Desporto

Simão Carvalho arrebata medalha de Ouro na 1ª Meia Maratona

Foi dele a medalha de ouro, na primeira Meia Maratona, em sua homenagem, Simão Carvalho, ao percorrer com sorriso no rosto, os 21 km, que ligaram Rádio Nacional à Praia de 7 Ondas, prova vencida pelo Ismael Carvalho, em masculino, e Djamila Tavares, em feminino.

O dia do descobrimento da ilha de São Tomé (21 Dezembro) entrará para a história do desporto santomense, em concreto o atletismo, com a materialização do maior evento desportivo realizado no arquipélago, “Meia Maratona Simão Carvalho”, num ano assombrado pelas nuvens cinzentas da Covid-19.

A prova que visou homenagear o técnico que mais medalha deu ao país, nos 45 anos da independência, e despertar a cultura da meia maratona no arquipélago, teve o seu arranque na Rádio Nacional, com a participação de uma centena e meia de corredores, de ambos os sexos, que percorreram com muita emoção e satisfação o percurso de 21 km, que ligou Rádio Nacional à Praia de 7 Ondas, face ao forte apoio que foram recebendo ao longo do percursopor parte dos populares das localidades percorridas, ouvindo palavras como: “força”, “vamos”, “coragem” e “campeão”.

A luta pelo pódio foi árdua nos primeiros cinco km, mas, de lá para frente, o veio toda a classe do Ismael de Carvalho (o vencedor da prova), que não mais largou a frente da corrida até a meta, cortando-a em 1’18”46”79, relegando Duliê Fontes (1’24”20”35) e Oaércio Afonso (1’25’’44’’84) para os lugares secundários e terciários, respectivamente. Já em feminino, Djamila Tavares foi a grande vencedora, com o tempo de 1’38”30”39, atirando para segundo e terceiro lugar, relativamente, Nesia Andrade (1’55”04”99) e Nelcinha Lima (2’04”08”43).

Posicionalmente, esses foram os grandes vencedores desta primeira meia maratona. Porém, o maior e o principal vencedor da prova foio homenageado do dia “Simão Carvalho”, que acabou por arrebatar a medalha de ouro, como recompensa dos 21 km percorridos.

No final, era sorriso por todos os lados, sensação do dever cumprido. Segundo o presidente da comissão Organizadora, Gil Vaz, a prova ultrapassou a expectativa, na obstante da fraca participação financeira das empresas nacionais.

“Estamos satisfeitos com a conclusão da prova. Não contávamos com a participação de toda essa gente, estamos lisonjeados com a entrega de todos, desde os corredores até a população, passando por equipas da polícia nacional, cruz vermelha e juízes da prova, técnicos do centro de medicina desportiva, equipa técnica da federação, jovens de Cantagalo, empresas, todos que de uma forma ou outra deram a sua contribuição para o sucesso desta prova. Vamos começar a trabalhar já em Janeiro para a edição de 2021”.

De sublinhar que a Meia Maratona Simão Carvalho foi organizada pela Federação Santomense de Atletismo, Ministério da Juventude e do Desporto (Direcção Geral do Desporto) e H-eventos, em parceria com o Comité e Olímpico de São Tomé e Príncipe, Centro Cultural Brasil São Tomé e Príncipe, UNITEL, câmaras distritais de Água Grande e Cantagalo, AJURT e Academia de Futebol Feminino de São Tomé e Príncipe.

Martins dos Santos

    1 comentário

1 comentário

  1. méên cabláá bodje

    24 de Dezembro de 2020 as 10:08

    O país precisa de mais acções dessa natureza, temos que começar a distinguir e prestigiar figuras, valores nacionais, a nossa sociedade precisa de referências …..parabéns professor Simão Carvalho, que o senhor seja um exemplo a seguir.

Deixe um comentário

Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo