Desporto

STP sofre derrota frente ao Uganda (3-1)

São Tomé e Príncipe perdeu por 3-1, no amistoso desta tarde diante do Uganda.

A turma nacional foi impotente para superar o adversário, que dominou do princípio ao fim o encontro, que decorreu no Mandela National Stadium, perante um bom público que vibrou com os golos dos rapazes da casa.

O resultado foi construído praticamente ainda na primeira parte, com os golos de Joseph Ochaya (22) e Murushid Juuko (45+5).

O golo que veria a sentenciar o desafio, foi apontado por Abraham Ndugwa (82).

Já o golo de honra do conjunto às ordens do Gustavo Clemente foi apontado por novo jogador da UDRA de Angolares, José Varela ‘Zé’, nos descontos.

O xadrez nacional regressa este domingo à capital, soube-se de uma fonte próxima da selecção nacional.

Henrie Martins

    3 comentários

3 comentários

  1. anda pligu

    24 de Março de 2018 as 21:09

    Posha que AZAR!
    Tudo e em tudo está dando mal para santomenses.
    Foi basket, agora futebol.
    Para além do pão que já estamos comendo, que o diabo amassou.
    Deus tenha piedade de nós.

  2. E. Tavares

    25 de Março de 2018 as 10:56

    Eu acredito que a unica solução para a nossa seleção ser competitivo é continuar a fazer mais jogo como esse e acima de tudo convocar mais jogadores de diáspora.hoje já temos alguns santomense que actuam em grandes Club ao nível de Portugal como Luís leal Harramiz,Jordão, Jonny,Marco paulo que ja representou selecao nacional temos também Gilson Costa de Boa Vista e Aylton Boa Morte no Estoril e muitos outros que jogam aqui em Portugal e outros países de Europa. Eu defendo que 90% de jogadores selecção devem ser profissional e principalmente na Europa, o nosso campeonato é amador e não é competitivo por mais qualidade que o jogador tenha se ele jogar no nosso campeonato a treinar duas ou três vezes por semana ele não evolui assim eu sugero a federação Nacional de futebol de ter um olheiro em Portugal para acompanhar os jogadores que actuam aqui.
    Antes de terminar eu gostaria de falar de exemplo de Cabo Verde e Guiné Bissau que não têm campeonatos fortes mais vão para as competições africanas porque quase 100% de seus jogadores jogam na Europa enquanto Angola e Moçambique que têm campeonatos mais forte não vão porque maioria dos seus jogadores jogam nos campeonatos internos.

  3. paulo

    27 de Março de 2018 as 10:21

    ..também jogando como 10 jogadores..vejam a foto por favor..que jornalismo é esse?

Deixe um comentário

Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo