Economia

Produção de gado bovino volta a ser aposta do sector da pecuária

O Ministério da Agricultura e Pescas, recebeu no último fim-de-semana 110 cabeças de gabo bovino provenientes do Brasil, para disseminação da produção bovina no país. O Ministro António Dias, que recebeu o gado, garantiu aumento para futuro breve o aumento da produção de carne no país.

O país que tinha importante quantidade de gado bovino nas suas diversas roças, comeu quase tudo, e já na década de 90 as roças já não tinham mais boi. A carne de vaca tem preço proibitivo no mercado nacional. Ficaram também as saudades, de leite de vaca fresco, que era vendido nas ex-lojas de povo.

O antigo centro leiteiro de Nova Olinda, no distrito de Cantagalo, foi reabilitado para receber as 110 cabeças de gado bovino que o governo importou do Brasil, para reanimar a produção nacional.

O gado que chegou no último fim de semana num avião cargueiro, foi recebido pelo ministro da agricultura e pescas. «Acabamos de importar 110 bois da raça Nelore, que se adapta facilmente as condições do país», explicou o ministro António Dias, tendo acrescentado que o gado importado do Brasil, vai acasalar-se com a raça dominante no país, para aumentar a produção de carne. «É uma raça que na fase adulta pode atingir 400 a 450 quilos, quando a raça que temos aqui, na fase adulta atinge cerca de 250 quilos. Vamos desenvolver a bovinicultura no país», frisou, o ministro.

Segundo o ministro, o gado vai ser concedido à médios empresários agrícolas e a alguns pequenos agricultores. O Ministério da Agricultura e Pescas já definiu 4 grupos de possíveis beneficiários.

Abel Veiga

    37 comentários

37 comentários

  1. toresdias

    22 de Julho de 2013 as 15:05

    As imagens dão ideia que os animais estão magros!… Não sei nada não!..

    • brasileiro

      31 de Julho de 2013 as 14:23

      Não se preocupe, essas fotos provavelmente foram obtidas aleaotoriamente na internet. o gado nelore exportado da região de campinas, oeste de São Paulo, é gado de elite e está com as vacinas em dia. Alguns deles vieram inclusive do curral do Ministro da Agricultura do Brasil, um dos maiores exportadores do país. O gado ficou de quarentena para embarcar, e o simples fato de ter sido exportado de avião comprova a sua qualidade, pois gado de qualidade inferior é transportado de navio.

      Como já disse, os produtores paulistas estão entre os maiores e melhores do mundo, e o gado também é leiteiro, só para lembrar. Enfim, esperamos que STP tome boas iniciativas com esse ato, pois a operação foi cara (cerca de 20 mil dólares por cabeça de gado), mas pode render frutos maiores no futuro.

    • ferpenapandopo

      4 de Agosto de 2013 as 12:01

      Só uma pergunta se alguém me sabe responder
      este gado também vai habitar as instalações
      na roça Agua-Izé como os Porcos igualmente importados?

  2. Nom Mole

    22 de Julho de 2013 as 15:13

    Não posso deixar de me inebriar com uma tal noticia,é disto que precisamos,e não Plataformas ou Entrepostos de prestação de Serviços e demais divagações que de concreto nada acrescentam,quantas mais cabeças de gado teríamos se fossemos sérios…O que exponho é transversal a todos os atos de má gestão publicamente conhecidos,levados a cabo por diferentes governos,sejamos honestos com o nosso povo,porque não seremos lembrados na vida pela riqueza que acumulamos mas sim pela lisura da nossa conduta,o Povo agradece…

    • Antonio Rocha

      23 de Julho de 2013 as 4:24

      Nao pense que isto e obra do governo actual. Muito do que o pais tenho ganha ultimamente e resultado do trabalho do governo de Patrice Trovoada. Sei que os assaltantes do poder quererao assumir para si todos os louros.

      • Gente da Terra!!!

        23 de Julho de 2013 as 8:34

        Acorda António!!!

        Patrice Trovoado e os seus queimaram (deletaram) e roubaram todos dossiers de Estado. Esqueceste? Então não me venha com essa conversa de “assaltantes do poder”. ADI entregou o poder porque pretendia manter na terra o culto ao deus da chuva e agora passa a vida a chorar sobre o leite derramato. Se houvesse passagem de pasta poderias dizer que o trabalho do ministro é continuidade do XIV governo. Como fugiram e levaram tudo não sei se devo aceitar essa conversa que isso é obra do governo anterior.
        Força e bem-haja ao Ministro António Dias.

      • Eu mesmo

        23 de Julho de 2013 as 12:09

        nada! não venham que não tem. governo de Patrice?! nada! Esse ministro de agricultura e pesca está a trabalhar muito bem! gostei!

  3. Carlos

    22 de Julho de 2013 as 15:31

    Sr. Ministro cuidado com a distribuição desses gados. Vocês têm mania de pensar exclusivamente nos vossos familiares e amigos; lembre que esses animais tem carimbo de S.Tomé e Principe.
    Preste atenção, por favor!

  4. guerra

    22 de Julho de 2013 as 15:34

    Não esquece de enviar alguns para a região do Príncipe.

  5. Rambo

    22 de Julho de 2013 as 16:04

    Um bom Conselho:
    Ponham Jorge Amado director deste centro em Nova Olinda!
    Ele está sem emprego e ainda vai causar problemas a este governo.

  6. Mé Subá

    22 de Julho de 2013 as 16:25

    Qual será o destino a dar a esses animais? É mesmo para os criadores de animais ou para os tubarões ou cemitérios deste pais que nada lhes satisfaz? A sensação com que fiquei é esses animais estão todos doentes. Lembram-se do gado caprino vinda da costa africana no governo de Maria das Neves? Lembram-se das vacas que foram destribuidas a alguns responsáveis e militantes do dito partido libertador, que deveriam ser devolvido a outros criadores para a procriação? Santomenses estejam atentos e abrão os olhos…

    • Eu mesmo

      23 de Julho de 2013 as 12:11

      Oh credo! Só falta vôces agora dizerem que gado ta doente e virem com os Ind(ADI)gnados para começar um nova novela outra vez! Vocês não acham que já chega?!

  7. Edaugusto

    22 de Julho de 2013 as 16:54

    Os camaradas estão todos satisfeitos, não se esqueçam do Jorge Amado, assim talvez ele possa reabrir o talho na sua residência, situado em Quilombo.Bem como do curral do Alcino Pinto, Guilherme Octaviano, Armindo Vaz e outros.

    • Eu te conheço

      24 de Julho de 2013 as 11:22

      Deixa de Wêxaismo .

    • Zona Sul

      24 de Julho de 2013 as 11:44

      Força e muita coragem Ministro António Dias. Não liga muito para conversa baratas dos indignados Faz o seu trabalho como deve ser e mais nada.
      Só não esquece que O Distrito de Caué também tem grandes potencialidades na pecuária e com muita área para pastagem.

  8. óssobó

    22 de Julho de 2013 as 17:02

    Assim sim: este ministro está a trabalhar bem.
    Quanto ao estado fisico dos animais näo importa porque o que näo nos falta é mato por limpar que os bois vao ter muito que pastar o foro ja nao trabalha as terras a nao ser roubar

  9. Addon Tiny

    22 de Julho de 2013 as 17:07

    De facto esses animais fizeram meio fraco,acho eu que deveria ser examinados todos esses animais ,de forma a se apurar qual é o seu estado de saúde só depois dá los o devido destino.por outro lado alguém disse para não esquecer da região autônoma do Príncipe.
    Na minha humilde opinião ate seria muito melhor grande parte destes animais serem conduzidos para príncipe que é outra parte de S.tomé onde oferece melhores condições para criação de gado e onde tem um governo que tem demonstrado querer fazer algo em benefício do povo. Desta forma o povo de S.T.P teria melhores garantias desses animais como bem do povo.

  10. francisca

    22 de Julho de 2013 as 17:13

    O ministro está a dar provas de trabalho. Esse Agostinho Fernandes que estava naquele ministério não percebia nada disso. Ele só sabe escrever panfletos no ADI digital.Fui

    • pagaguno

      23 de Julho de 2013 as 19:15

      Palhaço, este projeto vem do governo anterior.

  11. Ze

    22 de Julho de 2013 as 20:12

    Quanto custou cada cabeça desse gado até S.Tomé? Investiguem.

  12. abelino santos

    22 de Julho de 2013 as 20:16

    Antonio Dias muito cuidado não distribui neste momento as vacas, mesmo para estes ditos senhores. Tome muito cuidado com o que vais fazer. Não esqueces do passado recente.O estado tem que suportar as dispesas ate quando as vacas começarem a reproduzir.Os piquenos os médios e os grandes agricultores não tem estruturas próprias para estes animais. Quando se fala de vacas de produção leiteira não e brincadeira de saltar corda no quintal, tem que ter uma estrutura própria para suportar, veterinários compitentes com anos de trabalho e isto custa dinheiro.Porque que não foram a Cabo-Verde buscar vacas que sao resitentes, porque eu estive em cabo-Verde as vacas do meu sogro dao atingem 400 a 500kg e sem cuidado veterinário.Estas vacas sim seriam indicadas para pequenos e médios empresários. Sao Tome e Principe não tem o chamado grande agricultor portanto tem que ser so o estado ou seja empresas agrícolas que já são poucas e com falta de estruturas. Tenha muita atenção nos anos 70 Pinto da costa lançou um projecto de produção de carne e leite, foi buscar vacas em pais como Holanda tinha tudo pra dar certo aquele projecto, porem falhou tudo por causa dos ditos senhores do MLSTP da ala PSD

  13. Barão de Água Izé

    22 de Julho de 2013 as 20:26

    “A terra a quem a trabalha e as vacas as quem as muge”. Podia ser este um slogan bem populista, mas que não cria riqueza.
    Sem Economias ou actividades económicas de escala, mínimas, a nossa Terra não sairá da pobreza. Tenham decisões de racionalidade económica e não de fantasias politicas.

  14. rancataco

    22 de Julho de 2013 as 21:19

    a imagem mostra os animais mtx magros …fogo , Deus ajuda minha Terra .

  15. Odair Costa

    22 de Julho de 2013 as 22:11

    vamos todos deixar de politica e trabalhar para o nosso país,força senhor ministro e faça uma distribuição correta destes animais e não da atenção as suas alas política.

  16. Felisberto Bandeira

    23 de Julho de 2013 as 9:03

    Mas uma dor de cabeça para pequenos e médios Agricultor, vamos ver o vai dar.

  17. Arroz da Terra Mãe

    23 de Julho de 2013 as 10:10

    animais esqueléticos, pelo menos assim o preço da carne será acessível para o cidadão comum.

  18. tela

    23 de Julho de 2013 as 11:19

    ok E bom para o pais ,também lhes foram fornecidas os formulários veterinários da atual saúde dos animais .

  19. Mandinho

    23 de Julho de 2013 as 11:35

    NÃO importa quem fez obra, si é actual ou governo anterior estão lá para servi o País.
    Queremos obras para bem do Nossa Terra.

  20. Cidadania

    23 de Julho de 2013 as 11:53

    Parabéns São Tomé e Principe quanto ao Ministro António Dias- é assim que se faz- com resultados. Mande umas cabeças para as localidades do Canavial e de Fernão-dias, pois, era assim no tempo colonial…se calhar devido ao clima!Importar, também, caprino e outros…Força STP.Cabo Verde chove apenas dois…três meses e cria-se bovino, caprino, frango, suíno, ovelha, etc.

  21. Manuel

    23 de Julho de 2013 as 15:12

    De louvar!
    Sugiro que promovam ferias escolares para os alunos tomarem contactos com bovinos. Porque os meus filhos tem idades inferiores a 25 anos, conhecem bois virtualmente. Agentes da cadeia do turismo não ficarão a perder com a ideia.
    Que promovam grupos (associações) de criadores em metodologia de credito rotativo de animais, fornecendo assistência técnica, capacitando promotores locais e fornecendo kits básicos dos cuidados. Regular e cada interessado deve pagar um preço subvencionado….!EXPERIENCIA DA ZATONA-ADIL

  22. nao sei de nada

    24 de Julho de 2013 as 1:07

    Temos fobia em relação ao animal dde grande porte, outrossim, falta muita formação e técnicas de pastoreio.
    Sera que o veterinário, Bonfim deu o aval para entrada deste animal, despistagem de brucelose, entre outros,
    sendo assim boa iniciativa, mas antes devia-se concluir a criação e massificação do suíno, ovino e caprino, so depois o bovino. Não temos estábulos, população tem apetência para o imediato, e o boi, vaca leva tempo…

  23. brasileiro

    24 de Julho de 2013 as 15:29

    O gado é proveniente do oeste paulista, terra de pecuária de grande qualidade, e os animais foram inspecionados criteriosamente; estão saudáveis. Quanto à engorda, os pastos são-tomenses são suficientes para que os mesmos ganhem peso se bem tratados. Esse gado, creio, é leiteiro, não de corte. Uma ampliação do programa poderia tornar o país autossuficiente em produção leiteira no futuro.
    Agora creio que o ministro da agricultura de STP deveria dar mais atenção à criação de galinhas, porcos e cabras, pois esses trazem resultados mais imediatos e são mais adequados à pequena população são-tomense. O Brasil é o maior exportador mundial de carne de boi e frango, e a indústria de aves requer um investimento menor. Enfim, excelente iniciativa, mas caprinos, suínos e galináceos devem ser fortemente estimulados com prioridade.

  24. Mina Zequentxi

    25 de Julho de 2013 as 15:05

    Quero dizer a “gente da terra” que nao apenas o Patrice Trovoada fugiu, queimou ou deletou os dossiers do estado santomense, porque quando o Pinto da Costa perdeu o Poder para o Miguel Trovoada, ele, o PdC saiu do palacio com dossiers e cadeiras, e disso voce nao fala! Embora os erros dos outros nao justifiquem os nossos, este senhor hoje aparece como o salvador da Patria e acha que todos devem acreditar. Haja paciencia para aturar as vossas baboseiras…

  25. O Analista e Censurador

    26 de Julho de 2013 as 11:12

    Tudo muito bem. A duvida que resta é na distribuição dos animais. É bom que o governo seleccione médios empresários com carácter de honestidade tal como pequenos agricultores. Pelo contrário ditos animais irão evaporar no vento. Todo cuidado é pouco para com os corruptos.

  26. Santana Barros

    4 de Agosto de 2013 as 19:56

    Se é como dizem, deviam preparar as infraestruturas para depois irem á busca das vacas. Como já estão aí em São Tomé, devem aproveitar para desenvolver a industria dos lacticinios, tais como a produção do leite gordo, queijo… emfim… umna gama de actividades que podem tornar com o andar do tempo o povo de São Tomé em auto – suficiente em matéria de alimentação e só assim o pais sai á ganhar. Eu sou Angolano, más gosto muito de São Tomé, Cabo Verde e Guiné – Bissau. Portanto, não gosto de ver estes povos em sofrimento. Se eu tivesse recursos financeiros apostaria em investimentos em são Tomé e Cabo Verde, esperando as condições amadurecerem para investir na Guiné Bissau. Não importar-me-ia com o lucro, más sim com o desenvolvimento destes países.

  27. alexandre Pinto

    27 de Setembro de 2013 as 16:38

    110 cabecas x 15 kilos de esterco todos os dias da 1,650 Kg de esterco por dia. Com esta quantidade de esterco masi os esterco dos animais que ja existem, pode construir um biodigestor, capaz de gerar gas butano para alimentar varios geradores eletricos…na ilha do principe poderia suprir TODAS as necessidades de energia eletrica. Nao entendo como e que ai em sao Tome nao tem gente com visao… esterco de vaca produz gas butano que pode utilizar para mover geradores eletricos…. se quiser eu explico como funciona e como fazer um biodigestor…pode usar esterco de vaca, galinha, cabra etc… e impressionante a falta de visao e conhecimento das autoridades do governo… a meu ver os problemas existem porque ninguem sabe solucionar…ninguem pensa e so pensam o que o FMI FAD mandam….se utilizarem o que STP produz, ja chega para ser autosuficiente em energia eletrica e am combustivel tipo diesel…. com tanta palmeira ,so precisa fazer oleo de palma, adicionar alcool e produzir biodiesel… vai ser burro…importar combustivel so porque querem….ou sao imcompetentes…

  28. Silozam Silagens

    23 de Janeiro de 2018 as 18:43

    A silagem Silozam tem excelente relação custo-benefício, pois reune diferenciais importantes: praticidade no armazenamento e transporte, 100% de aproveitamento e garantia de padrão de qualidade o ano todo.
    Compre pelo WhatsApp 67 99142-4900

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo