarda-redes Galay foi traído pela trajectória da bola e só teve que ir busca-lo no fundo das redes.

Querendo resolver desde cedo o embate, os anfitriões não tiraram os pés do acelerador e voltaram balançar a rede por suspeito do costume (Maqui), ao minuto 8.

Vendo no horizonte o descalabro da sua equipa, o técnico de Santana, Maputu, fez entrar um avançado, Robson, que 10 minutos depois de estar em campo, reduziu o marcador, para 2×1.

Apos o golo, o Santana cresceu no jogo, e criou algum calafrio aos forasteiros durante largos minutos de jogo, até que ao minuto 44, o Maqui acabou com as dúvidas que poderiam existir quando ao desfecho do confronto, ao apontar o terceiro golo da sua equipa e da sua conta pessoal.

Com o placard de 3×1, a juíza da partida, Clara Vila Nova, disse que viu tudo ou quase tudo e mandou todos para o descanso.

Apos o descanso, o conjunto de Cantagalo reatou com gana de minimizar os estragos, mas faltou arte e engenho para o conseguir, algo que teve o adversário, que soube gerir a ocorrência, e concluiu com o quarto golo, apontando ao cair do pano por intermédio de Moniz, que saltou do banco para substituir o Maqui, considerado por muitos com o melhor jogador em campo.

Mas antes do golo, o atacante de Santana foi expulso, por tentativa de agressão ao árbitro assistente, Edgar Semedo.

No final, o técnico de Santana, estava perplexo com o desempenho da sua equipa, e frustrado com o resultado, mas teve a nitidez de reconhecer a superioridade do adversário que conquistou os primeiros pontos na prova.

De outro lado estava, Paulino Costa, um treinador muito feliz, que colheu o fruto, na sequência de algumas mudanças no seu xadrez para este desafio.

Gil Vaz

    1 comentário

1 comentário

  1. Humilde

    19 de Junho de 2014 as 18:42

    Ou se não é Mr Paulino, este é um grande Líder!

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo